Abdalá I de Córdova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Abdallah ibn Muhammad)
Ir para: navegação, pesquisa
Abdalá I
عبد الله بن محمد
Emir de Córdova
Governo
Reinado 888-912
Consorte Onneca Fortunes
Antecessor Al-Mundir
Sucessor Abderramão III
Dinastia Omíadas
Vida
Nome completo 'Abd Allah ibn Muḥammad ibn Abd al-Raḥmān
عبد الله بن محمد بن عبد الرحمن
Nascimento 11 de janeiro de 844, em Córdova
Morte 15 de outubro de 912
Filhos Muhammad ibn Abd Allah ibn Muhammad
Pai Muhammad I
Mãe Ushar

Abdallah ibn Muhammad ou Abd Allah ibn Muhammad (844-15 de outubro de 912),[1] [2] (em árabe: عبد الله بن محمد); mais conhecido como Abdalá I, descendente dos Omíadas, foi o sétimo emir de Córdova, no al-Andalus entre 888 e 912.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Abdalá ibn Muhammad foi sucessor do seu irmão al-Mundir,[3] morto en 888 quando assediava Umar ibn Hafsun em Bobastro. Ele estava no acampamento e, segundo alguns historiadores, foi por iniciativa sua que o médico da corte utilizou uma lanceta envenenada para sangrar al-Mundir. A luta contra Ibn Hafsun, que já dominava a Cora de Rayya (incluindo Bobastro), Elvira (incluindo Granada) e Jaén, e tinha se aliado com as cidades de Archidona, Baeza, Úbeda e Priego foi o maior desafio enfrentado por Abdallah. Em 891, ibn Hafsun foi derrotado próximo ao castelo de Polei e perdeu o controle de diversas cidades. Após a vitória, Abdallah massacrou todos os cristãos e perdoou todos os muçulmanos. Contudo, já recuperado no ano seguinte, Ibn Hafsun conquistou novamente todos os territórios perdidos.

Em 901, o emir assinou um tratado de paz com Ibn Hafsun (que tinha se aliado com a família muladi Banu Qasi, que controlava o vale do Ebro, e com o Reino das Astúrias). Porém, a guerra recomeçou no ano seguinte, apenas para ser novamente interrompida pela morte de Abdallah, aos 68 anos em Córdova, justamente quando ele melhorava sua situação.

Sucessão[editar | editar código-fonte]

Uma de suas esposas foi Onneca Fortunes, também chamada Íñiga ou Onega, filha de Fortuna Garcês, rei de Pamplona[3] e último soberano da Dinastia Iñiga. Com ela, que tomou o nome árabe Durr (Pérola),[4] Abdallah teve o único filho documentado nas fontes chamado Muhammad nascido em 864.[5] [6] [7] O emir nomeou-o seu herdeiro, mas mais tarde ele foi assassinado por seu meio irmão al-Mutarrif em 28 de janeiro de 891.[5] Depois de executar o filho assassino, Abdallah, nomeou como seu sucessor o seu neto - filho de Muhammad com uma basca de nome Muzna - e futuro califa Abderramão III, nascido em 7 de janeiro de 891, vinte e um dias antes da morte de seu pai.[8] Onneca foi repudiada por Abdallah cerca de 880 e nesse ano retornou ao Reino de Pamplona com seu pai e depois casou-se com seu primo Aznar Sanches de Larraun, tendo desse matrimônio nascido Toda Aznarez, a esposa do rei Sancho Garcés I de Pamplona.[3] [a]Assim, a rainha Toda era a tia de Abderramão III.

Precedido por
Al-Mundhir
Emir de Córdova
888912
Sucedido por
Abderramão III

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Supostamente teve outro filho com Onneca, Zayd ibn Abd Allah, nascido em Córdova entre 882 e 890 e falecido cerca de 950, [9] o pai de Zaydan Ibn Zayd, o "Zedan Zada" (Córdova, 915-c. 970) dos livros de linhagens. Embora, este filho, Zayd ibn Abd Allah não é mencionado no Códice de Roda ou nas crónicas árabes, as únicas fontes fiáveis para as genealogías dessa época.

Referências

  1. Lévi-Provençal 1953, p. 18 e 21.
  2. Outras variantes ou transliterações do nome: Abû Muhammad 'Abd Allah ben Muhammad, Abd Allah I de Córdova.
  3. a b c Martínez Díez 2005, p. 314.
  4. Lévi-Provençal 1953, p. 18.
  5. a b Martínez Díez 2005, p. 314-315.
  6. Lacarra de Miguel 1945, p. 231.
  7. Lévi-Provençal 1953, p. 19 e 21.
  8. Martínez Díez 2005, p. 315.
  9. Ascendências Reais de SAR D. Isabel de Herédia, António de Sousa Lara, Vasco de Bettencourt Faria Machado e Universitária Editora, 1ª Edição, Lisboa, 1999, pg. 110

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]