Étienne Dinet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde novembro de 2010)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Esclave d'amour et Lumière des yeux, 1895 (Museu d'Orsay)
La lutte des baigneuses, 1909,coleção particular

Alphonse-Étienne Dinet,também conhecido como Nasr'Eddine Dinet (28 de março de 1861 - 24 de dezembro de 1929, Paris) foi um pintor orientalista francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dinet foi o filho de um proeminente juiz francês.

A partir de 1871 ele estudou no Liceu Henrique IV,que tinha como estudante o futuro presidente frances Alexandre Millerand. Depois da graduação em 1881 ele entrou na École nationale supérieure des Beaux-Arts e passou a trabalhar no estúdio de Victor Galland. No ano seguinte passou a estudar na Académie Julian. Também exibiu seus trabalhos pela primeira vez no Salão dos artistas franceses.

Dinet fez sua primeira viagem a Bou Saâda, no sul da Argélia, em 1884, com uma equipe de entomologistas. Em 1885 ele fez uma segunda viagem com uma bolsa de estudos do governo, esta vez para Laghouat na região do M'zab. Daquela vez ele realizou suas duas primeiras obras sobre a Argélia: les Terrasses de Laghouat e l'Oued M'Sila après l'orage.

Raoucha 1901, 46x45cm, coleção do Museu de Belas Artes da Argélia

Ele ganhou a medalha de prata em pintura na Exposição Universal de 1889, e no mesmo ano fundou a Société Nationale des Beaux-Arts junto à Meissonier, Puvis de Chavannes, Rodin, Carolus-Duran e Charles Cottet.

Em 1903 comprou uma casa em Bou Saâda onde passava três quartos de cada ano. Anunciou sua conversão ao Islamismo em uma carta privada de 1908, formalizando-a em 1913, pelo que mudou seu nome para Nasr'Eddine Dinet. Em 1929 ele e sua mulher empreenderam a peregrinação a Meca. O respeito que ele ganhou com os nativos da Argélia se refletiu nas 5000 pessoas presentes no seu funeral em Bou Saâda. Ali foi elogiado pelo ex-governador-geral da Argélia Maurice Viollette.

Obra[editar | editar código-fonte]

Comparado a pintores modernistas como Henri Matisse, que também visitou o norte da África na primeira década do século XX, as suas pinturas são extremamente conservadoras do ponto de vista estético.São muito miméticas e com características etnográficas na representação das pessoas.

O conhecimento de Dinet da cultura árabe e do idioma árabe o distanciaram de outros pintores orientalistas. Surpreendentemente ele era capaz de encontrar modelos para seus nus artísticos na Argélia rural. Antes de 1900. muitas de suas pinturas podiam ser caracterizadas como pinturas de gênero anedóticas. Conforme o seu interesse pelo islamismo aumentou, passou a pintar temas religiosos mais frequentemente. Ele traduziu literatura árabe publicando uma tradução de um poema épico árabe do século XIII de Antarah ibn Shaddad em 1898.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]