Úmbria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Úmbria
Umbria
Bandeira de ÚmbriaUmbria
Área: 8.456 km²
População: 867.878 hab.
Densidade: 103 hab./km²
Províncias: Perúgia, Terni
Capital: Perugia
Website: www.regione.umbria.it
Localização de ÚmbriaUmbria no mapa da Itália

A Úmbria (em italiano Umbria) é uma região da Itália central com 8456 km² e 834 mil habitantes, cuja capital é Perugia (ou Perúsia).[1] [2] [3] Tem fronteiras com a Toscana a oeste, as Marcas a leste e o Lácio ao sul.

Administração[editar | editar código-fonte]

Esta região é composta das seguintes províncias:

Geografia[editar | editar código-fonte]

A Úmbria é uma região que está localizada numa posição geográfica que usufrui de toda a beleza das montanhas dos Apeninos e do rio Tibre.[1] [2] [3]

A atual região da Úmbria é bastante diferente da região no tempo dos romanos, que se estendia do norte da região conhecida atualmente como Marche até Ravena, mas que excluía a margem oeste do Tibre; e também, por exemplo, Perugia; que ficava na Etrúria, e a área em torno de Nórcia, que ficava no território sabino.[1] [2] [3]

Maiores cidades:

História[editar | editar código-fonte]

A região é habitada desde época proto-histórica pelos povos etruscos e úmbrios.[1] [2] [3] A língua destes era o umbro, aparentada com o latim.[1] [2] [3] Em 295 a.C., depois da batalha de Sentino, foi conquistada pelos romanos, que estabeleceram algumas colônias e atravessaram o território com a via Flamínia (220 a.C.). Durante a Segunda Guerra Púnica, com a invasão de Aníbal Barca, ocorreu na região a batalha do lago Trasimeno.[1] [2] [3] A capital Perúgia foi destruída durante a guerra civil entre Marco Antônio e Otávio em 40 a.C.

Depois do fim do Império Romano, o território da região foi palco das lutas entre ostrogodos e bizantinos e tornou-se parte do Ducado de Espoleto (independente entre 571 e metade do século XIII). Carlos Magno conquistou a maior parte dos domínios lombardos e os cedeu ao Papa.[1] [2] [3] As cidades conquistaram uma certa autonomia e estiveram freqüentemente em guerra entre si, inserindo-se no conflito geral entre o Papado e o Império e entre guelfos e gibelinos.

No século XIV surgiram diversos senhores locais que depois foram absorvidos pelos Estados Pontifícios, sob os quais a região permaneceu até o fim do século XVII.[1] [2] [3] Com a chegada da Revolução Francesa, fez parte da república romana (1789-1799) e do império napoleônico (1809-1814). Em 1860, seguindo o movimento do risorgimento tornou-se parte do Reino de Itália.[1] [2] [3]

A Úmbria desempenhou um papel importante na história da Igreja Católica por ser o local de nascimento, em 1180, de São Francisco de Assis, fundador da ordem dos franciscanos.[1] [2] [3] Francisco de Assis morreu em 1226 e foi proclamado Santo da Igreja Católica em 1228 pelo Papa Gregório IX.[1] [2] [3]

As manifestações folclóricas são muitas, das quais destacam-se a culinária e a festa das velas.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia regional é baseada em uma rede de pequenas e médias empresas. Além do processamento de aço, têxteis e alimentos, Umbria é conhecida por seus produtos agrícolas: tabaco (Città di Castello), trufa (Nórcia), azeite (Espoleto, Trevi) e vinho (Orvieto, Montefalco e Torgiano).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Europa | Itália | Úmbria
Perúgia | Terni


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. a b c d e f g h i j k Statistiche demografiche ISTAT (em italiano). Dato istat.
  2. a b c d e f g h i j k Popolazione residente al 31 dicembre 2010 (em italiano). Dato istat.
  3. a b c d e f g h i j k Istituto Nazionale di Statistica (em italiano). Statistiche I.Stat.