Óvulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ovo Metalécito.jpg

Óvulo, em biologia, é a célula sexual feminina (gâmeta feminino) que, depois de fertilizada por um gâmeta masculino, dá origem ao zigoto, durante o processo da reprodução sexuada.

Embora este processo ocorra em muitos tipos de seres vivos, este artigo desenvolve apenas a formação do óvulo nos mamíferos.

O óvulo é uma célula haploide, formada após a meiose de uma ovogónia, no processo denominado ovogénese. Após a cariogamia (fusão do núcleo do óvulo, haploide - n) com o núcleo do espermatozoide (haploide - n) forma-se uma célula denominada ovo ou zigoto (diploide – 2n).

Nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, o óvulo só se formará após a fecundação de um ovócito II (ovócito de 2ª ordem, oócito II ou oócito de 2ª ordem) que se encontra em metafase II e que é a célula libertada a quando da ovulação do ovário. Esta célula, em virtude do "estimulo" da fecundação, termina a meiose originando o óvulo e o 2º glóbulo polar.[1]

Fecundação[editar | editar código-fonte]

Óvulo humano sendo fecundado em laboratório.

Nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, este fenómeno ocorre nas trompas de Falópio (ou tubas uterinas) quando um espermatozoide "atravessa" a zona pelúcida, que reveste o ovócito II e o 1º glóbulo polar e se torna "impermeável" à penetração de qualquer outro espermatozoide após a entrada do primeiro, de modo a "introduzir" o seu núcleo no ovócito II que se encontra em metáfase II. Em virtude deste "estímulo" termina a meiose originando o ovo ou zigoto e o 2º glóbulo polar, que irá degenerar juntamente com o 1º glóbulo polar.

Encontra-se agora no interior do óvulo o seu pronúcleo (pronúcleo feminino, haploide) e o pronúcleo masculino (oriundo do espermatozoide, haploide), que após se fundirem (cariogamia) dará origem à primeira célula do novo indivíduo, o ovo ou zigoto (diploide – 2n).

Características do óvulo[editar | editar código-fonte]

O óvulo é uma célula arredondada incapaz de se mover (sendo transportada nas trompas de Falópio graças aos cílios existentes nas células que revestem estes canais). É uma célula "gigantesca" quando comparada com muitas outras células e muito especialmente quando comparada com o espermatozoide.

O óvulo de algumas espécies pode mesmo ser visto a olho nu, tendo o tamanho aproximado de um ponto feito com uma caneta (como acontece por exemplo com o dos seres humanos). Sendo de qualquer modo necessário o microscópio para estudar a sua morfologia na perfeição.

Ovócito secundário[editar | editar código-fonte]

Ovócito secundário (ovócito II, ovócito de 2ª ordem, oócito II ou oócito de 2.ª ordem) juntamente com o 1º glóbulo polar são as células resultantes da primeira divisão da meiose de um ovócito I (ovócito de 1ª ordem, oócito I ou oócito de 1.ª ordem).

Nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, o ovócito II inicia a segunda divisão da meiose, mas para-a na metáfase II, altura em que ocorre então a ovulação, "expulsão" de um ou vários ovócito II em metáfase II do ovário para as trompas de Falópio. A meiose só terminará se entretanto ocorrer a fecundação deste ovócito II em metáfase II.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre reprodução é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.