μClinux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.


μClinux
Ipod linux booting kernel.jpg
Inicialização do iPodLinux em iPod, basedo no μClinux
Produção μClinux Team
Família do SO Linux embarcado
Modelo Software Livre
Estado corrente
Versão estável uClinux 3.4.0-uc0 / 20 de junho de 2012; há 118 semanas
Núcleo Linux
Licença GNU GPL
Página oficial www.uClinux.org

O μClinux significa "Microcontrolador Linux", e é pronunciado "iu-si-Linux", como explicado no website, e não como a letra μ é normalmente pronunciada. Ele é um fork do Linux de microcontroladores (ver sistemas embarcados) sem uma unidade de gerenciamento de memória (MMU).

O μClinux foi originalmente criado por D. Jeff Dionne e Kenneth Albanowski em 1998. Inicialmente eles visaram o a família de processadores embarcados de 68 Kb Motorola DragonBall (especificamente as 68328 séries) em um Linux 2.0.33. Depois de lançar o seu trabalho inicial, logo surgiu uma comunidade de desenvolvedores para estender o seu trabalho a mais novos kerneis e outras arquiteturas de microprocessadores. No início de 1999, o suporte foi acrescentado para a família de microprocessadores embarcados Motorola (agora Freescale) ColdFire. O suporte de processador ARM também ficou disponível naquele ano.

Embora visando originalmente as séries 2.0 do Linux, ele agora tem portas baseadas em Linux 2.4 e Linux 2.6. Não houve nunca nenhuma extensão μClinux aplicada aos kerneis de série 2.2.

Desde a versão 2.5.46 do Linux, as partes principais do μClinux estiveram integradas à linha principal de kerneis de um grande número de arquiteturas de processadores. Greg Ungerer (que originalmente transportou μClinux para a família de processadores Motorola ColdFire) continua mantendo ativamente o suporte μClinux em séries kerneis Linux 2.6. Neste sentido, o μClinux não é essencialmente mais um fork separado de Linux.

O projeto continua desenvolvendo patches e instrumentos de apoio para usar Linux em microcontroladores. o μClinux tem o suporte para muitas arquiteturas, e forma a base de muitos produtos, como encaminhadores de rede, câmeras de segurança, DVD ou MP3 players, telefone VoIP ou Gateways, scanners, e leitores de cartão.

Arquiteturas suportadas[editar | editar código-fonte]

A lista atual inclui:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

 ver·editar  Portal do LinuxTux.svg


Arch  · Debian  · Fedora  · Ubuntu  · Mandriva  · Linux Mint  · OpenSUSE  · PCLinuxOS  · Puppy  · Sabayon  · Slackware Linux  · Kurumin  · Big Linux  · Poseidon Linux  · Ekaaty Linux  · DreamLinux