Aaron Aaronsohn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Aaron Aaronsohn.

Aaron Aaronsohn (Bacău, Romênia, 187615 de maio de 1919) foi um cientista, explorador e político judeu em Palestina.[1] Faleceu no Canal da Mancha num acidente aéreo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aaronsohn é conhecido principalmente pela descoberta da "mãe do trigo" tanto quanto pelo seu papel como fundador e líder do Nili, um grupo judeu de espionagem que trabalhou para o Reino Unido durante a Primeira Guerra Mundial. Graças às informações fornecidas pelo Nili ao exército britânico, o general Edmund Allenby (1861-1936) conduziu um ataque de surpresa à Beer-Sheva, contornando as poderosas defesas turcas de Gaza.

Emigrou com a idade de seis anos para a Terra de Israel, então parte do Império Otomano, quando seus pais se instalaram em Zihron Yaakov, uma colônia agrícola judaica, constituída como a primeira Aliyah.

Após seus estudos na França, financiados pelo barão Edmond de Rothschild (1845-1934), Aaronsohn começou a estudar a flora da Palestina, tornando-se o chefe de um grupo de peritos neste assunto.

Durante uma excursão sobre o monte Hermon, descobre dois pés de trigo selvagem (Triticum dicocoides). Esta importante descoberta, tanto para os agrônomos como para os historiadores, torna-o famoso através do mundo, e permite-lhe viajar para os Estados Unidos da América, onde obtém um financiamento para abrir uma estação de pesquisas em Atlit.

Após a guerra, Chaim Weizmann (1874-1952), convida-o para trabalhar com ele na Conferência de paz de Paris de 1919, porém morre num acidente de avião sobre o Canal da Mancha. Os seus trabalhos foram publicados postumamente.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Explorações Agrícolas e Botânicas na Palestina, 1910
  • Reliquiae Aaronsohnianae, 1940

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências


Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.