Açoreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Açoreira  
—  Freguesia  —
Açoreira está localizado em: Portugal Continental
Açoreira
Localização de Açoreira em Portugal
41° 08' 26" N 7° 02' 19" O
País  Portugal
Concelho TMC.png Torre de Moncorvo
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 23,97 km²
População (2011)
 - Total 524
    • Densidade 21,9/km2 
Código postal 5160-011
Sítio www.arcacoreira.com

Açoreira é uma freguesia portuguesa do concelho de Torre de Moncorvo, com 23,97 km² de área e 524 habitantes (2011). Densidade: 21,9 hab/km². Açoreira, freguesia de Torre de Moncorvo, da qual dista cerca de oito quilómetros, abrange uma área de 2.397 hectares e situa-se numa elevação semiplanáltica do Reboredo. De solo muito acidentado com muitas elevações, onde predomina o xisto, as encostas e terrenos precipitam-se em direcção a vários cursos de água como a ribeira da Gricha, a ribeira da Fonte das Pingas, a ribeira de Casa Sós e a ribeira de Cano Velho, todas elas afluentes de uma maior de seu nome “Ribeira”.

Tem como freguesias limítrofes Felgueiras, Maçores, Urros, Peredo dos Castelhanos, Moncorvo, Foz Côa e inclui uma anexa denominada Sequeiros que fica a uma distância de três quilómetros.

São vários os estudos e as explicações dadas para a origem do nome de Açoreira, por exemplo, em vários documentos, desde o Séc.VIII até ao Séc.XII, o nome da freguesia aparece escrito de duas formas, “Assoreira ou Assureira”, que, na altura significava “matas”, “devesas”ou “moutas”. Outras fontes defendem que a palavra Açoreira deriva de Assoeira que significava imagem pintada ou esculpida ou ainda terra que produzia “nespas”. Alguns autores, com algum fundamento, recorrem ao “Portugalie Moimenta Histórica”, lembrando que, nas Ordenações de D.Duarte, Açoreiros era o nome dado aos homens encarregados dos Açores para caçar. Na opinião do povo, este nome deve-se ao facto de existir, noutros tempos, uma Quinteira que vendia soro. Nessa altura, as pessoas das aldeias vizinhas vinham comprar soro à aldeia e com o passar do tempo, a frase “Vamos à Xoreira” repetiu-se continuamente, pelo que talvez tenha sido esta incorrecção linguística a dar o nome à aldeia.

Segundo fontes históricas, devia existir, onde se situa hoje o povoado desde tempos muito remotos e como prova disso existem vestígios de fortificações castrejas e restos de povoações como a Volta de Castra, que nos reportam para épocas celtas ou até mesmo anterior, uma vez que apareceram na zona machados de pedra e uma lucerna de bronze.

Segundo José Leite de Vasconcelos, em “Religiões da Lusitânia”, na povoação, concelho de Moncorvo “apareceu uma berroazinha, como o povo lhe chama, de granito e já muito esmurrada. É muito pequena, com trinta e dois centímetros de comprimento e de circunferência abdominal de quarenta e quatro centímetros, encontrando-se actualmente no Museu Etnológico Português, facto que vem fundamentar uma das teses sobre o topónimo Açoreira”.

Mais tarde Açoreira viveu sob a dominação germânica e posteriormente sentiu a presença árabe, daí serem numerosas as lendas bem como os versos alusivos às Mouras Encantadas.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Património[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.