ALCO S-1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alco S-1
Alco S-1
ALCO S1 ex-EFCB nº3003
Propulsão Diesel-Elétrica
Fabricante American Locomotive Company
Montreal Locomotive Works
Modelo S-1
Ano de fabricação 1943
Locomotivas fabricadas 5/550
Classificação AAR B-B
Tipo de Serviço Manobras
Bitola 1600 mm
Tipo de Truques Blunt truck
Diâmetro das rodas 40”
Distância entre eixos 2.438 mm
Comprimento 12.500 mm
Largura 3.050 mm
Altura 4.420 mm
Peso da locomotiva 99.000 kg
Peso por eixo 24.750 kg
Peso aderente 99.000 kg
Tipo de combustível Diesel
Capacidade de combustível 2.400 l
Eletrificação Corrente Continua
Fabricante do motor Alco
Tipo de motor 6 Cilindros em linha, Aspirado
Alternador G.E. GT-552A4
Motores de tração G.E. GE-731D3
Tamanho dos cilindros 3.175mm x 3.048mm
Velocidade máxima 100 km/h
Potência disponível para tração 660 hp
Esforço de tração 13,230 kgf
Raio mínimo de inscrição 15,24m (1.435mm)
29m (1.600mm)
Freios da locomotiva Wabco
Sistema de freio 14EL
Ferrovias Originais EFCB
Ferrovias que operou RFFSA-EFCB
Classe designada na ferrovia B-B
Número de locomotivas na classe 3000’s
Apelidos Cotó
Local de operação Rio de Janeiro
Ano da entrada em serviço 1943
Ano da saída do serviço RFFSA
Situação Uma unidade preservada.

A ALCO S-1 foi uma manobreira Diesel Eletrica de 660Hp produzida pela ALCO e sua subsidiária canadense Montreal Locomotive Works (MLW) Equipada com o motor M539, que a Alco apresentou-o em duas versões, com 660Hp e 100Hp; Um com sopradores do tipo aspirado e o outro com um turbo compressor de 1000Hp, foram concebidas duas locomotivas de manobra para serem equipadas com tais motores, a S-1 e S-2. No Brasil a Estrada de Ferro Central do Brasil adquiriu cinco unidades do modelo S-1 para manobras. A S-1 foi a primeira da Série-S, que fez muito sucesso em todo mundo aliando confiabilidade da mecânica Alco com as partes elétricas GE. Toda parte elétrica da máquina é fornecida pela GE numa parceria que estas empresas fizeram, onde a Alco construía a máquina e fornecia o motor diesel e a GE material elétrico.Somente tal união era capaz de concorrer em igualdade com a GM-EMD. Esta parceria só seria rompida em 1953 pela GE, quando esta conseguiu desenvolver o motor diesel FDL, em produção até os dias de hoje. A S-1 fo produzida entre Abril de 1940 e Junho de 1950, com um total de 540 fabricadas. A S-1 evoluiu para S-3, que também possui 660Hp, mas é equipada com truques padronizados "AAR type A switcher trucks", enquanto a S-1 rodava sobre truques Blunt, que recebe este nome pelo seu designer, um empregado da própria Alco.

Alco S-1 no Brasil[editar | editar código-fonte]

As Alco S-1 recebidas pela Central do Brasil chegaram em 1943 exatamente iguais as suas irmãs norte-americanas, mas devido com o calor do Brasil, principalmente com por operarem na região do Rio de Janeiro, com temperaturas médias muito mais elevadas que as para qual foram projetadas para operar começaram a apresentar problemas de super-aquecimento, o que levou a Central do Brasil a efetuar pequenas reformas nelas. Tais reformas após efetuadas resultaram em pequenas diferenças as demais Alco S-1 sendo denominadas Alco S-1 Modernizadas por alguns. Entre estas diferenças estão o exaustor de gases do motor com comprimento alongado e perfil quadrado e não redondo, as grades dos radiadores laterias maiores, semelhantes as do modelo S-2 de maior potência e a grade do ventilador superior redonda, semelhante as das Alco FA-1 em contraponto a tradicional grade quadrada.

S-1 no Brasil[editar | editar código-fonte]

Ferrovia Quantidade Numeração Notas
Estrada de Ferro Central do Brasil
5
3001–3005
3003 preservada