Adolph Francis Alphonse Bandelier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adolph Francis Alphonse Bandelier
Nascimento 6 de agosto de 1840
Berna, Suíça
Morte 18 de março de 1914 (73 anos)
Sevilha, Espanha
Residência Suíça
Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos americano
Ocupação Arqueólogo

Adolph Francis Alphonse Bandelier (Berna, 6 de agosto de 1840Sevilha, 18 de março de 1914) foi um arqueólogo americano, que destacou-se especialmente nos estudos da região sudoeste dos Estados Unidos e cujo nome foi homenageado quando da criação do Monumento Nacional Bandelier no Novo México.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bandelier nasceu em Berna, na Suíça. Quando jovem, emigrou para os Estados Unidos, mas estava insatisfeito trabalhando nos negócios da família. Sob a orientação do antropólogo pioneiro Lewis Henry Morgan, conseguiu uma bolsa de estudo, mais especificamente para trabalhos arqueológicos e etnológicos entre os indígenas do sudoeste dos Estados Unidos, México e América do Sul. Iniciou seus estudos no deserto de Sonora (México), Arizona e Novo México, e tornou-se a principal autoridade sobre a história desta região, e - com Frank Hamilton Cushing e seus sucessores - uma das maiores autoridades sobre a sua civilização pré-histórica.

Em 1892 trocou essa região pelo Equador, Bolívia e Peru, onde continuou com as investigações etnológicas, arqueológicas e históricas. No campo etnológico, parte de seus trabalhos esteve relacionado com a Hemenway Archaeological Expedition e no campo arqueológico, trabalhou para Henry Villard de Nova Iorque, e para o Museu Americano de História Natural da mesma cidade. Bandelier mostrou a falsidade de vários mitos históricos, particularmente em suas conclusões a respeito da civilização Inca do Peru.

Enquanto esteve no povoado de Isleta, encontrou seu amigo de muitos anos, o padre Anton Docher,[1] O Padre de Isleta[2] e Charles Fletcher Lummis.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • Universidade Harvard, Peabody Museum of American Archaeology and Ethnology, Annual Reports, 1877, 1878, 1879:
    • On the Art of War and Mode of Warfare of the Ancient Mexicans
    • On the Distribution and Tenure of Lands and the Customs with respect to Inheritance among the Ancient Mexicans
    • On the Social Organization and Mode of Government of the Ancient Mexicans
  • Do Papers of the Archaeological Institute of America, American Series, constituting vols. i.-v.:
    • Historical Introduction to Studies among the Sedentary Indians of New Mexico, and Report on the Ruins of the Pueblo of Pecos (1881)
    • Report of an Archaeological Tour in Mexico in 1881 (1884)
    • Final Report of Investigations among the Indians of the South-western United States (1890—1892, 2 vols.)
    • Contributions to the History of the South-western Portion of the United States carried on mainly in the years from 1880 to 1885 (1890)
  • "The Romantic School of American Archaeologists" (New York Historical Society, 1885)
  • The Gilded Man (El Dorado) and other Pictures of the Spanish Occupancy of America (1893)
  • On the Relative Antiquity of Ancient Peruvian Burials (American Museum of Natural History, Bulletin, v. 30, 1904)
  • Aboriginal myths and traditions concerning the island of Titicaca, Bolivia. (1904)
  • The Journey of Alvar Nuñez Cabeza de Vaca ... from Florida to the Pacific, 1528-1536 (editor, traduzido para o inglês por sua esposa; 1905).

Notas

  1. Samuel Gance. Anton ou la trajectoire d'un père. L'Harmattan, 2013, p.155-159.
  2. Keleher and Chant. The Padre of Isleta. Sunstone Press, 2009, p. 41.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]