Adenet le Roi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Adenet Le Roi (nascido em Brabante c. 1240, falecido c. 1300), também chamado de Adenez, Adans Le Roi, Roi Adam, Li Rois Adenes, Adan le Menestrel ou Adam Rex Menestrallus, foi um trovador francês. Ele deveu a sua educação à bondade de Henrique III de Brabante, e permaneceu na corte por algum tempo após a morte de seu patrono, em 1261.

Em 1269, ele entrou para o serviço de Guy de Dampierre, depois nomeado Conde de Flandres, provavelmente como roi des menestrels, e o acompanhou no ano seguinte na Cruzada em Túnis, em que Luís IX perdeu a vida. A expedição retornou por meio da Sicília e da Itália, e Adenet deixou em seus poemas algumas descrições muito exatas dos lugares por onde passou. A pureza do seu francês e a ausência de provincianismos apontam a uma longa permanência na França, e tem sido sugerido que Adenet pode ter acompanhado Maria de Brabante no seu casamento com Filipe III da França. Parece, no entanto, que manteve-se no serviço do conde Guy, embora ele tenha feito visitas frequentes a Paris para consultar os anais preservados na Abadia de Saint-Denis, atual Basílica de Saint-Denis.

Há quatro poemas escritos por Adenet: Enfances Ogier, uma versão debilitada do Ogier Chevalerie de Danemarche (Ogier, o Dinamarquês), escrito por Raimbert de Paris no início do século; Berte aus Granspies, a história da mãe de Carlos Magno, fundamentada em tradições bem conhecidas que também são preservados no anônimo Chronique de France e no Chronique rimee de Philippe Mousket; Bueves de Comarchis, pertencente ao ciclo de romances reunidos em torno da história de Aimeri de Narbonne; e o longo romance de aventuras Cleomadés, emprestadas das tradições espanholas e árabes trazidas para a França por Blanche, filha de Luís IX, que, após a morte de seu marido espanhol voltou para a corte francesa. Adenet provavelmente morreu antes do final do século 13.

Os romances de Adenet foram editados pela Academie Imperiale et Royale de Bruxelas por A. Van Scheler e A. Hasseh em 1874; Berte foi traduzido em francês moderno por Hecq G. (1897) e R. Perie (1900); Cleomades, por Le Chevalier de Chatelain (1859). Veja também a edição de Berte por Paulin Paris (1832), um artigo do mesmo autor na Hist. litt. de la France, vol. xx, pp. 679–718; Leon Gautier, Les epopees francaises, vol. iii, & c.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Berte aus grans piés (1270)
  • Beuvon de Commarchis
  • Les Enfances Ogier (1270)[1]
  • Cleomadés

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. British Museum MS Harley 4404 ff102-251v, narrating the exploits of Ogier le Danois fighting the Saracens in Italy, based on an earlier 12th Century story

Este artigo é uma tradução do artigo Adenes Le Roi da Wikipédia em Inglês.