Acasto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Acasto, na mitologia grega era filho de Pélias e rei de Iolco na Tessália.

Família[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Pélias, filho de Posidão e Tiro,[1] se casou com Anaxíbia, filha de Bias ou Filômaca, filha de Anfião, e teve um filho, Acasto e várias filhas, Pisídice, Pelópia, Hipotoe e Alcestes.[2]

Pélias, por medo de Jasão, filho de seu meio-irmão Esão, o enviou à Cólquida para buscar o velo de ouro.[3] Acasto foi um dos argonautas desta expedição.[3]

Durante a expedição dos argonautas, Pélias quis matar Esão, mas este pediu para se suicidar, o que fez bebendo o sangue do touro sacrificado; em seguida a mãe de Jasão se suicidou por enforcamento, deixando um filho menor Promachus, que foi assassinado por Pélias.[4]

Quando Jasão retornou e entregou o velo de ouro a Pélias, ele quis se vingar, mas não tinha forças, se exilou e pediu a Medeia para bolar um plano.[4] Ela, então, convence as filhas de Pélias de que se elas cortassem o pai e o cozinhassem, ele seria jovem de novo - e ele morreu assim.[4]

Acasto, porém, enterrou seu pai e expulsou Jasão e Medeia de Iolco.[4] Segundo outra versão, Jasão entregou o reino a Acasto e cuidou das filhas de Pélias,[5] fazendo com que elas se casassem com homens de renome.[6]

Rei de Iolco[editar | editar código-fonte]

A sua esposa Astidamia apaixonou-se por Peleu.[7] Peleu havia sido purificado por Acasto após haver morto, acidentalmente, seu sogro Euritião, durante a caçada ao javali calidônio.[8]

Quando Peleu a rejeitou, Astidamia enviou uma mensagem à esposa de Peleu, Antígona, de que Peleu iria se casar com Estérope, filha de Acasto; Antígona suicidou-se quando soube da notícia. Em seguida, ela acusou-o de a ter violado. Acasto não poderia matar um homem que ele havia purificado, levou-o a uma caçada, e o abandonou, sem espada. Ele seria morto pelos centauros, mas foi salvo por Quirão, que devolveu sua espada.[7]

Fim do reinado[editar | editar código-fonte]

Peleu, depois ter sido pai de Aquiles, foi ajudado por Jasão e os gêmeos Castor e Pólux. Eles saquearam Iolco e desmembraram Astidamia.[9] O reino então passa para o filho de Jasão, Téssalo.[10]

No texto atribuído a Díctis de Creta, Acasto é rei na Tessália até depois que Odisseu retorna para Ítaca. Neoptólemo,[Nota 1] quando estava entre os molossos consertando seus navios, descobre que Acasto havia expulsado seu avô Peleu.[11] Neoptólemo encontra o avô escondido em uma caverna, descobre o que havia acontecido, e assassina dois filhos de Acasto, Melanipo e Plístenes, que estavam caçando na região.[12] Em seguida, usando as vestes de Mestor, filho de Príamo que ele havia trazido como escravo de Troia, ele se apresentou a Acasto como se fosse Mestor, e disse que Neoptólemo estava cansado, e dormindo na caverna. Acasto, querendo se vingar do seu inimigo, foi até a caverna, onde Tétis o repreendeu por seus crimes contra a casa de Aquiles e contra os deuses. Tétis, porém, não deixou que Neoptólemo matasse Acasto, e este renunciou ao reino.[13]

Filhos[editar | editar código-fonte]

Pseudo-Apolodoro registra o nome de algumas filhas de Acasto, porém sem mencionar quem seria a mãe:

Um escólio de Eurípedes cita dois filhos de Acasto, Archander e Architeles, que teriam expulsado Peleu de Iolco durante a Guerra de Troia.[15] Díctis de Creta cita dois filhos seus, Melanipo e Plístenes, mortos por Neoptólemo.[12]

Notas e referências

Notas

  1. Pelo texto de Díctis de Creta, Tétis, a mãe de Aquiles e avó de Neoptólemo, era filha de Quirão, e foi chamada de nereida como uma honraria.

Referências

  1. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.9.8 [em linha]
  2. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.9.10
  3. a b Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.9.16
  4. a b c d Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 1.9.27
  5. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 53.1 [ael/fr][en][en]
  6. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 53.2 [ael/fr][en][en]
  7. a b c Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.13.3 [em linha]
  8. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.13.2
  9. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.13.7
  10. Diodoro Sículo, Biblioteca Histórica, Livro IV, 55.2 [ael/fr][en][en]
  11. Díctis de Creta, Ephemeridos belli Troiani, Livro VI, 7 [em linha]
  12. a b Díctis de Creta, Ephemeridos belli Troiani, Livro VI, 8
  13. Díctis de Creta, Ephemeridos belli Troiani, Livro VI, 9
  14. Pseudo-Apolodoro, Biblioteca, 3.13.8
  15. J. G. Frazer, Notes to Apollodorus Ec [em linha]

Árvore genealógica baseada em Pseudo-Apolodoro. Falta incluir esposa e filhos:

 
Posidão
 
 
 
 
 
Tiro
 
 
 
 
 
 
 
Creteu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pélias
 
 
 
Neleu
 
Esão
 
Amythaon
 
Feres
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Acasto
 
 
 
 
 
 
 
Jasão
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.