Ô... Coitado!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ô... Coitado!
Informação geral
Formato Sitcom
Criador(es) Rodrigo Campos
Guto Franco
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Guto Franco (primeira fase)
Eliana Fonseca (segunda fase)
Elenco Gorete Milagres
Moacyr Franco
Exibição
Emissora de
televisão original
SBT
Transmissão original 4 de março de 1999 - Metade de 2000
N.º de temporadas 2
N.º de episódios 50 aproximadamente

Ô… Coitado! foi uma série de televisão brasileira produzida pelo SBT entre 1999 e 2000, a primeira fase com direção de Guto Franco e textos de Guto, Cláudio Spritzer, Moacyr Franco e Gorete Milagres. A segunda fase com direção de Eliana Fonseca e textos de Ronaldo Ciambroni. Centrada na personagem Filó, que a comediante usava em 1991, para animar festinhas de crianças em troca de R$150.[1] A sua primeira aparição nacional com a personagem foi no telejornal Jornal Hoje, da Rede Globo, onde aparecia fazendo uma receita.[2] No início de 1998 no A Praça é Nossa do SBT, ela começou a fazer sucesso.[3] Porém em agosto de 1998, Gorete Milagres procurou o diretor Walter Lacet, da Rede Globo, pedindo emprego, por um salário de R$7.500 mensais, três vezes mais do que os R$2.500 do SBT.[1] Entrando no elenco do programa A Turma do Didi, que Lacet, Carlos Manga e Renato Aragão estavam desenvolvendo e que entraria no ar em 25 de outubro de 1998. Gorete gravou pilotos, mas quando os diretores do programa sugeriram a ela que modificasse seu visual,[4] fizeram com que Gorete, dois meses depois, voltasse ao SBT para receber R$20 mil mensais e um novo programa, Ô... Coitado!.[1] Por causa dessa transferência, a Globo processou a atriz em R$108 mil por quebra de contrato,[1] Inicialmente, Ô... Coitado!, que era exibido nas noites de quinta-feira,[4] teve uma audiência média de 23 pontos, ganhava do Você Decide[4] e brigava pela liderança com a atração global seguinte no horário, o Linha Direta.[4] Como consequência, a personagem Filomena teve grande aceitação entre os compradores da Tele Sena, empresa do Grupo Silvio Santos, uma parte significativa do faturamento da holding.[4] Novamente, em junho de 1999, voltou a procurar a Globo para evitar uma briga jurídica e assinou outro contrato com um salário de R$50 mil reais mensais, onde participaria do Zorra Total,[4] que estreou em 25 de março de 1999 e que havia sido criado para bater Ô... Coitado! nas noites de quinta-feira, mas que foi derrotado e transferido para os sábados.[4] Gorete Milagres disse que ia para a Rede Globo, prometeu gravar aparições no Vídeo Show e sua primeira aparição aconteceria no Domingão do Faustão de 4 de julho de 1999.[5] Na Globo, ainda foram cogitadas as partipações de Gorete no Sai de Baixo ou se ela teria um programa solo.[5] Mas na véspera de ir ao Domingão do Faustão, Silvio Santos visitou pessoalmente Gorete e propôs que ela ficasse no SBT, fazendo com que a atriz driblasse a direção da Globo, que a esperava para conhecer o Projac no Rio de Janeiro, e ficou em São Paulo onde assinou com o SBT.[6] O programa dava audiência de 14 pontos, mas não tinha lucro, sem patrocínio, e a atração era considerada cara pelo SBT, fazendo com que a série fosse cancelada,[7] mas a personagem ainda continuava fazendo aparições algumas vezes no programa Domingo Legal.

Enquanto a série era exibida, Gorete pediu a Silvio Santos que Filomena não participasse mais do humorístico A Praça é Nossa. Carlos Alberto de Nóbrega, que apadrinhou a comediante no início da carreira, ficou magoado com Silvio Santos, que acatou a exigência sem consultá-lo antes, "Na Praça ela não pisa nunca mais. Se isso acontecer, deixo de fazer tevê e encerro minha carreira", disse Carlos Alberto. "Não sou bobo da corte".[1] Gorete também teve problemas com Moacyr Franco, que contracenava com ela, e Guto Franco, filho de Moacyr, que dirigia o programa, Guto disse "A Gorete queria trazer seus amigos de Belo Horizonte para trabalhar e estava passando por cima de mim", ainda segundo ele, a comediante passou a fazer corpo mole nas gravações, reclamava ao repetir uma cena e não cumprimentava atores convidados. "Certo dia, peguei-a pelo braço e expliquei que dar bom-dia é uma forma de profissionalismo. Ela disse que não estava nem aí para ninguém e que queria ser tratada como estrela. Respondi que estrelas eram aqueles que nascem e sobrevivem debaixo de viadutos", e termina dizendo que "Ela é prepotente". Guto despediu-se do cargo. Uma semana depois, seu pai, Moacyr, também saiu, em solidariedade ao filho, "Fizemos 20 programas e ficamos em primeiro no Ibope em 18. Estou tristíssimo. Mas não discuto com o destino. Ela que seja feliz com os atores campeões de bilheteria dela", diz Moacyr.[1] A apresentadora Hebe Camargo tomou as dores dos amigos e partiu para o ataque a Gorete, dizendo publicamente que o sucesso subiu à cabeça da comediante e a fez perder o rumo. Em sua defesa, Gorete disse "Isso se chama monopólio do humor. É a velha guarda tentando impedir a ascensão da nova geração. Eles estão com inveja de mim", segundo a comediante, Guto Franco abandonou o programa porque não admitia ganhar menos do que ela e ficou irritado quando a comediante passou a dar palpites. "Contracenava com amigos do diretor e estava nas mãos de roteiristas incompetentes. Sempre colocavam uma bobagem na boca da Filomena. Não podia ficar quieta. Mas o Guto dizia que tudo isso não era da minha conta."[1]

