Acanthocephala

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaAcanthocephala
Corynosoma wegeneri

Corynosoma wegeneri
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Acanthocephala
Kohlreuther, 1771
Classes
Archiacanthocephala

Palaeacanthocephala
Eoacanthocephala

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Acanthocephala

Acanthocephala é um filo de parasitas, encontrados em muitas espécies de peixes, anfíbios, pássaros e mamíferos. Os acantocéfalos caracterizam-se pela presença de uma probóscide reversível, munida de espinhos e que serve para fixar o animal ao intestino do hospedeiro. Estão descritas cerca de 1.150 espécies que medem entre alguns milímetros até cerca de 6 cm.

Os acantocéfalos não possuem boca nem sistema digestivo. Todos os nutrientes que necessitam para o seu desenvolvimento ou vida são digeridos pelo hospedeiro e absorvidos directamente pela pele do acantocéfalo, que vive nos intestinos. O sistema nervoso é ganglionar e não tem órgãos sensoriais evidentes. Excreção é realizada por meio de células-flama.

Os acantocéfalos são dioicos e por isso há indivíduos de sexo masculino e feminino. Alguns estudos provaram a existência de hermafroditas entre os acantocéfalos, mas a comunidade científica mantém-se resistente a tais dados. O seu ciclo de vida é complexo e envolve em muitos casos mais do que um hospedeiro. Só foram descritos ciclos de vida completos para apenas 25 espécies. De uma forma geral, o embrião de acantocéfalo é expelido do organismo hospedeiro através das fezes. Em seguida, é necessário que seja comido por um hospedeiro intermédio, em geral crustáceos. Em vez de digerido, o embrião penetra a parede intestinal do crustáceo e aloja-se na cavidade abdominal onde enquista e se transforma em cistacanto. Este estádio é semelhante ao adulto, excepto pela ausência de órgãos reprodutores. A dado ponto, o hospedeiro intermédio é ingerido pelo hospedeiro final, que pode ser um mamífero, aves ou peixes. A digestão do crustáceo provoca a libertação do acantocéfalo nos intestinos do hospedeiro final. Para garantir a fixação, o cistocanto extrui a probóscide e fixa-se aos intestinos, desenvolvendo-se então para a fase adulta.

Classes[editar | editar código-fonte]

O filo é dividido em quatro classes, Palaeacanthocephala, Archiacanthocephala, Polyacanthocephala e Eoacanthocephala. A classe monofilética Archiacanthocephala é o grupo-irmão do clado que consiste nos Eoacanthocephala e o monofilético Palaeacanthocephala.[1]

Referências

  1. Weber M, Wey-Fabrizius Alexandra R, Podsiadlowski L, Witek A, Schill Ralph O, Sugár L, Herlyn H, Hankeln T (2012) Phylogenetic analysis of endoparasitic Acanthocephala based on mitochondrial genomes suggests secondary loss of sense organs. Mol Phylogenet Evol pii: S1055-7903(12)00374-0. doi: 10.1016/j.ympev.2012.09.017
Ícone de esboço Este artigo sobre Invertebrados, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.