Óleo de rícino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mamona em floração
Detalhe de uma mamona

O óleo de rícino ou óleo de mamona (ou azeite de rícino ou mamona) é obtido a partir das sementes da planta Ricinus communis, que contém aproximadamente uns 40-50 por cento de óleo. O óleo por sua vez contém 70-77 por cento dos triglicerídeos do ácido ricinoleico. Diferentemente das próprias sementes desta planta, não é tóxico, pois a ricina não é solúvel no óleo.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

Conhecem-se aplicações medicinais da mamona desde o antigo Egito. A aplicação mais conhecida é como antiadstringente. Uma dose típica contém entre 10 e 30 mL de azeite de rícino. Deste, as enzimas do intestino liberam o ácido ricinoleico (um ácido carboxílico com 18 átomos de carbono), que é o princípio ativo. A reação se produz após duas ou quatro horas da administração da dose.

O efeito se baseia, em parte, na acumulação de água no intestino e, por outra, na irritação das mucosas que aceleram o esvaziamento do sistema intestinal.

Como efeito secundário, inibe-se a assimilação de sódio e água, além das vitaminas lipofílicas do intestino. Em doses elevadas podem ser causadas náuseas, vômitos, cólicas e diarreia aguda.

Também se tem descrito a aplicação do azeite de rícino em misturas para induzir o parto.

Finalmente, o azeite de rícino é um produto que forma parte da fabricação de plásticos, lacas, pinturas, lubrificantes e cosméticos (é usado inclusive em cosmética para alongar os cílios).

Antigamente se utilizava também como combustível. Atualmente se desenvolve sua aplicação em escala econômica na elaboração de biodiesel (biocombustível).

Ácidos graxos do óleo de rícino[editar | editar código-fonte]

Composição média do óleo de rícino / cadeias de ácidos graxos
Nome do ácido Faixa de composição média
Ácido ricinoleico 85 a 95%
Ácido oleico 6 a 2%
Ácido linoleico 5 a 1%
Ácido linolênico 1 a 0.5%
Ácido esteárico 1 a 0.5%
Ácido palmítico 1 a 0.5%
Ácido dihidroxiesteárico 0.5 a 0.3%
Outros 0.5 a 0.2%

Aplicações industriais[editar | editar código-fonte]

Aplicações industriais de derivados do óleo de mamona:

Sítio de Reação Química Derivado Aplicação
Ligação Éster Metilricinoleato Nylon-11 (Fios, Tubos, Indústria Automobilística, Aeronáutica.)
Dupla Ligação Óleo Hidrogenado Ceras, lubrificantes, Cosméticos, Plásticos
Óleo Oxidado Plastificante, Protetores, Tintas, Adesivos
Grupo Hidroxila Óleo Desidratado Secativo
Óleo Sulfonado Indústria Têxtil
Ácido Sebácico Lubrificantes, Nylon 6-10
Óleo Etoxilado Cosméticos, Detergentes, Lubrificantes de Superfície, Óleo de Corte, Fluido Hidráulico, Ind. Têxtil
Poliuretanos Telecomunicações, Materiais Elétricos, Produtos Biomédicos, Filtros Industriais
Transesterificação Biodiesel

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]