A Indomada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A Indomada
logotipo da novela.
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 60 minutos (aproximadamente)
Criador(es) Aguinaldo Silva
Ricardo Linhares
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Produtor(es) Marcos Paulo
Elenco Adriana Esteves
Eva Wilma
José Mayer
Ary Fontoura
Cláudio Marzo
Renata Sorrah
Betty Faria
Paulo Betti
Luiza Tomé
Ana Lúcia Torre
Eliane Giardini
Flávio Galvão
Marcos Frota
Flávia Alessandra
Marcos Winter
Selton Mello ver mais
Tema de abertura "Maracatudo", Sérgio Mendes
Transmissão original 17 de fevereiro de 199710 de outubro de 1997
N.º de episódios 203 (original)
154 (reprise)
Cronologia
Último
Último
O Rei do Gado
Por Amor
Próximo
Próximo

A Indomada é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 10 de outubro de 1997, substituindo O Rei do Gado e sendo substituída por Por Amor, em 203 capítulos.

Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, com colaboração de Maria Elisa Berredo, Nelson Nadotti e dirigida por Marcos Paulo, Roberto Naar e Luiz Henrique Rios, teve a direção geral e de núcleo de Marcos Paulo.

A trama contou com Adriana Esteves, José Mayer, Cláudio Marzo, Luiza Tomé, Paulo Betti, Betty Faria, Eliane Giardini, Ary Fontoura, Renata Sorrah e Eva Wilma nos papeis principais.

Foi reapresentada no Vale a Pena Ver de Novo de 16 de agosto de 1999 a 17 de março de 2000, em 154 capítulos, substituindo O Rei do Gado e sendo substituída por Tropicaliente

Foi exibida no quadro Novelão do Video Show, entre 24 de dezembro de 2012 e 4 de janeiro de 2013, num compacto de 10 capítulos, substituindo Por Amor e sendo substituída por O Bem-Amado.A novela está sendo cotada para ser reprisada no ano de 2015,em virtude dos 50 anos de Rede Globo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Greenville - cidade fictícia do litoral de Pernambuco, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino.

Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque.

Tudo começa quando Eulália, a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro, com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso, temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai.

Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Maria Altiva, esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança, e mira um alvo em particular — Pedro Afonso, viciado em jogo e que deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias.

Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer.

A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva.

Dez anos depois, Helena regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua ideia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade.

Altiva sempre foi uma pessoa péssima. Há vinte e oito anos atrás, sua irmã, Santa Maria, a Santinha, então adolescente, viveu um romance com o dono do British Club, Richard da Silva Taylor. Despeitada com a felicidade da irmã, a quem sempre detestou pela sua bondade e simpatia, Altiva (já casada com Pedro Afonso e mãe de um filho, Hércules) se aproveitou de uma bebedeira de Richard e, no escuro, se fez passar pela irmã para dormir com ele. Santinha os surpreende na cama e Altiva afirma que ele a drogou e violentou. Desesperada, Santinha acredita e rompe com Richard, que jura jamais voltar a amar outra mulher. É então que Altiva se descobre grávida de Richard e viaja com Santinha para esconder a gravidez. Traumatizada, Santinha bebe para esquecer e procura um novo amor, mas só se envolve com homens casados. Altiva dá à luz um filho, Artêmio, e quer abandoná-lo no lixo, para que morra de fome e frio. Chocada, Santinha propõe que levem o bebê para casa, fingindo tratar-se do filho de um trabalhador da usina que o abandonou por não ter meios de sustentá-lo. Altiva acaba por aceitar, mas obriga a irmã a jurar esconder a verdade e que, se alguém desconfiar, será Santinha quem assumirá a maternidade de Artêmio. Ele é criado por Florência, a empregada dos Mendonça e Albuquerque que, sabendo da verdade, ameaça Altiva constantemente de revelá-la. Atualmente, Artêmio é um moço tímido e arisco, apaixonado por Helena, que sofre por haver sido abandonado e pelo casamento de Teobaldo com a amada. Altiva, cada vez pior, sempre o ignora e se recusa até a pronunciar o nome dele. Humilha Santinha constantemente e tudo fará para não deixar que ela e Richard se reaproximem.

