ASP World Tour

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O ASP World Tour (Circuito Mundial de Surfe) é uma liga profissional de surfe. É organizada pela Association of Surfing Professionals.

História[editar | editar código-fonte]

WCT significa "World Championship Tour", mas também é chamado de "Circuito Mundial" ou "Divisão de Elite Mundial". Ele começou em 1992, quando a ASP (Associação dos Surfistas Profissionais) decidiu dividir o Circuito Mundial em duas divisões (WCT/WQS). O australiano Peter Townsend foi o primeiro a vencer um Círcuito Mundial, quando este ainda era unificado, em 1976.

Organização[editar | editar código-fonte]

No WCT competem apenas os 36 melhores surfistas do mundo, seguindo este critério de classificação:

  • Os 22 primeiros colocados no ranking ao fim da temporada asseguram a permanência para o ano seguinte.
  • Três surfistas recebem os “wild card”, ou seja, convites, por terem se machucado e, com isso, terem ficado de fora de algumas etapas.
  • Dez surfistas se classificam através do ranking do circuito acesso, o WQS.

Faz alguns anos, foi criada a "Etapa Móvel", em que um ex-militar francês viaja o Mundo todo em busca de ondas perfeitas; a que ele selecionar, irá ser uma atração do WCT, mas só em uma Temporada. Para 2007 foi escolhida Arica, no Chile.

Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Nome País
1976 Peter Townend  Austrália
1977 Shaun Tomson África do Sul
1978 Wayne Bartholomew  Austrália
1979 Mark Richards  Austrália
1980 Mark Richards  Austrália
1981 Mark Richards  Austrália
1982 Mark Richards  Austrália
1983 Tom Carroll  Austrália
1984 Tom Carroll  Austrália
1985 Tom Curren  Estados Unidos
1986 Tom Curren  Estados Unidos
1987 Damien Hardman  Austrália
1988 Barton Lynch  Austrália
1989 Martin Potter  Reino Unido
1990 Tom Curren  Estados Unidos
1991 Damien Hardman  Austrália
1992 Kelly Slater  Estados Unidos
1993 Derek Ho Havaí Hawaii
1994 Kelly Slater  Estados Unidos
1995 Kelly Slater  Estados Unidos
1996 Kelly Slater  Estados Unidos
1997 Kelly Slater  Estados Unidos
1998 Kelly Slater  Estados Unidos
1999 Mark Occhilupo  Austrália
2000 Sunny Garcia Havaí Hawaii
2001 C.J Hobgood  Estados Unidos
2002 Andy Irons Havaí Hawaii
2003 Andy Irons Havaí Hawaii
2004 Andy Irons Havaí Hawaii
2005 Kelly Slater  Estados Unidos
2006 Kelly Slater  Estados Unidos
2007 Mick Fanning  Austrália
2008 Kelly Slater  Estados Unidos
2009 Mick Fanning  Austrália
2010 Kelly Slater  Estados Unidos
2011 Kelly Slater  Estados Unidos
2012 Joel Parkinson  Austrália
2013 Mick Fanning  Austrália

Fonte: [1]

WCT no Brasil[editar | editar código-fonte]

A história do WCT no Brasil conta com nomes como Fábio Gouveia, Teco Padaratz, Guilherme Herdy, Renan Rocha, Jihad Khorder e outos, que foram os primeiros a brilharem no mundial, abrindo portas para nomes como Neco Padaratz, Peterson Rosa e Victor Ribas, que, em 1999, terminou o WCT na terceira posição, a melhor colocação de um brasileiro na história.O Brasil entrou no calendário mundial do surf em 1986, e o primeiro vencedor de uma etapa no Brasil foi o australiano Dave Macaulay, na Praia da Joaquina, em Florianópolis, Santa Catarina. A primeira vitória verde-amarela em uma etapa brasileira veio em 1990, com Fábio Gouveia, na Praia de Pitangueiras, no Guarujá, São Paulo. Teco Padaratz conquistou a segunda vitória para o Brasil em casa, em 1991, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, que se tornou a sede no ano anterior. Em 1998, já com o Circuito Mundial dividido em divisão de elite (WCT) e de acesso (WQS), foi a vez de Peterson Rosa erguer a taça da etapa. A Barra da Tijuca, no Rio, foi a sede da etapa durante 12 temporadas e suas ondas deram três títulos mundiais: a Kelly Slater, em 1992, a Mark Occhilupo, em 1999, e a Sunny Garcia, em 2000. A etapa saiu da capital carioca em 2002 e foi para a Praia de Itaúna, conhecida como o “Maracanã do surfe”. Mas, lá, ficou apenas uma temporada. No ano seguinte, Teco Padaratz comprou os direitos da etapa e a levou para sua terra, Santa Catarina. Nos três primeiros anos, o palco principal era na Praia da Joaquina. Deste, foi transferido para a Praia da Vila, em Imbituba, que nos três anos salvou o campeonato, já que as ondas na capital catarinense decepcionaram. Em 2011, a etapa do WCT no Brasil voltou a ser exibida no Rio de Janeiro, tendo como sede novamente, depois de 10 anos, a Barra da Tijuca. Em em 2014 mais um brasileiro assumiu o primeiro lugar da competição. Desta vez Gabriel Medina e na Austrália, que derrotou o surfista local Joel Parkinson.

