4-2-4

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Football Formation - 4-2-4.png

O 4-2-4 é um esquema tático usado no futebol que consiste no esquema de usar 2 laterais, 2 zagueiros, 2 Meio-campistas e 4 atacantes e além claro do goleiro.

Foi uma revolução tática do futebol, criada pelo Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Incapazes de se adaptar a rigidez tática dos europeus, e após o maracanazo, o Brasil precisava de uma resposta tática ao esquema WM predominante no futebol.

Em 1951, Martim Francisco, então treinador do America-MG idealizou o 4-2-4, que seria usado por Vicente Feola em 1958 e traria o primeiro título mundial do futebol brasileiro. Ele recuou um volante, e liberou um dos zagueiros para sair jogando, criando assim o "quarto zagueiro".

O problema era que todo mundo usava o WM e a marcação individual era perfeita, porém o 4-2-4 fez com que os zagueiros marcassem por zona e eles não sabiam como.

Em 1962, o Brasil também atuou com este esquema[1] .

Segundo Carlos Alberto Parreira "o desequilíbrio no meio-campo logo selou seu fim."[2]

A nova história do 4-2-4 se veio, quando o entao glorioso Palmeiras ou a chamada "academia" , conseguiu com este esquema muitos títulos e encher os olhos de quem via aquele excelente time jogar. Com Leão(goleiro),e a linha dos quatro zagueiros formada por;Luis Pereira,Alfredo, Zeca, Eurico,e os meias Dudu jogando mais recuado e Ademir da Guia jogando mais avançado formava um meio de campo sensacional, e o ataque formado por Leivinha, Edu, Cézar e Nei, formava este entao time histórico q foi chamado de "academia" nao so por usar na sua tática do 4-2-4, mais sim por ser um time que tocava muito bem a bola, como o famoso tiki-taka do Barcelona de hoje.[3]

A tática dos Mágicos Magiares: 1-3-2-4[editar | editar código-fonte]

O incrível time húngaro jogava com uma formação 1-3-2-4, que se diferenciava do 4-2-4 "inventado" no Brasil apenas porque o 4o zagueiro jogava recuado, como um líbero.

Inovações[editar | editar código-fonte]

  • Criação da função "quarto-zagueiro"
  • Marcação por zona, e não mais marcação individual[4]

Referências

  1. globoesporte.globo.com/ Especial: A escola brasileira – talento e compensações táticas (Parte I)
  2. veja.abril.com.br/ Para entender a sopa de números e letras
  3. PedroPrando
  4. informaniacos.com/

Links Externos[editar | editar código-fonte]