¡Qué bueno, qué bueno!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Espanha "'¡Qué bueno, qué bueno!"
Festival Eurovisão da Canção 1965
Artista(s) Conchita Bautista
Compositor(s) Antonio Figueroa Egea
Letrista(s) Antonio Figueroa Egea
Resultado da Semifinal ------
Pontos da Semifinal ------
Resultado da Final 15.º
Pontos da Final 0
Actuações Cronológicas
◄ Caracola (1964)   
Yo soy aquél (1966) ►

"¡Qué bueno, qué bueno!" ("Que bom! Que bom!"/"Que legal! Que legal!") foi a canção que representou a Espanha no Festival Eurovisão da Canção 1965 que teve lugar em Nápoles em 20 de março desse ano.

A referida canção foi interpretada em castelhano por Conchita Bautista. Foi a segunda vez que Conchita representou a Espanha no Festival Eurovisão da Canção, após ter tido interpretado a primeira canção espanhola no Festival Eurovisão da Canção. Foi a terceira canção a ser interpretada na noite do festival, a seguir à canção britânica "I Belong", interpretado por Kathy Kirby e antes da canção irlandesa "Walking the Streets in the Rain", cantada por Butch Moore. Terminou a competição em 15.º lugar, juntamente com outros 3 países (Alemanha, Bélgica e Finlândia), não tendo qualquer voto: 0 votos. No ano seguinte, em 1966, a Espanha fez-se representar com o tema Yo soy aquél" interpretado por Raphael.

Autores[editar | editar código-fonte]

Autores
Letrista: Antonio Figueroa Egea
Compositor: Antonio Figueroa Egea
Orquestrador: Adolfo Ventas Rodríguez

Letra[editar | editar código-fonte]

A canção é uma canção estilo flamenco, na qual Bautista descreve "Que bom" é agora saber que o seu amante também a ama e os beijos dele são para ela e apenas para ela.

Versões[editar | editar código-fonte]

Versões
"Che bueno, che bueno" (em italiano)
versão alternativa (em castelhano)
parte de um novo medley (1992) (em castelhano)

Fontes e ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.