Adriana Varejão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Adriana Varejão (Rio de Janeiro, 1964) é uma artista plástica brasileira contemporânea.

Adriana Varejão, Panacea Phantastica, 2003 – 2008, Inhotim, MG.

Participou de diversas exposições nacionais e internacionais, entre elas, na Bienal de São Paulo, Tate Modern em Londres e MoMa em Nova Iorque. Trabalha bastante com azulejos e está entre as mais bem-sucedidas do circuito mundial. [1]

Sua obra tem como base o período colonial brasileiro e se inspira nos botequins cariocas e nos banheiros públicos europeus.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Adriana Varejão nasceu no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha atualmente. Realizou sua primeira exposição individual em 1988 e na mesma época participou de uma coletiva no Stedelijk Museum, Amsterdã. Participou de importantes Bienais como Veneza e São Paulo e sua obra já foi mostrada em grandes instituições internacionais como MOMA (NY), Fundação Cartier em Paris, Centro Cultural de Belém em Lisboa e Hara Museum em Tóquio. Em 2008, foi inaugurado um pavilhão com obras suas no Centro de Arte Contemporânea Inhotim em Minas Gerais. Adriana está presente em acervos de importantes instituições, entre elas Tate Modern em Londres, Fundação Cartier (Paris), Stedelijk Museum (Amsterdã), Guggenheim (Nova Iorque) e Hara Museum (Tóquio).

Através da releitura de elementos visuais incorporados à cultura brasileira pela colonização, como a pintura de azulejos portugueses, ou a referência à crueza e agressividade da matéria nos trabalhos com “carne”, a artista discute relações paradoxais entre sensualidade e dor, violência e exuberância. Seus trabalhos mais recentes trazem referências voltadas para a arquitetura, inspirada em espaços como açougues, botequins, saunas, piscinas etc, e abordam questões tradicionais da pintura, como cor, textura e perspectiva.

Exposições Individuais[editar | editar código-fonte]

  • 2012 – Adriana Varejão, Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Paulo, Brasil
  • 2011 – Victoria Miro Gallery, London, UK
  • 2009 – Galeria Fortes Vilaça, São Paulo, Brasil

Lehmann Maupin Gallery, New York, USA

  • 2008 – Centro de Arte Contemporânea Inhotim, Minas Gerais, Brasil

Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, Brasil

  • 2007 – Hara Museum, Tokyo, Japan
  • 2006 – Fotografia como Pintura, Sesc Petrópolis, Rio de Janeiro, Brasil
  • 2005 – Chambre d"échos/Câmara de Ecos, Fondation Cartier Pour L´Art Contemporain, Paris, France

Centro Cultural de Belém, Lisboa, Portugal DA2 – Domus Artium 2002 Salamanca, Spain Galeria Fortes Vilaça, São Paulo, Brasil

  • 2004 – Saunas, Victoria Miro Gallery, London, UK
  • 2003 – Lehmann Maupin Gallery, New York, USA
  • 2002 – Galeria Fortes Vilaça, São Paulo, Brasil

Galeria Soledad Lorenzo, Madrid, Spain Victoria Miro Gallery, London, UK

  • 2001 – Azulejões, Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília, Brasil

Azulejões, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, Brasil Galeria Pedro Oliveira, Porto, Portugal

  • 2000 – Azulejões e Charques, Galeria Camargo Vilaça, São Paulo, Brasil

Bildmuseet, Umea, Sweden Borås Konstmuseum, Borås, Sweden Lehmann Maupin Gallery, New York, USA

  • 1999 – Alegria, Galeria Camargo Vilaça, São Paulo, Brasil
  • 1998 – Trading Images, Pavilhão Branco, Instituto de Arte Contemporânea, Lisboa, Portugal

Galeria Soledad Lorenzo, Madrid, Spain

  • 1997 – Galeria Ghislaine Hussenot, Paris, France
  • 1996 – Galeria Barbara Farber, Amsterdam, Netherlands

Galeria Camargo Vilaça, São Paulo, Brasil

  • 1995 – Annina Nosei Gallery, New York, USA
  • 1993 – Thomas Cohn Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, Brasil
  • 1992 – Galeria Barbara Farber, Amsterdam, Netherlands

Galeria Luisa Strina, São Paulo, Brasil

  • 1991 – Thomas Cohn Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, Brasil
  • 1988 – Thomas Cohn Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, Brasil[2]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Adriana Varejão