Amargurado por tudo o que aconteceu em sua vida, Pedro Afonso é dominado por Altiva. Todas as noites perde dinheiro nas mesas de jogo do British Club, rumando depois para o bordel, a Casa de Campo, onde encontra consolo nos braços da sonhadora "camélia" Dinorah. Esta sonha casar de véu e grinalda, na igreja, com alguém que a ame pelo que ela é. É então que conhece Sérgio Murilo, um forasteiro, por quem se apaixona à primeira vista. Doente, ele precisa de uma transfusão de sangue, e ela, tendo o mesmo tipo sanguíneo, serve de doadora. A partir de então, ela se recusa a trabalhar, e Pedro Afonso, sem ela, acaba por se apaixonar por Zenilda, a enérgica dona do bordel que, todavia, rejeita a ideia de se envolver com o marido da sua maior inimiga, Altiva. Contudo, Pedro Afonso tudo fará para viver esse amor. Sérgio Murilo promete casamento a Dinorah, que vê os seus sonhos perto de se tornarem realidade. Mas nem tudo são flores: ele necessita de um transplante renal. É então que a apaixonada Dinorah resolve doar-lhe o seu rim. Os dois casam e se submetem à cirurgia. Todavia, ao recuperar-se, Sérgio Murilo desaparece, deixando a mulher desesperada...

Hércules é o filho de Pedro Afonso e Altiva. Misterioso, só aparece em Greenville de tempos a tempos. A certa altura, cansada de ser sustentada por Teobaldo, Altiva pede a Hércules que case com Dorothy, a tímida e desengonçada filha do homem mais rico da cidade, o deputado Pitágoras Williams Mackenzie, eternamente apaixonado por Altiva e que despreza a esposa, Cleonice. Viciado em jogo como o pai, Hércules está na miséria e foge de credores, que ameaçam matá-lo e à família, já que ele é casado em segredo com a sobrinha de Florência, a bela Inês, com quem tem dois filhos, Vivinha e Júnior. Pitágoras lhe promete uma larga quantia se ele ficar noivo de Dorothy. Para salvar a família, Hércules acaba por concordar. É então que Inês descobre tudo e ruma a Greenville, revelando-se. Dorothy fica desesperada e tenta se matar. Artêmio a salva e os dois se apaixonam.

A juíza Mirandinha é a grande paixão do seu secretário, Egídio. Viúva, nunca olhou para homem algum, até que Egídio consegue chamar-lhe a atenção e os dois encetam um romance malvisto pelo povo de Greenville, já que ele é vinte anos mais jovem do que ela. O próprio filho da juíza, Felipe, se revolta com a situação, embora também ele viva um romance proibido. Namora Carolaine, a filha do megalômano prefeito Ypiranga Pitiguary, que odeia a juíza, sendo ela a única pessoa que consegue pôr freio às suas loucuras. O político tudo fará para separar a filha e Felipe. A juíza e Egídio casam contra tudo e contra todos e ele se torna um homem modelo, cobiçado pelas mulheres, principalmente pelos seus dotes culinários.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Produção[editar | editar código-fonte]

Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares criaram a protagonista Helena para Cláudia Abreu. Com a recusa da atriz, a personagem ficou com Adriana Esteves que fez sucesso com seu temperamento forte, assim como em O Cravo e a Rosa com a personagem Catarina Batista. Quatro anos depois, em 2001, Ary Fontoura reprisaria seu papel na novela Porto dos Milagres. Bem como Lima Duarte, que retomou seu personagem Murilo Pontes, de Pedra sobre Pedra, novela exibida em 1992. Na ocasião, ele participava de um jogo de pôquer, em Greenville. Ambas as tramas, eram de Aguinaldo Silva.

Exibição[editar | editar código-fonte]

"A Indomada" foi reapresentada na sessão Vale a Pena Ver de Novo, entre 16 de agosto de 1999 e 17 de março de 2000, em 154 capítulos, as 14h20. Sua reprise foi a terceira mais longa em número de capítulos de todas as novelas da faixa, perdendo apenas para Plumas e Paetês e O Clone, que tiveram 175 capítulos na reprise. Na reprise, o tema de abertura foi trocado de "Maracatudo", de Sérgio Mendes, para "Unicamente", de Deborah Blando, que originalmente era o tema da personagem Helena (Adriana Esteves). Durante a reprise da novela, o capítulo de número 100, que iria ao ar em 31 de dezembro de 1999, uma sexta-feira, não foi ao ar devido à transmissão da Corrida de São Silvestre. Com isso, a reprise que teria 155 capítulos, fechou com 154.

O Canal Viva fez uma enquete para o público escolher a próxima reprise de novela, para substituir Rainha da Sucata, e A Indomada ficou em 3º lugar, a vencedora foi Água Viva de 1980.

