ATR-72

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Setembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.



ATR-72
New Zealand PW-51.svg
ATR-72-200 - Grande parte das unidades das Séries 100 e 200 do ATR-72 ainda estão operando.
Descrição
Tipo Avião comercial
Fabricante ATR
País de Origem  França
 Itália
Primeiro voo 27 de outubro de 1988 (25 anos)
Introdução 27 de outubro de 1989 com a Finnair
Capacidade de
passageiros
Até 74 passageiros
Capacidade de
carga
7 500 kg (16 500 lb)
Dimensões
Comprimento 27,17 metros
Envergadura 27,05 metros
Altura 7,65 metros
Área (asas) 61 m²
Pesos
Peso vazio (Tara) 13010 kg
Peso máx. decolagem 22800 kg
Propulsão
Motorização 2x turboélices Pratt & Whitney Canada PW127F
Potência 2 475 hp (1 850 kW)
Performance
Velocidade máxima 511 km/h
Razão de subida 6,88 m/s
Altitude máxima 7620 metros
Alcance (MTOW) 1528 km
Notas
Dados da Wikipédia anglófona - ATR 72-600


O ATR-72 é uma moderna aeronave comercial bimotor pressurizada de médio porte e propulsão turboélice, com asas altas e com capacidade para transportar 68 passageiros (configuração de média densidade) ou 72 passageiros (configuração de alta densidade) em viagens intermunicipais e interestaduais, desenvolvida e fabricada em larga escala na França a partir da década de 1980 pela ATR - Avions de Transport Régional, que utilizou como base para sua criação o projeto do turboélice de porte médio ATR-42, do mesmo fabricante[1] [2]

Basicamente, o ATR-72 é o resultado de pesquisa e desenvolvimento em conjunto de grandes fabricantes de vários países europeus, principalmente da França e da Itália.

Características[editar | editar código-fonte]

Desde sua origem, o projeto do ATR-72 está voltado principalmente para a utilização da aeronave no mercado civil de transporte aéreo regional de passageiros, em rotas intermunicipais e interestaduais, e conta com as características necessárias de robustez estrutural e conforto para atender às necessidades de companhias aéreas por um tipo de equipamento para a operação economicamente viável e segura em pequenas e médias cidades, geralmente com infraestrutura menos sofisticada que a infraestrutura oferecida nos grandes aeroportos internacionais das grandes cidades.

O ATR-72, com configuração opcional confortável de 64 assentos (baixa densidade) é largamente utilizado no Brasil e em outros países, principalmente pelas companhias aéreas regionais e o seu principal concorrente é o Q-400 da De Havilland Canada, de propriedade da Bombardier Aerospace[3] [4]

O ATR-72 (maior) e o ATR-42 (menor) fazem parte da família ATR.

Mercado[editar | editar código-fonte]

O ATR-72 foi projetado especialmente para atender pedidos de companhias aéreas regionais por um tipo de equipamento adaptado para operação em pistas de pouso com menos de 1.850 metros de comprimento, com procedimentos de decolagem e aproximação mais complicados. Praticamente todas as aeronaves turboélice modernas têm mais potência estática (tração estática) que aeronaves a jato de mesmo tamanho e peso máximo de decolagem.[5] [6]

Entretanto, do ponto de vista econômico, em rotas de mais de 750 quilômetros, aeronaves com motorização turbofan (como o ERJ-190 da Embraer, por exemplo) são mais vantajosas que as aeronaves turboélice regionais atuais, pois são mais velozes e têm produtividade maior, em função justamente da velocidade de cruzeiro maior.

A Aerospatiale da França, a Daimler da Alemanha e a CASA da Espanha são respeitáveis integrantes do consórcio Airbus Group (conhecido anteriormente como EADS), mais conhecido como a corporação proprietária da tradicional fabricante de jatos comerciais para transporte de passageiros Airbus, do veículo lançador de satélites ARIANE e dos helicópteros EC-120 Colibri, EC-130 e EC-135 produzidos pela Eurocopter, todo eles com rotor de cauda Fenestron, e pelo AS-350 Esquilo, fabricado no Brasil pela Helibras, entre outros modelos.

A Airbus Group é sócia da empresa italiana Alenia (uma subsidiária do conglomerado italiano Finmeccanica) na empresa ATR - Avions de Transport Régional, que fabrica o ATR-72 em Toulouse.

O ATR-72 tem uma porta de carga na lateral esquerda dianteira da fuselagem que serve para introdução facilitada e rápida de encomendas por pequenos conteineres ou paletes, cujo importante complemento no faturamento de companhias aéreas regionais nesse tipo de serviço de transporte expresso melhora as suas receitas para cobrir os seus custos operacionais e despesas administrativas.

O ATR-72 começou a ser produzido no início da década de 1980, e desde então mais de 600 unidades foram fabricadas e vendidas, inclusive para operadores brasileiros.

Um avião desse modelo caiu em Taiwan em 23 de julho de 2014 matando 47 pessoas.

Operadores brasileiros[editar | editar código-fonte]

ATR 72-500, Air Dolomiti

O ATR-72 no Brasil é utilizado pela Passaredo Linhas Aéreas, Trip Linhas Aéreas e a Azul Linhas Aéreas.[7]

Companhia Quantidade
AzulTrip S/A 52 + 44 pedidos + 10 opções de compra
Passaredo Linhas Aéreas 6
MAP Linhas Aéreas 2
TOTAL 60 + 44 pedidos + 10 opções de compra

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Configuração : 68 assentos (média densidade) e 72 (alta densidade);
  • Tripulação: 1 piloto, 1 co-piloto e 2 comissárias;
  • Pista de pouso: Aprox. 1.650 metros (lotado / dias quentes / tanques cheios);
  • Velocidade de cruzeiro: Aprox. 450 km / h (ATR-72-200);
  • Velocidade de cruzeiro: Aprox. 500 km / h (ATR-72-500);
  • Motorização / ATR-72-600 (potência) : 2 x Pratt & Whitney PW-127 (Aprox. 2.470 shp / cada);
  • Peso máximo de decolagem (ATR-72-600): Aprox. 22.800 kg;
  • Consumo médio (QAV): Aprox. 1.700 litros / hora;
  • Consumo médio (QAV): Aprox. 0,05 litro / passageiro / km voado;
  • Hélices (ATR-72-500): Hexipás Hamilton;
  • Teto de serviço: Aprox. 7.600 metros;
  • Alcance: Aprox. 1.500 quilômetros (lotado / 75% potência / com reservas);
  • Preço: Aprox. US$ 25 milhões (novo);

Referências

Portal A Wikipédia possui o
Portal da Aviação


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências