Abraham Mignon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abraham Mignon
Mignon, Flores em um vaso. Óleo sobre tela, 87 x 68 cm. Hermitage, São Petersburgo.
Nascimento 21 de junho de 1640
Frankfurt am Main
Morte 27 de março de 1679 (38 anos)
Utrecht
Nacionalidade Prinsenvlag.svg neerlandesa
Ocupação pintor

Abraham Mignon ou Minjon (Frankfurt am Main, 21 de junho de 1640 — Utrecht, 27 de março de 1679) foi um pintor neerlandês, especializado em buquês de flores.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, um comerciante de Frankfurt, colocou-o sob os cuidados do pintor de natureza-morta Jacob Marrel, quando Mignon tinha apenas sete anos de idade. Marrel especializado em pintura de flores, educou-o para que fosse seu melhor aluno. Acompanhou Mignon quando este se mudou para as Províncias Unidas, por volta de 1660, a fim de trabalhar sob a orientação de Jan Davidsz. de Heem, em Utrecht. Em 1675 ele se estabeleceu lá permanentemente e se casou com Maria, filha do pintor Cornelis Willaerts (neta de Adam Willaerts).[1]

A assinatura de Mignon - Abraham Mignon Fecit.

A enteada de Marrel, Maria Sibylla Merian (1647-1717), filha do gravurista Matthäus Merian, que vivia com Marrel e, portanto, estudou com Mignon, conseguiu destacar-se como pintora de flores[2] Além de Merian, seu outro aluno foi Ernst Stuven.[3] Quando morreu deixou duas filhas: Catharina e Anna.[3] [1]

Técnica[editar | editar código-fonte]

Mignon dedicou-se quase que exclusivamente às flores, frutas, aves e outra natureza-morta, embora às vezes também tenha pintado retratos. Suas peças florais são marcadas pelo cuidadoso acabamento e manuseio delicado. Seu esquema preferido era introduzir rosas vermelhas e brancas no centro da tela e destacar o conjunto de flores sobre um fundo escuro.[1]

Em lugar algum seu trabalho pode ser visto com melhor destaque do que na Galeria de Dresden, que contém quinze de suas pinturas, das quais doze são assinadas. Seis de seus quadros estão no Museu do Louvre, quatro no Hermitage, e outros exemplares podem ser encontrados nos museus de Amsterdã, Haia, Roterdã, Bruxelas, Munique, Karlsruhe, Brunsvique, Kassel, Schwerin, Copenhague, Varsóvia, Florença e Turim.[1]

Notas

  1. a b c d Encyclopædia Britannica (1911) entrada para Mignon, Abraham (em inglês), volume 18, página 427
  2. Arnold Houbraken. De groote schouburgh der Nederlantsche konstschilders en schilderessen (em neerlandês) Digital library for Dutch literature.
  3. a b Abraham Mignon no RKD

Referências

Wikisource  "Mignon, Abraham". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]