Elenco[editar | editar código-fonte]

José Mayer interpretou Teobaldo Faruk.
Selton Mello interpretou Emanuel.
Leandra Leal interpretou Lúcia Helena na 1ª Fase da novela.
Ator Personagem
Adriana Esteves Lúcia Helena de Mendonça e Albuquerque (2ª fase)/ Eulália (1ª fase)
José Mayer Teobaldo Faruk
Eva Wilma Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque
Ary Fontoura Deputado Pitágoras Williams Mackenzie
Cláudio Marzo Pedro Afonso de Mendonça e Albuquerque
Renata Sorrah Zenilda de Holanda
Betty Faria Juíza Mirandinha (Miranda de Sá Maciel Ferreira)
Paulo Betti Ypiranga Pitiguary
Eliane Giardini Santa Maria Pedreira (Santinha)
Luiza Tomé Scarleth Mackenzie Pitiguary
Marcos Frota Artêmio
Flavia Alessandra Dorothy Williams Mackenzie
Cássio Gabus Mendes Sérgio Murilo
Carla Marins Dinorah
Selton Mello Emanuel Faruk
Flávio Galvão Richard da Silva Taylor
Marcos Winter Hércules Pedreira de Mendonça e Albuquerque
Ana Lúcia Torre Cleonice Williams Mackenzie
Isabel Fillardis Inês de Sousa de Mendonça e Albuquerque
Pedro Paulo Rangel Padre José (Joseph)
Neusa Borges Florência
José de Abreu Delegado Motinha
Amélia Bittencourt Veneranda Faruk
Licurgo Spínola Egídio Ferreira
Nívea Stelmann Carolaine Mackenzie Pitiguary
Mateus Rocha Felipe de Sá Maciel
Karla Muga Grampola
Rodrigo Faro Beraldo
Daniela Faria Berbela
Ingra Liberato Paraguaia
Catarina Abdalla Vieira
Mônica Carvalho Maribel
Carlos Alberto Riccelli Zé Leandro
Leandra Leal Lúcia Helena (1ª fase)
Sônia de Paula Lourdes Maria/o Cadeirudo
Cristina Galvão Elaine
Clemente Viscaíno Alceu (advogado de Teobaldo)
Cláudia Puget Mérilu
Marco Miranda Anfilófio
Marcelo Escorel Dr. Lauro
Élida Muniz Vivinha
Leandro Ribeiro Washington

Repercussão[editar | editar código-fonte]

  • A Indomada foi vendida para Canadá, Chile, Colômbia, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal e Venezuela, entre outros países.[1]
  • Uma das cenas mais marcantes foi a morte de Maria Altiva (Eva Wilma), no último capítulo, que, depois de desaparecer num incêndio, vira fumaça e sobe pelos ares de Greenville, sob o olhar de toda a cidade, dizendo a seguinte frase: Me aguardem, eu voltarei, porém, em inglês (I will be back).[1] [2]

O Casseta e Planeta, Urgente! satirizou a novela como faz com todas as novelas do horário nobre da emissora como A Desmaiada.

Audiência[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro capítulo registrou uma média de 54 pontos. No seu último capítulo, alcançou 61 pontos, o seu recorde de audiência. Teve uma média final de 48 pontos.[3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Volume I[editar | editar código-fonte]

Capa: Adriana Esteves

  1. "Impossível Acreditar Que Perdi Você" - Fábio Jr
  2. "Ciranda da Rosa Vermelha" - Elba Ramalho
  3. "Não Adiantou Saber (I Might Be Crying)" - Sandra de Sá
  4. "À Procura de Alguém" - Geraldo Azevedo
  5. "Meu Bem Querer" - Djavan
  6. "Onde Estará o Meu Amor" - Maria Bethânia
  7. "Unicamente" - Deborah Blando
  8. "É Tão Bom Te Amar" - Fafá de Belém
  9. "Cana Caiana" - Alceu Valença
  10. "Baby Toque" - Baby do Brasil
  11. "Maracatudo' - Sérgio Mendes
  12. "Música da Noite (Music Of The Night)" - Ricardo Feghali e Guilherme Dias Gomes
  13. "Este Seu Olhar" - Dick Farney
  14. "A Indomada" - Guilherme Dias Gomes

Volume II[editar | editar código-fonte]

Capa: Carla Marins

  1. "Estrela" - Gilberto Gil
  2. "Felicidade (Love Of My Life)" - Paulo Ricardo
  3. "Cirandeiro" - Simone Guimarães
  4. "I Love You Tonight" - Falcão
  5. "Avohai" - Zé Ramalho
  6. "Por Eu Ter Me Machucado" - José Augusto
  7. "Vem Nhanhá" - Na Boquinha da Garrafa
  8. "Maluco Beleza" Felicidade
  9. "Engenho" - Jerry Adriani
  10. "Pra Ficar Contigo" - Maurício Mattar
  11. "Gardez Moi Pour Toujours (Por Causa de Você)" - Sylvia Telles
  12. "Vida Bela Vida" - Guilherme Rondon
  13. "O Infinito Amor" - Jorge Vercilo
  14. "Ingênou" - Pat Escobar

Referências