Depois de quase oito anos fora do ar, em 2009, o programa volta interinamente para a grade de programação do SBT. Com a saída do vespertino Olha Você, entraram o sitcom e o reality Nada Além da Verdade, em 30 de março de 2009. A série alcançou 5 pontos,[8] aumentando consideravelmente a audiência que girava em torno de 2 pontos. A reprise terminou em 1º de maio de 2009 com o episódio "Diarista de Artista", com participação especial de Jair Rodrigues e Família. Também contou com a personagem de Gorete Milagres, Zulurdes com o "piloto Zu Flash".

A série passou a ser reapresentada a partir de 28 de março de 2014, dentro do programa Quem Não Viu, Vai Ver. Inicialmente, o programa era exibido somente às sextas-feiras. Na terceira semana, passou a ser exibido também nas quintas-feiras. E a partir da quarta semana, passou a ser exibido de segunda a sexta-feira. Não foi exibido o episódio piloto da série, em função de sua longa duração (54 minutos). A reprise terminou no dia 16 de maio, dando lugar à reprise da série Meu Cunhado que iniciou no dia 19 de maio.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Filomena é uma empregada doméstica que, vinda do interior, foi procurar uma vida com mais oportunidades em São Paulo. Filó (seu apelido) tinha características bem próprias como muita maquiagem no rosto, sempre com muito lápis de olho e uma flanela na cabeça, e usava sempre vestidos e roupas num estilo interiorano, falando com sotaque mineiro.

Seu patrão é Steve Formoso, "a voz da alcova", cantor que fez muito sucesso no passado, mas atualmente é cheio de dívidas. Apesar de não receber seu salário há tempos, ela continua a trabalhar para ele. Juntos, eles enfrentam várias confusões.

Bordões do programa[editar | editar código-fonte]

  • "Ô, coitado!" - Filó, ao final de cada programa, sobre os infortúnios de Steve. Virou "Coitada" porque se referia à Filomena.
  • "Aqui pro sinhô!" - Filó, quando pensa que está sendo assediada.
  • "Santíss´ sacramento do artar!" - Frase de Filomena.
  • "Crei' Deus Pai" - Frase de Filomena.
  • "Perdão, querida, perdão à vida…" - Única música de Steve Formoso.
  • "Não te perdoo mais, não te perdoo mais…" - Única música de Era Esplendida que poderia ser a continuação da música de Steve.
  • "Vai pro Jurídico!" - Bordão de Moisés, o cobrador ameaçando Steve.
  • "O Café está na mesa!" - Mendigo do Programa de 17/04/14.
  • "A Que horas abre o pão?!" - Mendigo do Programa de 17/04/14.

Elenco principal[editar | editar código-fonte]

1ª fase[editar | editar código-fonte]

2ª fase[editar | editar código-fonte]

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 17 de janeiro de 2013 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Era exibido nas quintas-feiras às 22h30, após o Programa do Ratinho. Porém concorrendo no mesmo horário de Linha Direta (22h10 na Globo) e Leão Livre (21h na Record).
  • Em 2000, Gorete Milagres anunciou que poderia sair do SBT e até chegou ser contratada pela Rede Globo por ser umas das revelações do humor brasileiro em 1999. Mas nos últimos dias de ser contratada, ela rompeu o contrato e preferiu ficar no SBT.
  • Após o rompimento, a audiência do programa caiu muito, chegando a 4 pontos, e Silvio Santos decidiu cancelar o humorístico no ar na metade de 2000, ao chegar 2 pontos.
  • Gorete Milagres foi para a Rede Record em 2007 para fazer a novela Amor e Intrigas, como a personagem Jacira. Em 2009 foi escalada para fazer a novela Promessas de Amor, como a personagem Renata.
  • Moacyr Franco fez uma série humorística no SBT chamada Meu Cunhado, junto com Ronald Golias.
  • No seu regresso (em 2009) a segunda temporada não foi exibida pelo SBT, já que não houve tempo, pois as estreias do Programa do Ratinho e do Casos de Família já estavam marcadas.

Referências

  1. a b c d e f g Rodrigo Cardoso (13 de setembro de 1999). Gorete Milagres, a ovelha negra da tevê ISTOÉ. Terra Networks. Página visitada em 21 de março de 2014.
  2. Ô... Coitado! no YouTube
  3. Ô, COITADA! Folha de São Paulo. UOL (5 de setembro de 1999). Página visitada em 21 de março de 2014.
  4. a b c d e f g Marcelo Camacho e Ricardo Valladares (14 de julho de 1999). Tudo por dinheiro Veja. Editora Abril. Página visitada em 21 de março de 2014.
  5. a b Anna Lee (3 de julho de 1999). "Domingão do Faustão" terá Gorete Milagres Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 21 de março de 2014.
  6. Anna Lee (3 de julho de 1999). SBT contra-ataca e tenta neutralizar tática da Globo Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 21 de março de 2014.
  7. Daniel Castro (22 de janeiro de 2001). Gorete Milagres só fica no ar se tiver patrocínio Folha de São Paulo. UOL. Página visitada em 22 de março de 2014.
  8. Título não preenchido, favor adicionar O Fuxico. Página visitada em 24 de março de 2013. Cópia arquivada em 4 de abril de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]