Adabas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Adabas (Adaptable DAta BAse System) é um Sistema gerenciador de banco de dados produzido pela empresa Software AG, usado inicialmente apenas em Mainframes, mas agora suportado por diversos sistemas diferentes, inclusive os de plataforma baixa.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro lançamento do Adabas aconteceu na década de 70. Ele é considerado por alguns como um dos primeiros SGDB produzidos comercialmente. Inicialmente foi lançado para mainframes da IBM, porém atualmente o Adabas é suportado por um grande grupo de sistemas de servidores, incluindo o OpenVMS, Unix, Linux e Windows. Adabas tem mantido a posição como um dos mais rápidos banco de dados OLTP oferecendo a funcionalidade 24x7, suporte a Sysplex paralelo, capacidade de replicação em tempo real, acesso a SQL e XML entre outras capacidades. Historicamente, Adabas foi usado em conjunto com a linguagem de programação NATURAL da sua empresa (Software AG).

Informações Técnicas[editar | editar código-fonte]

Adabas é um banco de dados baseado em Listas Invertidas. Ele foi descrito como Não-relacional, mas pode ser comparado como um “Quase Relacional” pelas suas características. Algumas diferenças entre o Adabas e um SGBDR tradicional:

  • Arquivos, e não tabelas, como o principais unidades de organização;
  • Records, e não células, como menores unidades de organização;
  • Campos, e não colunas, como componentes de uma unidade;
  • Não baseado no sistema SQL, precisando de um mecanismo de busca externo;
  • Dirty Read como modo de operação (Read uncommitted);
  • Suporta “Tabelas Encaixadas”.

Ele provou ser muito bem-sucedido em fornecer o acesso eficiente aos dados e em manter a integridade da base de dados. Adabas é agora usado extensamente nas aplicações que requerem um volume muito grande de processamento de dados, ou com grandes transações de processamento analítico on-line (OLAP)

Uso no Brasil[editar | editar código-fonte]

Quase todos os grandes bancos de dados governamentais mantidos pelo BNDES, BACEN, SERPRO e Dataprev estão em Adabas. Eles contêm informações de praticamente todos os brasileiros, como o banco de dados do SUS. Também o Banco do Brasil habilita sua utilização em paralelo com VSAM e DB2. A BrasilTelecom, outros bancos e grandes empresas de diversos setores utilizam Adabas. Por serem sistemas legados, suas mudanças para os modelos de bancos de dados relacionais implicariam investimentos altíssimos e pouca segurança no resultado final. O adabas é utilizado no Bradesco num sistema de financiamento que é proveniente do antigo FINASA, é único sistema em adabas no Bradesco. É também utilizado no Departamento Estadual de Trânsito de Sergipe onde mantém todas informações sobre veículos e condutores do Estado.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]