Ácido cloroáurico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido (desde março de 2008). Ajude e colabore com a tradução.
Ácido cloroáurico
Alerta sobre risco à saúde
ChloroauricAcid.svg
Outros nomes ácido tetracloroáurico
tetracloro aurato(III) de hidrogênio
tetracloro aurato
Identificadores
Número CAS 16903-35-8
Propriedades
Fórmula molecular HAuCl4
Massa molar 339,79 g/mol (forma anidra)
411,85 g/mol (tri-hidrato)
Aparência cristais amarelo ouro
higroscópico
Densidade 3,9 g/cm3 (tri-hidrato)
Solubilidade em água solúvel em água
Solubilidade solúvel em álcool, éter
Riscos associados
Principais riscos
associados
Hazard C.svg
Corrosivo
C
Frases R 34​‐​43
Frases S 26​‐​36/37/39​‐​45
Compostos relacionados
Compostos relacionados ácido cloroplatínico
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Ácido cloroáurico é o composto fórmula química HAuCl4. Ele é normalmente usado como fonte de ouro (Au) em experiências quimicas. O ácido cloroáurico é produto formado ao dissolver ouro em água régia, por exemplo, ao retirar ouro de componentes eletrônicas. O mesmo nome é usado para a forma anidra e para a forma tri-hidratada.

Obtenção e síntese[editar | editar código-fonte]

A maneira mais convencional e trivial de se obter o ácido cloroáurico é a dissolução de ouro elementar em água régia (uma mistura de três partes de ácido clorídrico para uma parte de ácido nítrico):[1]

\mathrm{2\ Au + 2\ NOCl + 3\ Cl_2 + 2\ HNO_3 \rightarrow} \mathrm{2\ HAuCl_4 + 4\ NO_2}


Uma outra possibilidade é a reação entre cloreto áurico e ácido clorídrico:[1]

\mathrm{AuCl_3 + HCl \longrightarrow HAuCl_4}

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Propriedades físicas[editar | editar código-fonte]

Propriedades químicas[editar | editar código-fonte]

Reações[editar | editar código-fonte]

O tratamento alcalino do ácido cloroáurico, com uma base padrão, resulta na produção de sal metálico de tetracloro-ouro e água. O respectivo sal de tálio possui solubilidade baixa na maioria dos solventes. A combinação com amônio (sal quaternário de amônio) também é conhecida.[2] Outros sais de forma complexa são: [Au(bi-pir)Cl2][AuCl4][3] e [Co(NH3)6][AuCl4]Cl2.

A redução parcial do ácido produz dicloroaurato(I), [AuCl2]- (oxônio como contra-ião).[4] <--- (Ref. ERRADA??) Através de redução podem também ser produzidos outris compostos de coordenação do ouro(I), especiamente utilizando-se ligantes orgânicos. Frequentemente o próprio ligante serve como agente redutor, como é no caso da tioureia, (H2N)CS:

\mathrm{AuCl^{-}_4 + 4 (H_2N)_2CS + H_2O \longrightarrow Au[(H_2N)_2CS]^{+}_2 + (H_2N)_2CO + S + 2 Cl^{-} + 2 HCl}


O ácido cloroáurico é o composto percursor na preparação de nanopartículas de ouro. Para precipitação destas agentes redutores, como por exemplo o tiosulfato (Na2S2O3), são usados.[5]

O aquecimento da forma hidratada (HAuCl4n H2O) em uma corrente de gás cloro resulta em cloreto áurico (o cloreto de ouro (III), Au2Cl6).[6]

Anedota histórica[editar | editar código-fonte]

Durante a Segunda Grande Guerra, o químico húngaro residente na Dinamarca, George de Hevesy, laureado com o Prémio Nobel no ano de 1943, decidiu literalmente transformar as medalahas de pelo menos dois, também laureados, colegas (Max von Laue e James Franck) em ácido cloroáurico, dissolvendo-as em água régia, para escondê-las dos nazistas. E assim o fez, quando Copenhagen acabara de ser invadida. Após a guerra, o ouro foi recuperado e a Fundação Nobel generosamente refez as medalhas.[7]

Referências

  1. a b Gold-Verbindungen (em de) RÖMPP-Online. Visitado em 28 de novembro de 2014.
  2. Makotchenko; Kokovkin. (setembro 2010). "Solid contact [AuCl4]-selective electrode and its application for evaluation of gold(III) in solutions" (em en). Russian Journal of General Chemistry 80 (9): 1733-1737. DOI:10.1134/S1070363210090021. ISSN 1070-3632.
  3. Mironov, Tsvelodub. L. D.; "Equilibria of the substitution of pyridine, 2,2'-Bipyridyl, and 1,10-Phenanthroline for Cl in AuCl4 in aqueous solution", Russian Journal of Inorganic Chemistry. 2001, vol. 46, p. 143–148.
  4. Huang, Xiaohua. (26 October 2010). "A reexamination of active and passive tumor targeting by using rod-shaped gold nanocrystals and covalently conjugated peptide ligands". ACS Nano 4 (10): 5887–5896. ACS Publications. DOI:10.1021/nn102055s.
  5. Zhang et al.. (2012). "Tunability and stability of gold nanoparticles obtained from chloroauric acid and sodium thiosulfate reaction". Nanoscale Research Letters 7: 337. DOI:10.1186/1556-276X-7-337.
  6. Mellor J. W. A comprehensive treatise on inorganic and theoretical chemistry. Vol. 3. 1946. p. 593.
  7. Lemmel, Birgitta (11/03/1998). The Nobel Medals and the Medal for the Prize in Economic Sciences. Visitado em 28 de novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]