Acordo de Graz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O acordo de Graz foi um pacto assinado entre o líder bósnio sérvio Radovan Karadzic e o líder bósnio croata Mate Boban em 6 de maio de 1992 na cidade de Graz, na Áustria,[1] durante um período quando as forças sérvias controlavam 70% da Bósnia e Herzegovina.

O acordo declarou publicamente a divisão da Bósnia e Herzegovina entre a República Srpska e a República Croata da Herzeg-Bósnia.[1] O maior grupo na Bósnia e Herzegovina, os bósnios muçulmanos, não tomaram parte no acordo e não foram convidados para as negociações.[1] Na época, os bosníacos representavam 44% da população da Bósnia e Herzegovina (4.4 milhões) e dominavam o atual governo[2]

O tratado foi feito para limitar o conflito entre as forças sérvias e croatas, permitindo que ambas as partes se concentrassem em tomar o território das forças bosníacas[3] . Segundo o analista militar da Vreme, Miloš Vasić, o Acordo de Graz foi "o documento mais importante da guerra".[4]

O acordo de Graz foi visto como uma consequência do Acordo de Karađorđevo. Entre as recém-expandidas Croácia e Sérvia, existiria um pequeno estado-tampão bósniaco, pejorativamente chamado de "Pashaluk de Alija", pelas liderança croatas e sérvias, devido ao presidente bosníaco Alija Izetbegović.[5] A sentença do Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia no caso Tihomir Blaškić sugere que um acordo na reunião de Graz entre os líderes sérvios bósnios e croatas bósnios confirmam um acordo prévio entre os sérvios e os croatas (Slobodan Milošević e Franjo Tuđman) sobre a divisão da Bósnia e Herzegovina, possivelmente a partir do Acordo de Karađorđevo.[6]

Referências

  1. a b c Lukic, Rénéo; Lynch, Allen. In: Rénéo. Europe From the Balkans to the Urals: The Disintegration of Yugoslavia and the Soviet Union. [S.l.]: Oxford University Press, 1996. 210–212 pp. ISBN 0-19-829200-7.
  2. Blaine Harden (Issue 26 : Friday, May 8, 1992). Warring Factions Agree on Plan to Divide up Former Yugoslavia (HTML) The Washington Post. Visitado em 2007-09-25.
  3. IT-04-74-T, the Prosecutor versus Prlic et al. (HTML) pub (2 de Abril de 2007). Visitado em 2007-09-25. "Q. And in reference to the Graz Agreement of May 1992, what was your understanding, and the understanding of the international community, so 16664 far as you knew, of where this agreement left the Muslim people in Bosnia and Herzegovina?
    A. Well, it -- it left them really nowhere.
    Q. And can you tell the Judges in scanning through this agreement is there anyplace on the face of this document where any discussion is made about a Muslim territory or what part that Muslims would be left with?
    A. No. There's no mention of the Muslim community.
    "
  4. Pg 24 - Lee Bryant (Autumn 1993). The Betrayal of Bosnia (PDF) Centre for the Study of Democracy: University of Westminster. Visitado em 2007-09-25.
    Miloš Vasi_, "Two against one in Bosnia", WarReport (January 1993),p. 8-9.
  5. Blaine, Harden. "Warring Factions Agree on Plan to Divide up Former Yugoslavia", The Washington Post, 1992-05-08. Página visitada em 2009-08-11.
  6. Prosecutor v. Tihomir Blaškić - Judgement United Nations International Criminal Tribunal for the former Yugoslavia (2000-03-03). Visitado em 2009-08-18.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]