Acácio (procônsul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Acácio
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação General
Principais trabalhos
Título
Soldo de Justiniano (r. 527–565)

Acácio (em grego: Ἀκάκιος; transl.: Akákios; em latim: Acacius) foi um procônsul bizantino da Armênia Prima, c. 536-539, no reinado de Justiniano (r. 527–565). Aparece pela primeira vez quando acusa seu amigo e governador da Armênia Amazaspes Mamicônio de traição. Ele assassina seu amigo sob ordem imperial e recebe o governo da Armênia bizantina. Seu governo foi impopular e assassinado por um grupo de armênios.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Procópio considera Acácio e seu filho Adólio, silenciário e comandante militar, como nativos da Armênia bizantina.[1] Acácio é mencionado pela primeira vez quando trouxe quatro acusações de traições contra seu amigo Amazaspes Mamicônio, o comandante do território armênio que, segundo a narrativa de Procópio, estaria abusando dos armênios e pretendia dar aos sassânidas Teodosiópolis e algumas outras fortalezas. Após saber disso, o imperador solicitou que Acácio matasse Amazaspes e,[2] como recompensa, acabou recebendo o comando sobre os armênios.[3]

Em 18 de março de 536, uma lei de Justiniano reformou a administração da Armênia bizantina. Acácio já era governador da Armênia Interior/Armênia Magna; seu título provavelmente era de consular da Armênia Magna. Com base na reorganização, foi nomeado governador da nova província da Armênia Prima e recebeu o ofício de procônsul. Outros documentos legais de 536 mencionam Acácio, em latim, como procônsul da Armênia Prima (proconsul Armeniae Primae) e, em grego, como antípato da Armênia (em grego: ἀνθύπατος ΄Αρμενίας).[2]

Acácio provou-se altamente impopular com a população de sua província, ganhando uma reputação de crueldade e ganância. Foi assassinado em 538/539, havendo, na narrativa de Procópio, duas versões: a primeira reforça que o assassinato foi arquitetado por um grupo de armênios que depois fugiram para Farângio (atual Ispir);[3] a segunda afirma que Acácio foi assassinado por Artabanes.[2]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Martindale, John Robert; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, J.. The Prosopography of the Later Roman Empire: Volume III: A.D. 527–641. Cambridge: Cambridge University Press, 1992. vol. 3. ISBN 978-0-521-20160-5.
  • Procópio de Cesareia. História das guerras. [S.l.: s.n.], século VI.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Amazaspes Mamicônio
Governador da Armênia
531/536
Sucedido por
Sitas