Ablução

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ablução (do latim ablutio, "lavagem") é um rito presente em muitas religiões, entre as quais o cristianismo, o judaísmo e o Islão. A ablução é um rito de purificação, com símbolos, atos e significados variados em diversas situações. Relacionam-se a ritos de preparação para o sacrifício. As abluções são feitas com água, folhas (ramos), areia ou sangue.

Abluções afrobrasileiras[editar | editar código-fonte]

Ver São Lázaro, e a lavagem ritual a seco com pipoca ou a Lavagem do Bonfim.[1]

Abluções no judaísmo[editar | editar código-fonte]

As purificações rituais judaicas são geralmente prescritas para a recuperação da pureza ritual (Levítico 15).

Abluções no Cristianismo[editar | editar código-fonte]

No Novo Testamento as abluções passaram para segundo plano, pela necessidade da pureza interior exigida pelo Evangelho. No entanto, Jesus lava os pés de seus discípulos na última ceia (João 13, 1-16).

Em algumas religiões cristãs, a principal ablução é o rito batismal, onde todo o corpo imergira em agua ,assim como jesus tambem foi batizado, a fim de que ela seja purificada do pecado original.

No ritual católico, na missa, há a ablução das mãos do celebrante antes do rito de consagração, e do cálice após a comunhão. Nas missas de rito tridentino, após o rito da comunhão, os dedos do celebrante são lavados sobre o cálice, a fim de que nenhuma partícula da hóstia consagrada, por menor que seja, venha a ser desprezada.

Abluções no Islão[editar | editar código-fonte]

No Islão, a ablução é obrigatória antes de cada oração.

Citações[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Ablução

“O batismo, porta dos sacramentos, necessário na realidade ou ao menos em desejo para a salvação, e pelo qual os homens se libertam do pecado, se regeneram tornando-se filhos de Deus e se incorporam à Igreja, configurados com Cristo mediante caráter indelével, só se administra validamente através da ablução com água verdadeira, usando-se a devida fórmula das palavras. (Código de Direito Canônico, can. 849).

“Nenhuma ablução, nem mesmo ritual, é capaz de originar a pureza moral. Esta tem a sua fonte exclusiva no interior do homem: provém do coração.” (Papa João Paulo II. Audiência geral de 10 de Dezembro de 1980).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. A Universidade do Estado da Bahia: Festa de São Lázaro

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.