Þjálfi e Röskva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Þjálfi e Röskva desviam o olhar amedrontados enquanto Thor e Loki conversam com o gigante Skyrmir. Ilustração de 1902 por Elmer Boyd Smith.

Na mitologia nórdica, Þjálfi e Röskva são dois irmãos, homem e mulher respectivamente, que servem o deus Thor. Þjálfi é mencionado uma única vez no Edda em verso, compiladono século XIII a partir de fontes tradicionais, enquanto os dois são citados no Edda em prosa, escrito também no século XIII por Snorri Sturluson, e na poesia dos escaldos.

No Edda em verso, Thor relata um caso em que Þjálfi é perseguido por uma loba, mas não há mais informação sobre ele. No Edda em prosa, Þjálfi e Röskva são os filhos de camponeses. Thor e Loki pernoitam em sua residência e Thor compartilha com aquela família a carne de suas cabras, Tanngrisnir e Tanngnjóstr. Þjálfi chupa a medula óssea de uma das cabras, de forma que quando Thor resussita as cabras na manhã seguinte, percebe que uma delas está manca e se ira. Como resultado, Thor toma Þjálfi e Röskva como seus serventes.

Da fazenda, Thor, Loki, Þjálfi e Röskva rumam à floresta no reino dos gigantes, Jotunheim. Eles passam a noite num local que depois percebem ser a luva dum ser gigantesco, Skrymir. Na noite seguinte, Thor percebe que não consegue matar o gigante, e o grupo dorme amedrontado sob uma árvore. No dia seguinte chegam à residência de Útgarða-Loki, que exige desafios para cada visitante, exceto Röskva.

Após o grupo repousar no local, Útgarða-Loki revela que ele é na realidade Skrymir, e que Thor havia quase o matado.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Þjálfi e Röskva

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Bellows, Henry Adams (Trans.) (1923). The Poetic Edda. American-Scandinavian Foundation.
  • Faulkes, Anthony (Trans.) (1995). Edda. Everyman. ISBN 0-460-87616-3
  • Simek, Rudolf (2007) translated by Angela Hall. Dictionary of Northern Mythology. D.S. Brewer. ISBN 0859915131
  • Thorpe, Benjamin (Trans.) (1866). The Elder Edda of Saemund Sigfusson. Norrœna Society.