A Barba-Azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde junho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.

A Barba-Azul foi uma telenovela brasileira produzida e exibida às 19h00 pela extinta Rede Tupi, entre 1 de julho de 1974 a 15 de fevereiro de 1975, substituindo As Divinas... e Maravilhosas e sendo substituída por Meu Rico Português no horário. Foi escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Antônio de Moura Mattos e Henrique Martins.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Apesar de já ter ficado noiva sete vezes, Jô Penteado, sempre fica viúva de seus pretendentes, o que lhe rende o curioso apelido de "Barba Azul", por fazer deles gatos e sapatos. Jô embarca numa excursão escolar à Angra dos Reis, promovida pelo pacato professor Fábio Coutinho, viúvo e pai de dois filhos, que levou consigo um grupo de alunos. Mas uma falha faz com que o barco desvie de sua rota e vá parar numa ilha desconhecida e distante.

Dados como mortos, eles passam alguns meses perdidos e a convivência faz com que nasça um amor tempestuoso entre Jô e Fábio, que passam a viver, feito cão e gato, um tumultuado romance que percorre toda a trama - apesar das armações de Gláucia, a irmã invejosa de Jô, e de Paula, ex-noiva de Fábio ainda apaixonada por ele.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. "Don't Let Me Cry" - Mark Davis (tema de Jô e Fábio)
  2. "Sempre" - Willis (tema de Fábio)
  3. "Papillon" - Il Guardiano Del Faro (tema de Horácio)
  4. "Caminho da Paz" - Edu França (tema de Tony)
  5. "If You Let Me Go" - Jeffrey (tema de Lenita)
  6. "Por Que Tudo Começou?" - Mariney (tema de Ester)
  7. "Tema de Abertura" - César Camargo Mariano
  8. "Quarto Fechado" - Ronnie Von (tema de Jô)
  9. "Shadows" - Demis Roussos (tema de Gláucia)
  10. "Procuro Por Você (Yours Until Tomorrow)" - Tony (tema de Babi)
  11. "Miss Mirian Said No" - Mr. Charlie (tema de Ofélia)
  12. "Só Nós Dois" - Bruno Paulli (tema de Tereza e Gustavo)
  13. "Tema de Jô" - César Camargo Mariano

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Mais um sucesso de Ivani Ribeiro: uma comédia romântica que caiu no gosto do público.
  • Um grande sucesso de audiência, a trama chegou a conquistar 54% da audiência, ultrapassanso a concorrente da Rede Globo no horário, Corrida do Ouro.
  • Em 1985, foi produzido um remake desta novela pela Rede Globo, intitulada A Gata Comeu, também escrita por Ivani, que chegou a fazer tanto sucesso quando a original.
  • A trama tinha um atrativo a mais: mostrava cenas verídicas de amor do casal Eva Wilma e Carlos Zara, que oficializaram sua união durante a exibição da novela.
  • Em 1985, A Barba Azul teve um remake produzido pela Rede Globo com o título A Gata Comeu, repetindo o sucesso da novela original. Christiane Torloni e Nuno Leal Maia viveram Jô e Fábio, personagens de Eva Wilma e Carlos Zara, nesta versão.
  • A "barba azul" do título era o apelido de Jô Penteado, famosa por ficar noiva várias vezes sem nunca ter se casado.
  • Foi a primeira telenovela em cores do horário das sete da noite da emissora. A partir de sua data de estreia em 1º de julho de 1974, todas as novelas noturnas da emissora passaram a ser transmitidas em cores - também Os Inocentes, às 20h, e O Machão, às 20h30.
  • A atriz Carminha Brandão atuava em Os Inocentes, a novela das oito da Rede Tupi, quando deixou a atração para participar da nova novela das sete, A Barba Azul, onde viveu a personagem Ofélia. Enquanto iam ao ar os primeiros capítulos da trama, Carminha ainda aparecia em Os Inocentes, nas últimas gravações que ela fez para a novela nesse período. Ao final de Os Inocentes, a atriz retornaria à novela das oito para gravar uma última participação. Novamente a atriz pôde ser vista simultaneamente na novela das sete e na novela das oito da emissora.
  • Na trama, o ator Nelson Caruso interpretava um ator da própria emissora (Tony Duarte) que recebeu uma oferta de uma "emissora carioca" (o que de fato ocorreu com Nelson Caruso, que trocou a Rede Tupi pela Rede Globo) e deixou a trama. Então a Tupi fictícia (na história da novela) contratou outro ator para substituí-lo: Mauricio Moraes (interpretado por Edgard Franco). E esse personagem passou a fazer as vezes do outro.
  • No remake da Globo - A Gata Comeu, em 1985 - a autora pôde enfim levar adiante sua ideia original para o personagem Tony Duarte (Roberto Pirillo), que permaneceu durante toda a trama, o que eliminou a necessidade do personagem substituto, Mauricio Moraes.
  • A atriz Rachel Martins, que vinha vivendo a personagem Zazá, faleceu durante a novela. A atriz não foi substituída. As vezes da personagem foram feitas por outra: Olga, de Wilma de Aguiar.
  • Chamada da novela: "No barco do destino a força de uma paixão..."
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.