AMD

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Advanced Micro Devices, Inc.
Logomarca da AMD
Slogan "The future is fusion"
Tipo Pública (NYSE)
Indústria Semicondutores
Fundação 1969
Fundador(es) W. Jerry Sanders III, Edwin J. Turney
Sede One AMD Place, Sunnyvale, Califórnia, E.U.A.
Áreas servidas Mundo
Pessoas-chave Bruce Claflin (Presidente do conselho), Thomas Seifert (Presidente executivo)
Empregados 11000 (2010)[1]
Produtos Microprocessadores
Chipsets
Aceleradores gráficos
Sintonizadores de TV
Ativos Baixa US$ 4.964 bilhões (2010)
Lucro Aumento US$ 471 milhões (2010)
LAJIR Aumento US$ 848 milhões (2010)
Faturamento Aumento US$ 6.494 bilhões (2010)[1]
Renda líquida Aumento US$ 1.013 bilhões (2010)
Página oficial www.amd.com

A AMD (Advanced Micro Devices) (ou em Tradução literal: Micro Dispositivos Avançados) é uma empresa norte-americana fabricante de circuitos integrados, especialmente processadores. Seus produtos concorrem diretamente com os processadores fabricados pela Intel. Seu produto mais famoso na década de 1990 foi o processador Athlon, utilizado em computadores pessoais.

Mais conhecida por seus processadores x86 e x86-64; K5, K6-II, K6-III, Athlon, Duron, Sempron, Athlon 64 (arquitetura de 64 bits), Sempron 64 (também com arquitetura de 64 bits), Opteron (para servidores) e Turion 64 (para notebooks), a AMD também fabrica circuitos de uso mais geral, como os encontrados em uma calculadora e dispositivos eletrônicos. Alguns de seus circuitos são encontrados também entre os usados pela Apple em seus novos produtos, como o Mac mini.

A AMD também passou a fabricar processadores gráficos, após eliminar a marca ATI Technologies, passando a chamar somente AMD.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Processador AMD 8080 (AMD Am9080ADC / C8080A), 1977

A AMD começou a produzir circuitos lógicos em 1969, em 1975 ingressou no mercado de circuitos integrados para memórias RAM. Nesse mesmo ano também foi introduzido no mercado um microprocessador clone do Intel 8080, usando de engenharia reversa para tal. A AMD também produzia outros tipos de circuitos integrados para uso em minicomputadores de arquiteturas variadas.

Houve várias tentativas de diversificar seus produtos, atingindo áreas da arquitetura RISC (com o processador AMD 29K), dispositivos de áudio e vídeo e memórias flash. Nem todos esses ramos de produtos atingiram a rentabilidade esperada, portanto a AMD focou seus esforços nos mercados de processadores de arquitetura x86 e memórias flash, que eram respectivamente os mercados principal e secundário da Intel na época, colocando AMD e Intel em concorrência direta.

Em 24 de Julho de 2006 a AMD compra a ATI Technologies, uma das maiores fabricantes mundiais de placas gráficas, num investimento calculado em 5400 milhões de dólares americanos. Esta quantia inclui 4200 milhões de dólares americanos, incluindo 2000 milhões conseguidos através de um empréstimo, além de 56 milhões de ações da AMD.

K5[editar | editar código-fonte]

A primeira tecnologia desenvolvida pela AMD foi o processador K5 (com K de Kryptonite) que foi lançado em 1995, concorrente direto do Pentium (Pentium 1 ou 586), lançado em 1993. A arquitetura do K5 era muito semelhante a do Cyrix 6x86 e Pentium Pro xx.

K6 / K6-II / K6-III[editar | editar código-fonte]

AMD K6-2

Em 1996 a AMD comprou a NexGen, empresa fundada por ex-engenheiros da Intel e que tinha direito de uso da tecnologia Nx da série x86 da Intel. A tecnologia adquirida por meio da NexGen possibilitou o desenvolvimento dos processadores K6, agora com unidade de ponto flutuante integrada, item que não fazia parte da geração K5. O K6, que já apresentava instruções compatíveis com MMX. Em sua segunda versão, o K6-2, o processador recebeu novas instruções multimédia desenvolvidas pela AMD, chamadas de (3DNow!). O K6-2 também recebeu um novo padrão de socket que aumentava de 66 para 100 MHz o Clock externo possível ao processador. Fez parte da família o K6 III que tinha embutido no die um cache L2 de 256KiB na mesma frequência do processador, com esse lançamento foi dado uma sobrevida a família K6 até que a AMD lançasse o K7, também foi lançado o K6-II+ e o K6-III+ que eram versões para notebooks.

