A Ver-o-Mar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Aver-o-Mar  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Aver-o-Mar está localizado em: Portugal Continental
Aver-o-Mar
Localização de Aver-o-Mar em
41° 24' 9" N 8° 46' 13" O
Concelho primitivo Póvoa de Varzim
Concelho (s) atual (is) Póvoa de Varzim
Freguesia (s) atual (is) Aver-o-Mar, Amorim e Terroso
Fundação 1922
Extinção 2013
População (2011)
 - Total 8 675
Orago Nossa Senhora das Neves

Aver-o-Mar é uma vila portuguesa da freguesia de União das Freguesias de Aver-o-Mar, Amorim e Terroso, no concelho da Póvoa de Varzim, com 8 675 habitantes (2011)[1] .

Aver-o-mar é também uma antiga freguesia, pois teve esse estatuto entre 1922 e 2013.

História[editar | editar código-fonte]

Aver-o-Mar era uma antiga aldeia piscatória e agrícola a norte da Póvoa de Varzim, Abonemar é o mais antigo topónimo de A ver-o-Mar e data de 1099. O povoamento do lugar deveu-se ao cavaleiro medieval D. Lourenço Fernandes da Cunha e seus sucessores por ter dois paços de filhos e netos em Varzim dos Cavaleiros. Note-se que Varzim era, desde a fundação do condado portucalense, um vasto terrório feudal com autonomia administrativa e militar, uma honra de cavaleiros, abarcando todo o território desde a costa aos montes de Laundos e Terroso.

À volta de 1656, foi anexada à Póvoa de Varzim, por provisão régia, devido a uma população crescente constituída por pescadores-lavradores. Em termos religiosos pertencia à paróquia de Amorim, constituiu freguesia própria em 10 de Agosto de 1922, separando-se de Amorim, algo que era ambicionado pelo lugar desde os finais do século XIX.[2] Os núcleos rurais e piscatórios de Aver-o-Mar já eram significativos durante todo o século XX.

Nas últimas décadas do século XX, com o crescimento urbano do Bairro Norte da Póvoa de Varzim, a povoação começou por ser urbanizada como sequência natural dessa parte da cidade, ganhando carácter balnear ou suburbano. Grande parte da sua população de quase 10 mil habitantes está integrada na malha urbana da Póvoa de Varzim,[2] o que levou a que a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim ao esboçar o Plano de Urbanização que delimitava as novas fronteiras da cidade, passasse a incluir também esta antiga freguesia como urbana. Foi elevada a vila em 1 de Julho de 2003, posteriormente o seu território foi incluído na cidade da Póvoa de Varzim, desde o censo de 2001 e oficializado em Janeiro de 2006 com a aprovação do Plano de Urbanização pelo governo nacional.

Em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, perde o estatuto de freguesia autónoma e é agregada às freguesias de Amorim e Terroso, passando a fazer parte da União das Freguesias de Aver-o-Mar, Amorim e Terroso[3] .

Geografia[editar | editar código-fonte]

Praia da Fragosa na Enseada de Aver-o-Mar.

O Cabo de Santo André localiza-se no norte da vila. A zona norte da vila mantém feição rural, enquanto a zona sul encontra-se amplamente urbanizada e verticalizada. Distingue-se o Agro-Velho, uma área balnear, cuja maioria do edificado é usado como segunda casa de carácter balnear. Por outro lado, o Quião ou Santo André é uma área com carácter bastante próprio de identidade piscatória e alinha-se pela costa norte da vila, ligado aos bairros piscatórios da Póvoa de Varzim. A área entre a Avenida Nossa Senhora das Neves e a Estrada Nacional 13 possuiu o antigo núcleo rural de Aver-o-Mar, com vários exemplares de casario rural do século XIX, protegidos pelo Plano de Urbanização da Póvoa de Varzim.

