Álbum de estúdio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Um álbum de estúdio é um álbum que possui a maioria de suas canções inéditas gravadas em estúdio por um artista musical, sendo que geralmente álbuns de estúdio possuem 8 ou mais faixas. Caso o álbum possua a maioria de suas canções inéditas e tenha sido trabalhado em estúdio, mas é curto, ele é considerado um EP.

Geralmente é o álbum mais conhecido e esperado a ser lançado, justamente por conter canções inéditas, um exemplo disso é Chinese Democracy, do Guns N' Roses, o álbum de estúdio conhecido como "o disco eternamente adiado", pois começou a ser gravado em 1997 e esperava-se seu lançamento para 2002, porém, foi só lançado em novembro de 2008. O álbum custou mais de 13 milhões de dólares, tornando-se o mais caro da história.[1] . Outro exemplo é o do álbum Bad (1987), do Rei do Pop Michael Jackson, sucessor imediato do extremamente bem sucedido Thriller — álbum do cantor lançado em 1982 que se tornou o mais vendido e bem sucedido de todos os tempos. Diante disso, Jackson demorou cerca de cinco anos para lançar uma nova coleção de músicas inéditas. Para se ter uma ideia, o cantor ficou durante pouco mais de um ano dedicando apenas à composição de músicas novas, e outros seis meses, dentro do estúdio, gravando boa parte delas. Como já foi dito, "todos os cantores do mundo queriam estar na pele de Michael quando ele lançou Thriller, mas nenhum gostaria de estar no lugar do Rei do Pop quando ele tivesse que compor um novo disco".

Normalmente não contém faixas ao vivo ou remixes, e se possuir, essas faixas não fazem parte da maioria no álbum e costumam ser chamadas de "faixas bônus". Devido a sua natureza de serem muito bem preparados, eles podem conter uma variedade de técnicas de produção, incluindo segues, efeitos de som, faixas escondidas e contribuições orquestrais.

Na indústria da música, álbuns de estúdio costumam contracenar com álbuns de compilações e álbuns ao vivo. Álbuns de estúdio costumam ser chamados de próprios, contendo material que é, em sua maioria, previamente lançado antes dele. Eles tendem a ser o tipo de álbum que mais vende - no Reino Unido, por exemplo, dezoito a cada vinte e cinco álbuns que venderam mais de 2.5 milhões de cópias são álbuns de estúdio.

Na música clássica, álbuns de estúdio diferem de gravações ao vivo já que normalmente eles são resultado de algumas edições. Trabalhos orquestrais em particular podem ser takes de alguma peça. Esta prática é bem estabelecida, sendo que para gravações analógicas, edições são uma boa opção quando elas são transformadas em mídias digitais.

Como já foi dito acima, o álbum de estúdio mais famoso, assim como o mais popular de todos os tempos, é o álbum Thriller, de Michael Jackson de 1982 - E é também o mais vendido da história, com 125 milhões de cópias em todo o mundo desde seu lançamento original, em 30 de novembro daquele ano.

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.