5S

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Etapa inicial e base para implantação da qualidade total, o Programa 5S é assim chamado devido a primeira letra de 5 palavras japonesas: Seiri (utilização), Seiton (ordenação), Seiso (limpeza), Seiketsu (higiene) e Shitsuke (autodisciplina). O programa tem como objetivo mobilizar, motivar e conscientizar toda a empresa para a Qualidade Total, através da organização e da disciplina no local de trabalho.

Denominação Conceito Objetivo particular
Português Japonês
Utilização 整理, Seiri Separar o necessário do desnecessário Eliminar do espaço de trabalho o que seja inútil
Ordenação 整頓, Seiton Colocar cada coisa em seu devido lugar Organizar o espaço de trabalho de forma eficaz
Limpeza 清掃, Seisō Limpar e cuidar do ambiente de trabalho Melhorar o nível de limpeza
Saúde 清潔, Seiketsu Tornar saudável o ambiente de trabalho Prevenir o aparecimento de supérfluos e a desordem
Autodisciplina 躾, Shitsuke Rotinizar e padronizar a aplicação dos S anteriores Incentivar esforços de aprimoramento

A metodologia possibilita desenvolver um planejamento sistemático, permitindo de imediato maior produtividade, segurança, clima organizacional e motivação dos funcionários, com consequente melhoria da competitividade organizacional.

Os propósitos da metodologia 5S são de melhorar a eficiência através da destinação adequada de materiais (separar o que é necessário do desnecessário), organização, limpeza e identificação de materiais e espaços e a manutenção e melhoria do próprio 5S.

Os principais benefícios da metodologia 5S são:

  1. Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão
  2. Redução de despesas e melhor aproveitamento de materiais. A acumulação excessiva de materiais tende à degeneração
  3. Melhoria da qualidade de produtos e serviços
  4. Menos acidentes do trabalho
  5. Maior satisfação das pessoas com o trabalho

Relação com outros conceitos[editar | editar código-fonte]

Em geral, o 5S é usado com outros conceitos tais como SMED, TPM, e Just in Time. A disciplina dos 5S requer o descarte que faz parte do Seiri-utilização, "descarte" daquilo que não é mais utilizado com o propósito de obter as ferramentas e partes necessárias para a utilização. Isto é um dos princípios fundamentais do SMED, que por sua vez catalisa a produção Just in Time. O primeiro passo no TPM é a limpeza das máquinas, um dos procedimentos do 5S. Masaaki Imai inclui o uso do 5S em seu livro sobre o Kaizen.[1] Todavia estes conceitos supracitados fazem parte da filosofia "lean" (decodificação ocidental do TPS - Toyota Production System e disseminada no Brasil e no mundo por vários institutos criados a partir de profissionais que trabalharam na Toyota e participaram do desenvolvimento desta cultura que agrega valores como os do 5S, Kaizen, Nemawashi etc. para eliminar os desperdícios dos processos. No Brasil há grandes expoentes na prática do 5S de demais ferramentas orientais como o Sistema Lean de Consultores Independentes, a Honsha Consultoria e o Lean Institute Brasil que deriva diretamente do Lean Enterprise institute de John Womack, decodificador da filosofia.

Implementação[editar | editar código-fonte]

5S num contexto de negócios[editar | editar código-fonte]

A metodologia 5S foi adotada em várias organizações, desde pequenas empresas até as grandes corporações. Toda a implementação do 5S visa a melhorar a produtividade e o desempenho. Peterson, Jim & Smith, Roland dão exemplos[2] de usos do 5S no contexto de negócios. Tais organizações e seus resultados incluem:

Centro de Suporte da Hewlett-Packard
  • Melhorou os níveis de qualidade da comunicação e troca de informações
  • Redução do ciclo de treinamento para novos empregados
  • Redução de reclamações
  • Redução do tempo de atendimento por cliente
Boeing
  • Melhoria da produtividade
  • Maiores níveis de qualidade da produção
  • Maior segurança
  • Melhor desempenho

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IMAI, Masaaki (1992). Kaizen: A Estratégia para o Sucesso Competitivo, IMAM, ISBN 85-89824-33-0
  2. PETERSON, JIM & SMITH, ROLAND(1998), O Guia de Bolso do 5S, Productivity Press, ISBN 0-527-76338-1