Abd el-Kader

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Trechos sem fontes poderão ser removidos.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
Abd el-Kader

عبد القادر
Abd al-Kader
Nascimento 6 de Setembro de 1808
Mascara
 Argélia
Morte 26 de Maio de 1883 (74 anos)
Damasco
 Síria
Nacionalidade Argélia Argelino
Ocupação Líder político, militar e religioso
Religião Islão
Quadro de Abd el-Kader por Stanislaw Chlebowski

Abd El-Kader, Abd al-Kader ou Abdul-Qadir[1] (em árabe: عبد القادر الجزائري) (Mascara, 6 de Setembro de 1808 - Damasco, 26 de Maio de 1883) foi um Emir dos árabes argelinos (1832), dirigiu a luta contra os franceses na Argélia, onde é lembrado como um herói nacional. Foi vencido em Orã, mas um tratado assinado com o general Desmichels lhe assegurou um reino em torno de Mascara (1834). A posse da província de Orã e de parte da de Argel, reconhecida por Bugeaud pelo Tratado de Tafna (1837), não impediu que voltasse à luta, em 1839. Os franceses venceram e ocuparam toda a Argélia. A tomada de sua smala pelo Henrique d'Orléans, Duque de Aumale (1822-1897) e a derrota do seu aliado, o sultão de Marrocos, em Isly (1844), o fizeram render-se ao general Lamoricière. Refugiou-se então em França até 1852, período durante o qual se tornou amigo dos franceses por ter ajudado os cristãos que estavam a ser perseguidos durante o Conflito do Líbano de 1860[2] , salvando muitos cristãos da morte. Retirou-se de seguida para Bursa (1853) e depois para Damasco (1855), onde ficou até à data da sua morte, em 1883. Em 1864 tornou-se maçon[3] [4] . Os seus restos mortais foram transferidos para a Argélia em 1966.

Cronologia[editar | editar código-fonte]

Monumento ao Emir Abd-el-Kader, na Praça 1º de Novembro em Orã

1808 — Nasce próximo a Mascara

1832 — Torna-se emir dos árabes do sul da atual Argélia.

1834 — Recebe um reino em torno de Mascara por meio de tratado com o general Desmichels

1837 — Assina o Tratado de Tafna, que lhe assegura a posse da província de Orã e parte da de Argel

1839 — Volta à luta contra os franceses

1843 — A smala é tomada pelo duque de Aumale

1844 — Seu aliado, o sultão de Marrocos, é derrotado em Isly. Rende-se ao general Lamoricière

1844 a 1852 — Vive como refugiado em França, tornando-se amigo dos franceses[5]

1853 — Muda-se para Bursa

1855 — Muda-se para Damasco, onde fica até sua morte (1883)

1864 — Adere à Maçonaria[3] [4]

1966 — Os seus restos mortais são transferidos para a Argélia

Referências

  1. Abdelkader (em inglês) Encyclopedia Britannica. Visitado em 2013-03-25.
  2. Mouloud Haddad. Sur les pas d’Abd el-Kader: la hijra des Algériens en Syrie au XIXe siècle (em francês) Presses de l’Ifpo. Visitado em 2013-03-25.
  3. a b Coronel Churchill (1867). Life of Abdel Kader (PDF) (em inglês) Chapman and Hall. Visitado em 2013-03-25.
  4. a b Robert Morris (1872). Freemasonry of the Holy Land (PDF) (em inglês) Masonic Publishing Company. Visitado em 2013-03-25.
  5. Mouloud Haddad. Sur les pas d’Abd el-Kader: la hijra des Algériens en Syrie au XIXe siècle (em francês) Presses de l’Ifpo. Visitado em 2013-03-25.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Grande Enciclopédia Larousse Cultural; Editora Nova Cultural - 1998.


Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Abd el-Kader