144000 (número)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

144 000 (cento e quarenta e quatro mil) é um número positivo inteiro que possui um significado religioso para o cristianismo.

Narrativa bíblica[editar | editar código-fonte]

O número 144.000 é mencionado três vezes em Revelação ou Apocalipse, livro bíblico que encerra o Novo Testamento, nas seguintes passagens: «Ouvi o número dos que foram com selo assinalados, cento e quarenta e quatro mil, assinalados de todas as tribos dos filhos de Israel» (Apocalipse 7:4), «Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil que tinham escrito o nome dele e o nome de seu Pai sobre as suas testas» (Apocalipse 14:1) e «antavam um novo cântico diante do trono e diante das quatro criaturas viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra.» (Apocalipse 14:3)

Interpretações[editar | editar código-fonte]

Os números 12 000 e 144 000 são interpretados de várias formas no cristianismo tradicional. Alguns afirmam que os números são apenas simbólicos. Acreditam que representam todos os do povo de Deus durante toda a história bíblica. Outros ensinam que são números literais sendo que alguns creem que estas pessoas são descendentes de Jacó (chamado também "Israel" na Bíblia) e que terão um papel específico num contexto escatológico.

Protestantes e católicos[editar | editar código-fonte]

Os cento e quarenta e quatro mil de cada tribo dos filhos de Israel (7.4) simbolizam a Igreja toda no fim dos tempos; isto é deduzido de 7.3, pois os servos do nosso Deus na dispensação cristã só podem ser a Igreja. Outrossim, desde que as tribulações dos últimos dias são universais, toda a companhia do povo de Deus carece de sua proteção, não simplesmente uma seção dele (os judeus). Uma multidão – Ap 7.9 – A Igreja é vista triunfante no céu.
F. Davidson[1]

Segundo os protestantes, existem versículos que contradizem algumas interpretações:

Se o número – 144 000 – for levado a sério, certamente ele está muito, mas muito mesmo, abaixo do número de crentes que estarão no céu. Até mesmo as dimensões físicas da Nova Jerusalém (Apocalipse 21:16-17), para não dizer nada quanto ao restante do vasto universo criado por Deus, poderiam conter um número muito maior de pessoas do que 144 000. Apocalipse 7:9 declara que havia, além dos 144 000, 'uma grande multidão... de todas as nações' que eram também redimidos, o que indica não somente que os salvos não se limitam a esse número, mas que a passagem tem mais sentido se tomada de forma literal.
Norma Geisler e Thomas Howe[2]
Pensemos agora no número 144 000. Doze é usado para representar o povo de Deus (12 tribos no Velho Testamento e 12 apóstolos no Novo). Dez é um número completo. Quando Deus quer descrever simbolicamente a totalidade de seu povo, ele usa 12 x 12 x 10 x 10 x 10. Outros termos simbólicos dão significado extra a este número. Eles são israelitas, 12 000 de cada tribo, homens virgens puros. Estes textos não devem ser interpretados como uma designação literal daqueles que irão para o céu. Mulheres, não só homens, estarão no céu. Pessoas que são casadas na terra, não exatamente virgens, estarão lá. Gentios, junto com judeus, estarão no céu. As descrições são simbólicas, tal como é o número. Podemos com certeza esperar ver muito mais do que 144 000 pessoas redimidas no céu.
Dennis Allan[3]

Referências

  1. F. Davidson. O Novo Comentário da Bíblia. [S.l.]: Vida Nova, 1990. ISBN 8527502410.
  2. Norma Geisler; Thomas Howe. Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e "Contradições" da Bíblia. [S.l.]: Mundo Cristão, 1999. ISBN 85-7325-185-9.
  3. ALLAN, Dennis. Quem são os 144.000 do livro de Apocalipse? (html) estudosdabiblia.net. Visitado em 21 de Abril de 2011.