Abraham Tucker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Abraham Tucker
Abraham Tucker por Enoch Seeman. Óleo sobre tela, 1739. 75 x 62 cm. National Portrait Gallery, Londres.
Nascimento 2 de setembro de 1705
Londres
Morte 20 de novembro de 1774 (69 anos)
Betchworth, Surrey
Nacionalidade Union flag 1606 (Kings Colors).svg britânico
Ocupação Escritor

Abraham Tucker (Londres, 2 de setembro de 1705Betchworth, Surrey, 20 de novembro de 1774) foi um escritor filosófico inglês, educado em Oxford, que dedicou-se ao estudo da Filosofia, e escreveu sob o pseudônimo de Edward Search, um trabalho em sete volumes, The Light of Nature Pursued (1768-78). É mais uma miscelânea do que um tratado sistemático, mas contém um pensamento muito original e agudo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tucker nasceu de uma família de Somerset, filho de um comerciante abastado de Londres. Seus pais morreram durante sua infância, foi educado por seu tio, Sir Isaac Tillard. Em 1721 entrou para o Merton College, Oxford, como um cavalheiro plebeu, e estudou Filosofia, Matemática, Francês, Italiano e Música. Mais tarde estudou Direito no Inner Temple, mas nunca foi chamado para atuar na profissão. Em 1727 comprou o Castelo de Betchworth, perto de Dorking, onde passou o resto de sua vida. Não tomou parte na política, e escreveu um panfleto, The Country Gentleman's Advice to his Son on the Subject of Party Clubs (1755), alertando os jovens contra as armadilhas políticas. Em 1736 casou com Dorothy Tucker, filha de Edward Barker, de East Betchworth, barão cursitor do Tesouro, responsável pelas operações contábeis do governo. Quando sua esposa morreu em 1754, dedicou-se a juntar todas as cartas que tinham trocado entre eles, e transcreveu-as sob o título de The Picture of Artless Love.

A partir deste momento em diante, ocupou-se com a composição de sua obra principal, The Light of Nature Pursued, da qual em 1763 publicou um exemplar sob o título de Free Will. As restrições feitas ao seu trabalho por um crítico na Monthly Review de julho de 1763, fez com que redigisse um panfleto chamado Man in Quest of Himself, by Cuthbert Comment (reimpresso no Metaphysical Tracts de Parr, 1837), "uma defesa da individualidade da mente humana ou de si próprio". Em 1765 os quatro primeiros volumes da sua obra foram publicados sob o pseudônimo de "Edward Search". Os restantes três volumes foram publicados postumamente. Em 1771 Turcker perdeu quase que completamente a visão, mas ele inventou um aparelho engenhoso que lhe permitiu escrever tão legível, que o resultado pode ser facilmente transcrito por sua filha. Desta forma, completou os últimos volumes, que ficaram prontos para publicação quando ele morreu em 20 de novembro de 1774.

Seu trabalho abrange, no seu âmbito muitas discussões psicológicas e mais estritamente metafísicas, mas é principalmente na relação com a ética que as especulações de Tucker são lembradas. Em alguns pontos importantes ele antecipa o utilitarismo mais tarde sistematizado por William Paley, que expressa em termos mais amplos suas obrigações para com o seu antecessor. "A satisfação pessoal de cada homem" Tucker afirma ser o fim último da ação; e a satisfação ou o prazer é algo da mesma espécie, contudo ela pode variar em grau.

O Light of Nature foi republicado juntamente com um esboço biográfico pelo neto de Tucker, Sir Henry Paulet St John Mildmay (1905), 7 vols. (Outras edições 1834, 1836, etc), e uma edição abreviada por William Carew Hazlitt apareceu em 1807.

Leituras adicionais[editar | editar código-fonte]

  • James Mackintosh, Dissertation on the Progress of Ethical Philosophy (Edimburgo, 1832)
  • Sir Leslie Stephen, English Thought in the 18th Century, iii. 119-130.

Referências