Ümit Davala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Ümit Davala
Ümit Davala
Informações pessoais
Data de nasc. 30 de julho de 1973 (41 anos)
Local de nasc. Mannheim, Alemanha Alemanha Ocidental
Altura 1,85 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Meia/lateral direito
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1994-1997
1997-2001
2001-2002
2002-2002
2002-2003
2003-2004
2004-2006
Clube desconhecido
Turquia Galatasaray
Itália Milan
Itália Internazionale
Turquia Galatasaray (emp.)
Alemanha Werder Bremen (emp.)
Alemanha Werder Bremen
- (-)
125 (89)
10 (10)
22 (15)
23 (30)
22 (35)
11 (9)
Seleção nacional3
1999-2004 Turquia Turquia 41 (4)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 28 de Setembro de 2007.


3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 28 de Setembro de 2007.

Ümit Davala (30 de julho de 1973) é um ex-futebolista turco, mas nascido na Alemanha. Atualmente, é o capitão da Seleção Turca de Futebol de Salão e assistente técnico da Seleção Turca sub-21. Davala era um flanqueiro pela direita, que podia atuar em todas as posições daquele lado do campo: como lateral defensivo, como ala, como meio-campista externo em uma linha de quatro e até como ponta-direita num ataque com três jogadores.

Início de carreira e Galatasaray[editar | editar código-fonte]

Ümit começou sua carreira nos pequenos clubes alemães VfR Mannheim, ASV Feudheim e Türkspor Mannheim. Deste time de colônias turcas da região, acabou se transferindo para o clube turco do Afyonspor. Ainda juvenil, foi adquirido pelo Istanbulspor AS e emprestado para o Genclerbirligi e depois Diyarbakırspor. Voltou ao Istanbulspor e lá passou um ano até ser pinçado pelo Galatasaray, onde se estabeleceu como titular.

No Galatasaray, viveu o período mais frutífero de sua carreira. Foi campeão do Campeonato turco de futebol por três temporadas seguidas, a última sendo a inesquecível temporada 99-2000, na qual o Gala ganhou também a Copa da Turquia, a Copa da UEFA e a Supercopa Européia. Ümit jogava ao lado de Taffarel, Gheorghe Popescu, Bülent Korkmaz, Hakan Şükür, Arif Erdem e Gheorghe Hagi no time que venceu o Arsenal por pênaltis. Ümit marcou o terceiro na disputa, que terminaria 4 a 1 após um 0 a 0 aguerrido. No jogo que decidiu a Copa da Turquia, Davala marcou duas vezes contra o rival Beşiktaş, o que coroou seu status como um dos ídolos do time.

Ida para a Itália[editar | editar código-fonte]

Na UEFA Champions League de 99-2000, Ümit marcou para o Gala contra o AC Milan, eliminando-os da primeira fase de grupos. Em 2000-2001, enfrentou o time italiano duas vezes na segunda fase de grupos, e novamente os italianos acabaram eliminados e o Galatasaray em primeiro. Assim, para a temporada 01/02, não foi surpresa que o time milanês tenha contratado o técnico Fatih Terim, que trouxe junto Ümit depois de arrastadas negociações. Ele estreou com a camisa 34 em 16 de setembro de 2001 em Udine, contra a Udinese Calcio num placar que terminou 2 a 1 para os milanistas. Contudo, Terim foi demitido após maus resultados. Na sua primeira partida sob o comando de Carlo Ancelotti, Ümit foi expulso contra o Parma, num jogo que acabou 1 a 0 para o Milan. Davala ainda jogou esporadicamente ao longo da temporada, mas parecia claro que não perduraria no clube.

No verão de 2002, Davala foi para a Inter de Milão, em troca pelo beque Dario Šimić. Ao contrário do croata, que foi aproveitado no Milan, Davala nem chegou a jogar pela Inter - foi emprestado ao Galatasaray, pois não queria perder a boa forma que mostrara na Copa. Jogou uma temporada em seu time do coração antes de ir, novamente por empréstimo, para seu país natal.

