Abadia no Carvalhal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abadia no Carvalhal
Autor Caspar David Friedrich
Data 1809-1810
Técnica óleo sobre tela
Dimensões 110 cm × 171 cm
Localização Alte Nationalgalerie, Berlin

A Abadia no Carvalhal (Alemão: Abtei im Eichwald) é uma pintura a óleo de Caspar David Friedrich. Ela foi realizada entre 1809 e 1810 em Dresden e apresentada publicamente pela primeira vez junto com a pintura O Monge à Beira-Mar numa exibição da Akademie der Künste em 1810. Friedrich pediu que o quadro fosse colocado embaixo da O Monge à Beira-Mar.[1]

Após a exibição, ambas as imagens foram compradas por Frederico Guilherme III, mas hoje se encontram lado a lado no Alte Nationalgalerie, Berlim.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Uma procissão de monges, alguns dos quais ostentando um caixão, dirige-se para o portão de uma arruinada igreja de estilo gótico, no centro da pintura. Apenas duas velas iluminam o caminho deles. Podemos perceber um caixão cavado para fora da neve, em primeiro plano, perto dos vários cruzamentos que compõe a imagem da pintura. O trecho inferior da foto está obscuro, semelhante às trevas — somente a parte alta das ruínas e as pontas das árvores são iluminadas pelo sol. Começa a aparecer uma lua crescente no céu.

Produção[editar | editar código-fonte]

Abadia no Carvalhal (1809-10), Oléo sobre tela, 110×171 cm. Alte Nationalgalerie.
Ruínas de Eldena Perto de Greisfiswald (1825), Óleo sobre tela, 35x49cm. Alte Nationalgalerie.

A imagem apareceu no momento em que Friedrich teve seu primeiro sucesso de público e crítica com o polêmico Tetschener Altar. Embora a maioria de suas pinturas sejam paisagens, ele as planejava e as pintava em seu estúdio, Friedrich utilizava freqüentemente a técnica de en plein air, no qual selecionava os elementos que desejava engendrar em suas composições: por isso, A Abadia no Carvalhal baseia-se em estudos e esboços que ele fez nas ruínas na Abadia de Eldena, que também o inspirou em diversas outras pinturas (as mesmas árvores, ligeiramente alteradas em outras formas, podem ser percebidas em muitas de suas obras).[3]

A Abadia de Eldena talvez tenha tido uma importância particular para Friedrich, pois foi destruída por tropas invasoras da Suécia durante a Guerra dos Trinta Anos, e mais tarde seus tijolos foram usados para construir fortificações.[3] Nessa pintura, Friedrich estabelece um paralelismo entre as ações e a utilização das igrejas de Greifswald como quartéis, que ocupavam soldados franceses.[3] Assim, o funeral retratado na tela se torna um símbolo do "sepultamento das esperanças que a Alemanha nutria sobre a ressurreição".[3]

Friedrich provavelmente iniciou seu trabalho em cima do A Abadia no Carvalhal em Junho de 1809, após uma estada em Rügen, Neubrandenburg.[4] Em setembro de 1810, pouco depois da exposição na Academia de Berlin, Carl Frederick Frommann escreveu que o sol e a meia-lua do quadro estavam inacabados.[5]

Referências

  1. Romantik , 2003. p. 81
  2. Wolf, p.31
  3. a b c d Boime, Albert (1993). Art in an age of Bonapartism, 1800-1815. Chicago: University of Chicago Press, 602. ISBN 0-226-06336-4.
  4. Börsch-Supan, Helmut; Jähnig, Karl Wilhelm. "Caspar David Friedrich". Gemälde, Druckgraphik und bildmäßige Zeichnungen, Prestel Verlag, München 1973. 304
  5. Die Briefe. "Caspar David Friedrich", p.66

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Boime, Albert. Art in an age of Bonapartism, 1800-1815. Chicago: University of Chicago Press, 1993. ISBN 0226063364.
  • Friedrich, Caspar David: Die Briefe (2005, ed. and comm. by Herrmann Zschoche). Hamburg: ConferencePoint Verlag. ISBN 3-936406-12-X.
  • Börsch-Supan, Helmut & Jähnig, Karl Wilhelm, 1973: Caspar David Friedrich. Gemälde, Druckgraphik und bildmäßige Zeichnungen. Munich: Prestel Verlag. ISBN 3-7913-0053-9
  • Held, Heinz-Georg Held, 2003: Romantik. Cologne: Dumont. ISBN 3-8321-7601-2
  • Schulze Altcappenberg, H. Th., 2006: An der Wiege der Romantik, Caspar David Friedrichs Jahreszeiten von 1803. Staatliche Museen zu Berlin. ISBN 3-88609-561-4
  • Wolf, Norbert, 2003: Friedrich. Cologne: Taschen. ISBN 3-8228-1958-1
This article is a translation of the equivalent article on the German Wikipedia as of 21 November 2008