Vencedores da etapa brasileira

2014 ASP World Tour[editar | editar código-fonte]

Competição masculina[editar | editar código-fonte]

Calendário de provas[editar | editar código-fonte]

Data Local País Evento Vencedor Runner-up
01 de Março-12 de Março Gold Coast, Queensland  Austrália Quiksilver Pro Gold Coast Brasil Gabriel Medina Austrália Joel Parkinsom [1]
02 de Abril-13 de Abril Margaret River, Western Australia  Austrália Drug Aware Margaret River Pro Polinésia Francesa Michel Bourez Austrália Josh Kerr [2]
16 de Abril-27 de Abril Toquay, Victoria  Austrália Rip Curl Pro Bells Beach Austrália Mick Fanning Austrália Taj Burrow [3]
07 de Maio-18 de Maio Rio de Janeiro  Brasil Billabong Rio Pro Polinésia Francesa Michel Bourez Estados Unidos Kolohe Andino [4]
01 de Junho-13 de Junho Namotu, Tavarua Fiji Fiji Pro Brasil Gabriel Medina Estados Unidos Nat Young [5]
10 de Julho-21 de Julho Jeffreys Bay África do Sul J-Bay Open
15 de Agosto-26 de Agosto Taiarapu, Teahupoo Polinésia Francesa Billabong Pro Teahupo Gabriel Medina
09 de Setembro-20 de Setembro San Clemente, Califórnia  Estados Unidos Hurley Pro at Trestles
25 de Setembro-06 de Outubro Landes, South West Coast  França Quiksilver Pro France
12 de Outubro–23 de Outubro Peniche  Portugal Mouche Rip Curl Pro Portugal
08 de Dezembro-20 de Dezembro Banzai Pipeline, Oahu Havaí Hawaii Billabong Pipeline Masters

(*) Necessário wildcard

Fonte:[2]

Classificação atual[editar | editar código-fonte]

Fonte:[3]

Posição Nome País Pontos
1
Gabriel Medina  Brasil 46,150
2
Kelly Slater  Estados Unidos 38,350
3
Joel Parkinson  Austrália 36,150
4
Michel Bourez Polinésia Francesa 34,500
5
Mick Fanning  Austrália 34,400
6
Taj Burrow  Austrália 33,700
7
Adriano de Souza  Brasil 30,600
8
Kolohe Andino  Estados Unidos 27,700
9
Nat Young  Estados Unidos 27,650
10
Owen Wright  Austrália 24,900

|}[4]

Competição feminina[editar | editar código-fonte]

Calendário de provas[editar | editar código-fonte]

Data Local País Evento Vencedora Runner-up Prêmio Report
26 de Fevereiro-9 de Março Gold Coast  Austrália Roxy Pro Havaí Carissa Moore Austrália Tyler Wright $110,000 Report
9 de Abril-25 de Abril Bells Beach  Austrália Rip Curl Women's Pro Austrália Sally Fitzgibbons Havaí Carissa Moore $110,000 Report
27 de Abril-01 de Maio Taranaki  Nova Zelândia Subaru Pro TSB Bank Women's Surf Festival Austrália Sally Fitzgibbons Havaí Carissa Moore $100,000 Report
03 de Maio-08 de Maio Dee Why, New South Wales  Austrália Commonwealth Bank Beachley Classic Havaí Carissa Moore Peru Sofia Mulanovich $140,000 Report
12 de Maio-16 de Maio Rio de Janeiro  Brasil Billabong Rio Pro Havaí Carissa Moore Austrália Sally Fitzgibbons $120,000 Report
01 de Julho-17 de Julho Biarritz  França Roxy Pro Austrália Stephanie Gilmore Havaí Carissa Moore $110,000 Report
01 de Agosto-06 de Agosto Huntington Beach  Estados Unidos U.S. Open of Surfing Austrália Sally Fitzgibbons Estados Unidos Lakey Peterson $110,000 Report

Fonte

Classificação atual[editar | editar código-fonte]
Classificação Nome País Pontos
1 Carissa Moore Havaí Hawaii 55,000
2 Sally Fitzgibbons  Austrália 51,650
3 Stephanie Gilmore  Austrália 40,550
4 Tyler Wright  Austrália 34,620
5 Silvana Lima  Brasil 33,120
6 Coco Ho Havaí Hawaii 33,000
7 Sofia Mulanovich  Peru 31,200
8 Courtney Conlogue  Estados Unidos 30,400
9 Pauline Ado  França 26,825
10 Laura Enever  Austrália 24,575

Fonte

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]