A Lira do Delírio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Abril de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Lira do Delírio
 Brasil
1978 • cor • 105 min 
Direção Walter Lima Júnior
Roteiro Walter Lima Júnior
Elenco Anecy Rocha
Cláudio Marzo
Paulo César Peréio
Antônio Pedro
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

A Lira do Delírio é um filme brasileiro de 1978, do gênero drama, dirigido por Walter Lima Júnior, com músicas originais de Paulo Moura.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Os participantes do bloco de carnaval Lira do Delírio se cruzam num cabaré da Lapa carioca, onde o filho de uma dançarina é seqüestrado. Para descobrir o assassino e as razões do crime, ela conta com a ajuda de um repórter policial, que ao mesmo tempo também investiga um homicídio contra um homossexual.

Elenco[editar | editar código-fonte]

NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Abril de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Participação especial [1]


Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Festival de Brasília (1978)

  • Venceu nas categorias de Melhor Atriz (Anecy Rocha), Melhor Fotografia (Dib Lufti), Melhor Diretor, Melhor Montagem e Melhor Melhor Ator Coadjuvante (Paulo César Peréio).[1]

Golfinho de Ouro 1978 (Conselho Estadual de Cultura do RJ, Brasil)

  • Recebeu o prêmio na categoria de Melhor Direção.[1]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • o filme foi realizado em duas etapas: na primeira etapa, rodada em 16 mm no carnaval de Niterói de 1973, os atores envolveram-se em episódios reais de violência nas ruas; na segunda etapa, rodada em 35 mm e três anos depois, os atores improvisaram boa parte da história policial de seqüestro e assassinato, usando seus próprios nomes e o temperamento pessoal de cada um.
  • O filme tornou-se uma homenagem póstuma à atriz Anecy Rocha, que faleceu antes da montagem.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Cinemateca Brasileira, A Lira do Delírio [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]