Abu Mena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Abu Mena *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Abu Mena, Egipto.JPG
Abu Mena, egipto
País  Egito
Critérios iv
Referência 90
Coordenadas 30° 50′ N 29° 39′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 1979  (3ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Abu Mena (ou Abu Mina) foi uma cidade, um complexo monástico e um centro de peregrinação do Egipto antiquo-tardio. É um dos locais cristãos mais velhos do Egipto. A igreja, as basílicas, os edifí­cios públicos, as ruas, os mosteiros, as casas e as oficinas nesta cidade santa de Abu Mena foram construí­dos sobre o túmulo do mártir Menas de Alexandria. O local foi colocado na lista de Património Mundial da UNESCO em 1979[1] , e está muito perto Novo Mosteiro de St. Mina em Mariut.

História[editar | editar código-fonte]

Menas de Alexandria foi martirizado em meados do século III ou IV. Diz-se que o corpo sem vida de Menas foi levado de Alexandria num camelo. A um ponto da viagem diz-se que o camelo recusou-se a continuar, apesar de todos os esforços. Isto foi tomado como um sinal de vontade divina, e assim foi nesse local que o corpo foi enterrado.

A maioria das versões históricas sobre a localização do túmulo foram então esquecidas até a sua redescoberta, considerada milagrosa, por um pastor local. Desde o sinaxário etíope (EAW Budge, trad.):

E Deus quis revelar o [local do] corpo de São Menas. E havia naquele deserto um certo pastor, e um dia uma de suas ovelhas estava sofrendo da doença da crosta, e foi àquele lugar, e mergulhou na água da pequena fonte que estava perto do lugar, e nela rolava, e ali foi curada imediatamente. E quando o pastor viu tal coisa, e entendido o milagre, admirou muito e ficou surpreso. E depois que ele usou para tirar um pouco da poeira do que santuário, e misturá-lo com água e esfregue-o sobre as ovelhas, as que estavam estavam doentes, com a crosta, foram assim logo curadas. E isso ele costumava fazer em todos os momentos, e ele curou todos os doentes que vieram a ele por este meio.

Os poderes de cura das palavras do pastor se espalharam rapidamente. O sinaxário descreve Constantino I enviando sua filha doente ao pastor para ser curado, e atribui a ela o encontrar o corpo de Menas ", depois que Constantino ordenou a construção de uma igreja no local.[2]

Em fins do século IV o sítio já se havia tornado um importante centro de peregrinação para cristãos, que procuravam cura para as suas doenças e outros milagres.

Durante o reinado de Arcádio, um arcebispo notou que as multidões transbordavam a pequena igreja. Deu-se uma expansão das instalações, uma das três que ocorreram. Em fins do período antiquo-tardio, Abu Mena tinha-se tornado o principal centro de peregrinação do Egipto.

Em meados do século VII a cidade foi destruída pela Expansão islâmica.

Referências

  1. UNESCO. Página visitada em 11/6/2014.
  2. Grossmann, Peter (1998). "The Pilgrimage Center of Abû Mînâ". in D. Frankfurter (ed.), Pilgrimage & Holy Space in Late Antique Egypt. Leiden-Boston-Köln, Brill: p. 282
Ícone de esboço Este artigo sobre História do Egipto, integrado ao Projeto África é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.