AR-15

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo.
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Editor: considere colocar o mês e o ano da marcação. Isso pode ser feito automaticamente, substituindo esta predefinição por {{subst:rec}}
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
AR-15
Stag2wi.jpg
Tipo Carabina
Local de origem Estados Unidos Flag of the United States.svg
História operacional
Em serviço 1958-act
Histórico de produção
Criador Eugene Stoner
Data de criação 1957
Especificações
Peso 2,27 - 3,39kg
Calibre 5.56 × 45 mm
Cadência de tiro 800 tiros/min
Velocidade de saída 975 m/s
Alcance efetivo 550 m

A AR-15 é uma carabina desenvolvida pela Armalite e depois vendida para a Colt, que a lançou sob o nome de fuzil M16, conseguiu sua adoção pelo exército dos Estados Unidos, sendo que foram realizadas modificações no projeto original, ampliando sua precisão e confiabilidade, até chegar ao atual rifle de assalto M4A1.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Desenvolvido no inicio dos anos 1950, o AR-15 deve a sua existência a estudos realizados que comprovaram que o melhor cartucho militar seria algo como um .22 de alta velocidade. Com base nesse estudo, o exército americano pediu à Armalite (uma divisão da Fairchild Aviation) em 1957, para criar um fuzil de calibre .22 capaz de penetrar um capacete de aço a 500 metros. O projecto foi deixado a cargo de Eugene Stoner; nesse mesmo ano, a Armalite associou-se à a Remingtom para criar um novo cartucho de munição com base nos .222 Remington e .222 Remington Magnum (ambos cartuchos de caça). Desenvolveram o .222 Remington Especial, que foi lançado comercialmente como .223 Remington e com código militar M193 (conhecida no Brasil como 556 (5,56x45mm)). No ano seguinte, a Armalite entregou modelos do seu novo fuzil (que nada era além de seu AR-10 com o novo calibre) ao exército dos Estados Unidos, para testes.

Parecia que a arma de Stoner estava fadada ao fracasso. Porém, em 1960, a Colt Manufacturing Company comprou os direitos de produção e patente. A Colt deu um novo fôlego ao fuzil, e, nesse mesmo ano, Stoner juntou-se a Colt.

O M16 é um AR-15 com ligeiras modificações. É normal confundir as armas: habitualmente, denominam-se por AR-15 os fuzis para mercado civil - que são limitadas a fogo semi-automático. Existem diversas versões do M16 as mais comuns são:

M16 arma que nada é alem de um AR-15 com um novo nome M16A1, que foi usado na guerra do Vietnã pelas forças americanas, essa podia disparar em modo semi-automático e automático e nessa versão foi introduzido um dispositivo que auxilia o trancamento da cabeça do ferrolho;

M16A2 arma padrão do exército americano no dias de hoje é limitada a rajada de 3 tiros e fogo semi-automático; Os M16A3 e A4 são apenas um M16A2 que pode disparar em modo automático e outro limitado a rajada de 3 tiros, que possuem alça removível.

O AR-15 /M16 é uma das armas mais populares do mundo, ao lado dos FAL belga (utilizado pelo exército brasileiro), HK G3 alemão e pelo AK-47 russo. Ela é considerada como uma das melhores armas do mundo, sendo, dos 4 mais populares, porém recebendo críticas em relação à sua confiabilidade - em média, trava após 3000 disparos, enquanto a média do rifle de assalto, o AK-47, é de 10.000 disparos.A munição M193 utilizava uma pólvora que tendia a acumular-se; daí os primeiros M16/AR-15 travavam com imensa facilidade. Por esse motivo, a OTAN padronizou outra versão da .223 conhecida como SS109 que é mais precisa, com melhor poder de incapacitação e com uma pólvora que não tende a se acumular.

Referências

  1. M-16 Rifle also called AR-15. Página visitada em 15 de maio de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre AR-15