A vila é tradicionalmente dividida em dezoito lugares, hoje bairros urbanos, são eles Agro-Velho, Aldeia Nova, Boucinha, Caramuja, Fontes Novas, Fragosa, Mourincheira, Paço, Paranho, Paranho de Areia, Palmeiro, Perlinha, Finisterra, Paralheira, Refojos, Sencadas, Santo André e Sesins. O INE considerava apenas 16 no censo de 2001.

Na vila estão localizadas três das onze partes da cidade da Póvoa de Varzim: A Ver-o-Mar (bairro), a parte Norte do Agro-Velho e a parte poente do Parque da Cidade.

Freguesias do concelho da Póvoa de Varzim. A azul a freguesia de Aver-o-Mar, Amorim e Terroso (a tracejado os limites das antigas freguesias).

Demografia[editar | editar código-fonte]

Lugar[4] População
(2001)
Agro-Velho[5] 1394
Aldeia Nova 1091
Boucinha 544
Caramuja 56
Finisterra 91
Fontes Novas 1306
Mourincheira 797
Paço 182
Palmeiro 130
Paranho de Areia 1620
Paranho de Cima 469
Paralheira 160
Perlinha 770
Refojos 181
Santo André 192
Sencadas 517


Nº de habitantes [6]


Tal como o centro da cidade, Aver-o-Mar é tradicionalmente dividida em duas etnias. À beira-mar vivia o pescador e seareiro de cabelo ruivo e corpo espadaúdo. No interior vivia o homem da aldeia do tipo galego de Amorim. O "seareiro" é um trabalhador que vive da terra e do mar, juntando dois tipos de vivências tradicionalmente separadas na Póvoa de Varzim. Uma parte da população subsiste ainda da agricultura.


Topónimo[editar | editar código-fonte]

O topónimo actual " Aver-o-Mar ", adulterado por via erudita, é uma corruptela do nome arcaico "Abonemar" e da designação popular "abremar", cujo significado se desconhece, mas que a via erudita terá interpretado como "A Ver-o-Mar".

Paróquia[editar | editar código-fonte]

No século XV, já existia uma capelinha dedicada à Nossa Senhora das Neves, que foi aumentada no século XVIII pelas religiosas de Santa Clara do Porto.[2]

Igreja Paroquial de Nossa Senhora das Neves.

Sociedade[editar | editar código-fonte]

Moinho Luísa Dacosta na Praia do Esteiro.

Em Aver-o-Mar elementos culturais poveiros eram também visíveis, tal como a variante de Aver-o-Mar do Ala-Arriba e o uso de siglas poveiras.

Em termos musicais existe a Fanfarra de Aver-o-Mar. O Conjunto Típico Ala-Arriba (1966-1981) é o principal marco musical e cultural de Aver-o-Mar na música portuguesa, com 6 discos comerciais lançados e várias actuações de norte a sul do país, com temas populares nos quais se destacam Ó Póvoa Querida, Festas de Santo André e Cego do Maio.

Na praia do Esteiro, encontra-se o pitoresco Moinho Luísa Dacosta, onde viveu a escritora Luísa Dacosta, cuja vivência da dureza da vida das Mulheres de A Ver-o-Mar de antigamente afectou a forma da escritora ver o mundo.

Referências

  1. População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano) (em português). Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 22 de Março de 2014. Cópia arquivada em 4 de Dezembro de 2013. "Informação no separador "Q601_Norte""
  2. a b c A VER-O-MAR (Nossa Senhora das Neves) - Póvoa de Varzim. Arciprestado de Vila do Conde e Póvoa de Varzim. Página visitada em 21 de Janeiro de 2009.
  3. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19,Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias). Acedido a 22 de Março de 2014.
  4. Todos os lugares de Aver-o-Mar passaram a ser considerados zona urbana da cidade da Póvoa de Varzim desde 2006, desde essa data são tidos como zonas da cidade e não como localidades.
  5. A população refere-se apenas ao antigo lugar e não à parte da cidade que é significativamente superior.
  6. INE Biblioteca Digital

Ligações externas[editar | editar código-fonte]