Athlon (K7)[editar | editar código-fonte]

A maior inovação da geração Athlon(K7) foi a unidade de ponto flutuante, junto com a microarquitetura geral. Eles também examinaram a arquitetura interna do Intel P7 e otimizaram o projeto da Intel, aumentando a sua performance. No final, a equipe da AMD conseguiu um processador com performance 35% maior que o Intel de mesmo clock. Essas características contribuíram para um aumento da participação de mercado da empresa.

A nova linha de processadores K7 (AthlonXP) contava com uma nova subarquitetura, denominada Palomino, a qual já dispunha de cache L2 dentro do chip e compatibilidade com as instruções multimídia SSE (desenvolvidas pela Intel), entre outras melhorias e correções. Causando um aumento de performance geral em 10%. O preço para esta conquista foi um aumento de temperatura do processador, a qual só era corrigida com coolers potentes (e que muitas das vezes custavam caro). Houve ainda mais uma subarquitetura, denominada Barton, com cache P-7 de 512KB, o que manteve os duron competitivos no mercado de processadores de ponta.

O Athlon foi desenvolvido entre 1999 e 2005. Ele possui uma frequência de 500 MHz a 2333 MHz. Foi desenvolvido por uma combinação de engenheiros da AMD e da antiga DEC, sendo uma junção de ambas as tecnologias. É um microprocessador que codifica instruções x86 em seu tempo de execução.

Duron[editar | editar código-fonte]

AMD Duron 600

Duron é o nome do processador compatível com x86 fabricado pela AMD. Foi lançado no dia 19 de junho de 2004 como uma alternativa de baixo custo ao próprio Athlon, assim como a "rival" Intel o faz com o processador Celeron. A linha Duron foi descontinuada em 2006.

Sempron[editar | editar código-fonte]

AMD Sempron 3000+

Os processadores Semprons foram lançados com o objetivo de substituir a linha Duron (socket 462, popularmente conhecido como socket A). Uma vantagem do Sempron de Socket A sobre Duron é que o núcleo dele é de 130 nm (nanômetros) mesmo nas versões de baixo clock, ou seja, os transístores dele são menores dos que alguns Durons (o Sempron foi baseado na linha Througbred B do Athlon XP) tinham nas versões menos potentes, que eram de 180 nm. Isso fazia o Sempron de Socket 462 ser mais eficiente e esquentar menos do que os Athlons XP e Durons de mesmo clock. Além dos Semprons socket 462/A, foram lançados também os Semprons Socket 754, que herdam a mesma arquitetura dos Athlons 64 (K8). O que diferencia o Athlon do Sempron, é apenas a velocidade (clock) e o tamanho da cache, que são maiores nos Athlons. No dia 23 de Maio de 2006 foram lançados os Semprons de socket AM2, que traziam como principal novidade, o suporte a segunda geração de memórias DDR, a DDR2. Este socket possui 940 pinos e transístores de 90 nm.

Athlon XP/MP[editar | editar código-fonte]

O Athlon XP, devido a um estratégia de marketing, usou um sistema chamado "PR rating", que compara seu desempenho com o de um Athlon Thunderbird. Devido ao Athlon XP processar mais intruções por clock (IPC) que o Pentium 4 (e aproximadamente 10% mais que um Thunderbird), ele é mais eficiente; o processador apresenta o mesmo nível de performance a uma frequência significativamente menor. Também, ao contrário dos Athlons anteriores, este processador foi disponibilizado em uma forma que oficialmente suporta processamento dual, conhecido como Athlon MP.[1]

AMD64 (K8)[editar | editar código-fonte]

AMD Athlon 64 3400+

Os AMD64 (K8) são uma evolução da arquitetura K7, onde a mudança mais perceptível é a inclusão de instruções 64 bits na “base x86” e a inclusão do controlador de memória RAM no próprio chip ao invés da controladora (ponte norte) da placa mãe, este um dos grandes responsáveis pelo grande ganho de desempenho de processamento no acesso à memória. Com isso a AMD gera seus próprios padrões de mercado, desenvolvendo e padronizando as instruções 64 bits (AMD64). O AMD Opteron é a versão para servidor do processador K8. Com isso o AMD Opteron compete atualmente com os Intel Xeon.

Há 5 famílias de processadores com tecnologia AMD64:

Athlon 64[editar | editar código-fonte]

É o processador básico desta arquitetura. Essa série existe em 3 soquetes, 754, 939 e AM2. O que os diferencia é a capacidade de acesso a RAM, o primeiro usa single-channel, já no 939 o acesso à memória é dual-channel (3.200mbits/s por canal) e nos AM2 o acesso é com tecnologia DDR2 dual-channel.

