A Saucerful of Secrets

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Saucerful of Secrets
Álbum de estúdio de Pink Floyd
Lançamento Junho de 1968
Gravação Agosto-Outubro de 1967
Janeiro-Abril de 1968
Gênero(s) Rock psicodélico
Duração 39:25
Gravadora(s) Columbia (EMI) (RU)
Capitol (EUA)
Produção Norman Smith
Cronologia de Pink Floyd
Último
Último
The Piper at the Gates of Dawn
(1967)
Music from the Film More
(1969)
Próximo
Próximo

A Saucerful of Secrets é o segundo álbum de estúdio da banda britânica de rock Pink Floyd, lançado em abril de 1968.[1]

O trabalho é o único com a participação de seus cinco membros mais conhecidos, e é marcado por um período de transições no grupo que abrangem, principalmente à saída de Syd Barrett, a entrada de David Gilmour e os esforços de Richard Wright e Roger Waters em apresentarem novas composições. Com influências do rock psicodélico, o trabalho abrangeu canções melancólicas e mais reflexivas do que o projeto de estreia.[1]

Avaliado, em seu tempo, negativamente pela mídia especializada, foi muito criticado pela inconsistência das primeiras composições de Roger.[2] Richard, neste período tornou-se o principal intérprete do Pink Floyd. Resenhas mais recentes tendem a ter opiniões mais positivas acerca do disco.[1]

Gravação[editar | editar código-fonte]

Barrett ficou cada vez mais instável durante as gravações para A Saucerful of Secrets, e Gilmour foi chamado para substitui-lo. O álbum é, por causa disso, o único a contar com a participação de todos os membros da banda. Syd Barrett tocou em três faixas (Remember a Day, Set the Controls for the Heart of the Sun e Jugband Blues) e Gilmour tocou em cinco (Let There Be More Light, Set the Controls for the Heart of the Sun, Corporal Clegg, A Saucerful of Secrets e See-Saw). De acordo com uma entrevista de Gilmour para o documentário Which One's Pink?, de 2006, Set the Controls for The Heart of the Sun contem contribuições de ambos os guitarristas, o que a torna a única música de um álbum do Pink Floyd onde todos os cinco membros participam. Barrett finalmente saiu da banda em Março de 1968.

Richard Wright canta em cinco das sete músicas; este álbum é o único álbum da banda onde ele é o vocalista principal na maioria das faixas. Também é o único álbum da banda onde todos assumem o Lead Vocal em alguma música, e seria o único onde Nick Mason é o vocalista principal de alguma música, não fosse por sua única frase em One of These Days I'm Going to Cut You Into Little Pieces, de Meddle.

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
All Music Guide 3.5 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar half.svgStar empty.svg[1]
Artist Direct 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg [3]
Blender 3 de 5 estrelas.Star full.svgStar full.svgStar empty.svgStar empty.svg [4]
Rolling Stone (desfavorável)[2]
Symbol unlikely.svg Esta tabela precisa de ser acompanhada por texto em prosa. Consulte o guia.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lado A
N.º Título Compositor(es) Vocais Duração
1. "Let There Be More Light"   Roger Waters Richard Wright, Waters, David Gilmour 5:38
2. "Remember a Day"   Wright Wright 4:33
3. "Set the Controls for the Heart of the Sun"   Waters Waters 5:28
4. "Corporal Clegg"   Waters Gilmour, Nick Mason, Wright 4:13
Side two
N.º Título Compositor(es) Vocais Duração
1. "A Saucerful of Secrets"
  • I. "Something Else"
  • II. "Syncopated Pandemonium"
  • III. "Storm Signal"
  • IV. "Celestial Voices"  
Waters, Wright, Gilmour, Mason Instrumental, vocais falados por Gilmour e Wright 11:57
2. "See-Saw"   Wright Wright 4:36
3. "Jugband Blues"   Syd Barrett Barrett 3:00

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Banda
Músicos convidados

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Pink Floyd é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.