Werder Bremen[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Ümit chegou a um acordo com o clube alemão do Werder Bremen Num meio-de campo com Kristián Lisztes, Fabian Ernst e Johan Micoud, Davala foi empregado na lateral-direita numa linha de quatro defensores, com ainda Valerien Ismaël, Mladen Krstajic e Christian Schulz. Davala fixou-se como titular num time que seria campeão alemão em cima do poderoso Bayern de Munique com um humilhante 3 a 1 em plena Allianz Arena. Davala fez, neste campeonato, inúmeras assistências para Ivan Klasnić e Ailton. Em 2004, após ser contratado permanentemente, começou algumas partidas no banco, recuperou seu lugar de titular até que lesionou o joelho. A lesão parecia simples, mas custou a Ümit a temporada quase toda, na qual apareceu raríssimas vezes, sempre no banco. Começou a temporada 2005-2006 disposto a apagar a má impressão, mas em Outubro de 2005 sofreu uma lesão no quadril que se provou irrecuperável. Com 32 anos, Davala foi liberado no recesso de inverno pelo Bremen, e demorou apenas mais uma semana até que se aposentasse precoce e permanentemente do futebol.

Seleção turca[editar | editar código-fonte]

Davala estreou na Seleção no verão de 1999, contra a Finlândia. Sua esplêndida forma no Galatasaray rendeu a ele uma vaga, com sua tradicional camisa 22, no grupo que disputou a Euro 2000 na Bélgica e Holanda. Participou dos jogos contra Itália e Suécia, sendo substituído aos 55' e no intervalo, respectivamente. Não jogou contra a Bélgica, mas voltou nas quartas-de-final, quando o time que teve Ozalan Alpay expulso logo aos 5' não resistiu e caiu contra Portugal com uma doppietta de Nuno Gomes.

Ümit foi nome certo na Copa do Mundo de 2002, destacando-se por mais do que seu penteado moicano extravagante, feito pelo colega de quarto Hakan Ünsal. "Eu gosto. Acho que ficou bonito e ele fez com bastante cuidado", disse, à época. Não começou jogando contra a Brasil, mas entrou aos 66'. Não saiu mais do time. Participou do jogo todo contra a Costa Rica e a China, contra quem fez um gol, o terceiro na goleada por 3 a 0 que garantiu a classificação dos turcos, pois os costarriquenhos afundavam contra o Brasil. Ainda na maré favorável, marcou aos 5' pt contra o Japão nas oitavas-de-final e providenciou o cruzamento para o gol de İlhan Mansız contra a Senegal nas quartas. Foi um tento importantíssimo, pois seria, aos 97' a.e.t., o golden goal, o gol na morte súbita que classificaria os turcos para reencontrar o Brasil. Ümit travou dura batalha com o brasileiro Roberto Carlos no jogo que os brasileiros venceriam por um gol magro de Ronaldo. Na decisão que garantiu o terceiro lugar contra a Coréia do Sul, foi substituído aos 76'. Davala foi figura importante na maior conquista, até hoje, do futebol turco.

A Turquia não conseguiu vaga para a Euro 2004 no Portugal, perdendo a vaga para a surpeendente Letônia, perdendo em Riga por 1 a 0 e empatando em Istanbul em 2 a 2. Davala participou dos dois jogos. Este seria seu último torneio oficial pela Seleção Turca, pois a partir daí, começou a sofrer com lesões até se aposentar no começo de 2006, antes mesmo de ver sua seleção perder a vaga na Copa do Mundo de 2006 para a Suíça.

Pós-aposentadoria[editar | editar código-fonte]

Após retirar-se do futebol de campo, Davala virou capitão da Seleção Turca de Futsal e também treinador assistente da Seleção Turca sub-21. Em 2004, lançou um álbum de rap em turco que fez certo sucesso em seu país de origem, chamado "UD 2004". É especulado se ele fará outro ou não.