2º Batalhão de Guardas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
2º Batalhão de Guardas
Estado  São Paulo
Subordinação Comando Militar do Sudeste
Sigla 2º BG
Criação 1970
Comando
Comandante Unidade Extinta
Sede
Endereço rua Raul Lessa s/nº jd Mutinga


O 2º Batalhão de Guardas teve sua origem em 1970 substituindo a 7ª Cia de Guardas, na cidade de São Paulo, e era composto inicialmente por cinco companhias:

  • 1ª Cia de Fuzileiros;
  • 2ª Cia de Fuzileiros;
  • 3ª Cia de Fuzileiros;
  • Cia de Comandos e Serviços;
  • Cia de Petrechos Pesados.

As instalações no Parque Dom Pedro II não eram suficientes para comportar todas as companhias, então a 3ª Cia e a CPP, foram transferidas para o aquartelamento no Cambuci, onde estavam instalados o Hospital Geral do Exército e a 4ª Circunscrição de Serviço Militar.

Seu primeiro comandante foi o Coronel de Infantaria Lauro Paraense de Farias.

O efetivo do batalhão era de aproximadamente 1 200 homens, do comandante ao soldado, sendo que seu efetivo variável (EV) era de aproximadamente 900 soldados incorporados anualmente.Estava subdividido em 4 companhias:

  • 1ª Cia de Infantaria de Guarda;
  • 2ª Cia de Infantaria de Guarda;
  • 3ª Cia de Infantaria de Guarda;
  • Cia de Comandos e Serviços;

Era o maior contingente do CMSE.

Foi extinto em 31 de dezembro de 1995, sendo as instalações ocupadas pelo 2º Batalhão de Polícia do Exército (2º BPE).

Missões[editar | editar código-fonte]

Além das missões típicas de Batalhão de Infantaria, o 2º BG tinha como principais missões:

  • Participar dos cerimoniais militares do Comando Militar do Sudeste;
  • Participar de Operações de Controle de Distúrbios Civis (GLO);
  • Prover a segurança de instalações militares e pontos sensíveis do CMSE.

Guardas[editar | editar código-fonte]

As instalações militares sob responsabilidade do 2º BG eram as seguintes:

  • Quartel General do CMSE;
  • Residência Oficial do Comandante do CMSE;
  • Residência Oficial do Chefe do Estado Maior do CMSE;
  • Auditoria Militar;
  • Hospital geral do Exército;
  • A antiga OBAN, também conhecida como SsOP; e
  • A Sede do Batalhão no Pq Dom Pedro II.

Antes de se iniciarem as guardas, todos os militares escalados passavam por uma revista criteriosa feita pelo Of de Dia ou pelo S1 da unidade, para garantir a excelente apresentação de todo o pessoal de serviço.

Mudança de sede[editar | editar código-fonte]

No final dos anos 80, com a construção da nova sede em Osasco, foram adicionados dois serviços na rotina do Batalhão: a Guarda Mutinga e a Patrulha, ambas realizadas na área da União onde estava sendo construído o novo aquartelamento.

Em 1992 o Batalhão passou a ser transferido para a sua nova sede em Mutinga Osasco, possibilitando assim que todas as companhias ficassem em uma mesma instalação militar.

O deslocamento era feito nas viaturas do Batalhão e, durante o período de instrução básico, as guardas eram feitas pelo 2º BPE, com exceção das Guardas: Sede, Mutinga e Patrulha que ficavam sob responsabilidade do Núcleo Base do Batalhão.

Por seus impecáveis desfiles nos cerimoniais e devido a tamanha responsabilidade do Batalhão, não só nas Guardas, como também no Controle de Distúrbios Civis, o 2º Batalhão de Guardas era considerado Tropa de Choque e Elite do CMSE, motivo de orgulho de seus Oficiais e Praças.

Infelizmente, em 1995, o glorioso 2º Batalhão de Guardas teve sua extinção decretada pelo então Presidente Fernando Henrique Cardoso, deixando muitas saudades em todos os seus ex-integrantes.

Devido ao Escudo do Batalhão, os militares da Unidade eram conhecidos como Soldados Cara de Leão e tinham como lema os dizeres:

A GUARDA MORRE MAS NÃO SE RENDE!'

Ex-comandantes[editar | editar código-fonte]

  • Cel Inf Lauro Paraense de Farias;
  • Ten Cel Inf Alaor Vaz;
  • Ten Cel Inf Pedro Luis da Silva Osório;
  • Cel Inf Benedito do Carmo Pacheco de Moraes;
  • Cel Inf Órion Luiz Nascimento;
  • Cel Inf João de Araújo Ribeiro Dantas;
  • Cel Inf Sergio de Moura Pinto;
  • Cel Inf Danton Pacheco de Moraes;
  • Cel Inf Enio Teixeira de Assis e Silva;
  • Cel Inf Danillo Pedro Galiazzi Pastro;
  • Cel Inf Domingos Sávio Luz Barros;
  • Cel Inf Jorge Takashi Iamada;
  • Ten Cel Inf Archias Alves de Almeida Neto

Canção do 2º Batalhão de Guardas[editar | editar código-fonte]

Letra do professor Eneas de Castro

Música do Cabo Ronaldo Oliveiros Fernandes

Arranjo do Capitão Mario Manoel da Silva


Oh, BG guardião da esperança,

Que no céu faz a pátria sorrir,

Guarnição que nos dá segurança,

Pela fé de um risonho porvir

Juventude de audazes infantes,

Lutam sempre por seus ideais,

Tem por lema palavras vibrantes,

A guarda morre mas render-se jamais.

Salve o nosso BG destemido

Prontidão que não perde o valor

Ele sempre estará prevenido

Na defesa contra o agressor

Seu honroso passado é de glória

Que o amor pela Pátria traduz

Assim deixa teu nome na História

E no lábaro que ele conduz.

BG!

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]