Athlon 64 X2[editar | editar código-fonte]

Essa família tem as mesmas características da anterior, mas cada processador possui dois núcleos (dual-core). Essa família foi lançada nas versões para soquete 939 e AM2.

Athlon 64 FX[editar | editar código-fonte]

Também conhecido por AMD FX, essa é a série extrema dos processadores AMD 64. Possui o multiplicador destravado, o que a torna ideal para overclock. Houve revisões e melhorias na arquitetura, o clock do sistema foi elevado e o cache interno (L2) é de 1 Megabyte por núcleo. Foram lançadas versões para soquete 940, 939, AM2, AM2+ e F. Mais tarde , foi lancado aos soquetes AM3 e AM3+ (Juntamente com o Sempron 145, um modelo de entrada de gama), ambos compatíveis entre si. No Guiness, há recordes para tudo. É aí que o FX entra: O processador AMD FX-8150 (8 núcleos e 8 threads) possui o recorde mundial de overclock (Aproximadamente 8,5 GHz). Apesar desta gama ser apelativa, as placas-mãe com esse soquete não têm PCI Express 3.0, pelo que não será fácil encontrar gráficas boas sem usar este slot.

Turion 64[editar | editar código-fonte]

AMD Turion 64 X2

Uma série de processadores com tecnologia AMD64, voltada para notebooks. Contendo um núcleo, estes processadores foram criados para concorrer diretamente com o Pentium DualCore, da rival Intel.

Turion 64 X2[editar | editar código-fonte]

Uma série de processadores com tecnologia AMD64 e com dois núcleos de processamento. Voltado para notebooks, foi lançado para concorrer com o Core 2 Duo da Intel. Possui ainda uma linha de extremo desempenho, chamado de Turion 64 X2 Ultra, que além de clocks mais altos possuía 2MB de cache L2 que possibilitava maior rapidez em tarefas diárias.

Phenom (K10)[editar | editar código-fonte]

Nova série de processadores de alto desempenho da AMD. Atualmente se encontra no mercado processadores de 2, 3, 4 e 6 núcleos, conhecidos como Phenom X3 e X4 ,e Phenom IIX2 ,Phenom IIX3, Phenom IIX4, Phenom IIX6. Diferente das outras linhas de chips, como o Athlon 64 e 64 X2, possui cache L3 de 2MB, 4MB ou 6MB. Teve sua plataforma e arquitetura drasticamente modificadas, e já possui sua versão FX, com multiplicador destravado. Esses processadores usam soquetes AM2+ ou AM3, também funcionam no AM2, mas com perda de algumas vantagens no desempenho e na economia de energia.== Phenom (K10) == uarda faix

Bulldozer[editar | editar código-fonte]

Nova arquitetura de processadores lançada em 2011 pela AMD. Deverá dissipar entre 10 e 100 Watts, ter um módulo com dois núcleos cada, cache L2 compartilhado entre os núcleos do mesmo módulo e cache L3 compartilhado entre todos os módulos. Cada módulo compartilhará alguns recursos, reduzindo custos e consumo de energia. Trará finalmente as instruções SSE4, AVX (o que seriam as instruções SSE5) e outras.

Parcerias[editar | editar código-fonte]

Uma das grandes vantagens de mercado à disposição da AMD são seus contratos de parceria com outros fabricantes de circuitos integrados, como a nVidia. O chipset de controle da nVidia, por exemplo, gerou lucros substanciais a ambas empresas: a AMD produz os processadores e a nVidia produz os chipsets com alta performance e suporte a recursos avançados dos processadores AMD, como o HyperTransport, em seu chipset nForce3. A AMD também fechou acordos com a IBM, proprietária da tecnologia 90 nm, para produzir chips sob essa tecnologia, diminuindo a temperatura de seus processadores. A AMD também tem parcerias com a apple e seus processadores x86 e x86-64 foram modificados em 2007 e acabou sendo vendidos como produtos da apple. AMD tem parcerias no Brasil com a Unicamp mas ainda vê o Brasil com pouco potencial nessa área, apesar disso ela pretende estabelecer parcerias e relacionamentos a curto prazo, explica o presidente da AMD no Brasil, Reinaldo Fernandes.

Referências

  1. a b About AMD AMD.
  2. Guia do hardware (30 de agosto de 2010). AMD elimina a marca 'ATI'. Página visitada em 22 de maio de 2011.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre AMD