Édson Boaro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Édson Boaro
Informações pessoais
Nome completo Édson Alves de Oliveira
Data de nasc. 03 de julho de 1959 (55 anos)
Local de nasc. São José do Rio Pardo (SP), Brasil
Apelido Édson Abobrão
Informações profissionais
Posição Treinador (ex-lateral-direito)
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1984–1989
1989–1992
1992
1992
1992–1993
1993
1994–1995
1996–1997
Brasil Corinthians
Brasil Palmeiras
Brasil Guarani
Brasil Noroeste
Brasil Paysandu
Brasil Remo
Brasil Botafogo
Brasil Sãocarlense

Times que treinou
1998
1998
1999
1999
2007
2008
2008
2009
2010
2014–
Brasil Lemense
Brasil Jacareí (sub-20)
Brasil Taubaté
Brasil Noroeste
Brasil Lemense
Brasil Francana
Brasil São Bernardo (sub-15)
Brasil Mauaense
Brasil Francana
Brasil São Bernardo


00000016







Última atualização: 29 de Março de 2013

Édson Boaro, também conhecido como Édson Abobrão (São José do Rio Pardo, 3 de julho de 1959) é um ex-futebolista brasileiro e atualmente é técnico.

Atleta[editar | editar código-fonte]

Édson atuava como lateral-direito. Era eficiente no apoio ao ataque, com boa qualidade de cruzamentos. Começou nas categorias de base da Ponte Preta (onde ganhou o apelido de "Abobrão" por utilizar meiões cor de abóbora nos treinos). Ainda como jogador do time de Campinas, defendeu a Seleção Brasileira juvenil antes de se transferir para o Corinthians, no começo de 1984.

No Parque São Jorge, chegou ao ápice da carreira. Fez 226 partidas e marcou oito gols, ganhando a fama de lateral rápido. Por suas atuações, foi convocado por Telê Santana para a Copa de 1986, no México. Começou como titular, mas se contundiu e perdeu a posição para Josimar.

Começava aí o declínio de Edson. Sendo "esquecido" pelo técnico, torcida, imprensa e outros jogadores devido às atuações superiores de Josimar, Edson, ressentido, acabou atacando Telê Santana. Em um bar de Guadalajara, fez um "brinde, ao técnico mais burro e traíra do Brasil".

Telê, ao saber do fato, comentou que não se incomodava de ser chamado de burro, embora ficasse triste com o epíteto de desleal. No entanto, várias pessoas clamam que Telê foi atacado injustamente, pois nenhum técnico tiraria Josimar do time com suas atuações, mesmo com a recuperação de Edson.

Após o vazamento do fato, Edson passaria a negar ser o autor da fala, mas não foi mais convocado para a seleção, entrando em decadência, e sendo praticamente esquecido pela história.

Foi pelo Corinthians que conquistou o único título pelo clube, o Campeonato Paulista de 1988. Na primeira partida da decisão contra o Guarani, fez o gol alvinegro no empate por 1 a 1, após Neto abrir o placar para o "Bugre" com um espetacular gol de bicicleta. Jogou ainda no Palmeiras. Atualmente é técnico de futebol, onde chegou a treinar o CFZ de Brasília e, mais recentemente, em 2008, o Paysandu.

Técnico[editar | editar código-fonte]

Como treinador, teve passagens pelo Esporte Clube Lemense, Noroeste, Clube Atlético Lemense, Taubaté , Francana, Mauaense e São Bernardo. Na equipe do grande ABC, teve passagem como treinador das categorias de base do clube. No Jacareí, teve uma curta passagem como treinador do time júnior.

Sua última passagem em equipe profissional foi no São Bernardo, durante o Campeonato Paulista da Série A-1 de 2013.[1]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como Jogador[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira
  • Campeão Pan-Americano: 1979
Corinthians
Paysandu

Como Treinador[editar | editar código-fonte]

São Bernardo

Referências