Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aeroporto Internacional de
Viracopos
Campinas


IATA: VCP - ICAO: SBKP
Tipo Público
Administração Aeroportos Brasil
Serve Campinas; São Paulo
Localização Não disponível
Inauguração 19 de outubro de 1960 (53 anos)


Altitude 661 m (2 169 ft)
Movimento em 2013 Aumento9.294.446 passageiros
Baixa234.540.620 t de carga
Aumento127.259 aeronaves
Capacidade anual 9,49 milhões de passageiros (2013)
Website oficial [Viracopos-Aeroportos Brasil Página oficial]
Pistas
1 (construção da segunda pista prevista para 2014)
Cabeceiras Comprimento Superfície
15/33 3 240 m (10 630 ft) Asfalto

O Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas (IATA: VCPICAO: SBKP) está localizado em Campinas, no estado brasileiro de São Paulo. É um importante centro de tráfego aéreo no Brasil e por superfície o maior centro de carga aérea na América do Sul. Viracopos é o hub de carga aéreo principal da TAM Cargo. Desde que o Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos está operando a plena capacidade e não pode ser ampliada ainda mais, o aeroporto de Viracopos também é importante para o tráfego de passageiros.

Localizado a 14 quilômetros do centro de Campinas e a 99 quilômetros do centro de São Paulo, Viracopos é o segundo principal terminal aéreo de cargas do país. Seu terminal de cargas tem uma área de 81 mil m² e responde por cerca de 18% da movimentação total de cargas registada nos aeroportos brasileiros.

Viracopos também tem apresentado grande crescimento no volume de passageiros transportados desde 2008, com o início de operações da Azul Linhas Aéreas. Em 2012, foram 8,8 milhões de passageiros transportados a partir do terminal e a expectativa é que mais de 9 milhões de passageiros passem pelo terminal em 2013.

O volume de passageiros e de cargas esta em pleno expansão, com a execução das obras de ampliação e modernização do complexo. Afinal, diante de sua posição estratégica no setor aéreo nacional, Viracopos integrou, ao lado de Brasília e de Guarulhos, o primeiro pacote de concessões de aeroportos realizado pelo Governo Federal em fevereiro de 2012.

No dia 6 de fevereiro de 2012, o Consórcio Aeroportos Brasil, formado pela Triunfo Participações e Investimentos, pela UTC Participações e pela francesa Egis Airport Operation, venceu o leilão de Viracopos com um lance de R$ 3,821 bilhões e será responsável pela administração e modernização do complexo aeroportuário nos próximos 30 anos.

Tower do Aeroporto de Viracopos

Depois do leilão, a Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos assinou, em 14 de junho de 2012, o contrato de concessão do aeroporto, anunciando investimentos de R$ 9,5 bilhões da ampliação e modernização do complexo durante os 30 anos de concessão. Deste total, R$ 2,06 bilhões será investido até maio de 2014 na construção de um novo terminal de passageiros destinado ao transporte de 14 milhões de passageiros por ano.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Interior do aeroporto.

O Aeroporto Internacional de Viracopos teve sua construção iniciada na década de 1950 pelo governador Adhemar Pereira de Barros e foi inaugurado em 19 de outubro de 1960. Sua longa pista, com 3.240m x 45m, foi construída para receber com segurança os quadrimotores a jato de primeira geração: Comet, Vickers VC-10, Douglas DC-8, e 990 e o Boeing 707.

À época, a utilização dos jatos era crescente no setor aéreo nacional e a construção de Viracopos surgiu como uma alternativa para o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, até então o único aeroporto do país com pistas longas e as condições necessárias para receber tais modelos de aeronave.

A localização estratégica de Viracopos também pesou para que o aeroporto recebesse os investimentos do Poder Público para se transformar numa alternativa ao Galeão. Afinal, localiza-se numa região com condições climáticas favoráveis na maior parte do ano e tem o maior índice de aproveitamento operacional do país, consideradas as condições meteorológicas.

Nesse sentido, vale o destaque: enquanto grande parte dos aeroportos do centro-sul do Brasil fecham ou operam por instrumentos nos dias em que a atuação de frentes frias é mais acentuada, Viracopos permanece aberto, recebendo inclusive os voos destinados a outros aeroportos que estejam temporariamente sem condições de operação. Em média, o aeroporto de Campinas permanece fechado apenas seis horas por ano em razão das condições meteorológicas.

O acerto da localização, sob o ponto de vista operacional, no entanto, criou um obstáculo comercial: Viracopos passou a ser um aeroporto mais distante da cidade que originalmente desejava servir: São Paulo (dependendo de sua localização na capital paulista, a distância para o aeroporto ultrapassa 100 km). A redução do tempo de deslocamento entre a capital e o aeroporto é um dos grandes desafios para que Viracopos

Por isso, a partir da implantação do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na década de 80, Viracopos teve uma redução significativa no número de voos comerciais e no fluxo de passageiros e passou a investir na exploração de sua vocação para o transporte de cargas.

A vocação cargueira de Viracopos foi consolidada na década de 1990, quando o aeroporto despontou para o segmento de Carga Aérea Internacional. Sua infraestrutura foi ampliada, os processos de movimentação de carga e desembaraço aduaneiro foram modernizados, transformando o aeroporto em referência logística no cenário nacional.

Acidente de 1961[editar | editar código-fonte]

Na madrugada de 23 de novembro de 1961, um jato Comet 4 de prefixo LV-AHR, das Aerolíneas Argentinas, caiu logo após decolar de Viracopos, provocando a morte das 52 pessoas que estavam a bordo.[3]

Os motores da aeronave que havia partido de Buenos Aires apresentaram problemas durante o procedimento de decolagem e a aeronave ficou descontrolada. Ela então começou a perder altitude até atingir uma plantação de eucaliptos, situada a 500 metros da cabeceira da pista, na zona rural do município de Campinas.

Com o impacto, o avião abriu uma clareira de 400 metros de extensão entre as árvores e se despedaçou até bater contra um pequeno morro e explodir.


Companhias aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Companhias Aeronaves Voos Domésticos regulares[1]
Brasil Azul/TRIP ATR 42

ATR 72

Embraer 190

Embraer 195

Brasil Gol / Varig Boeing 737
Brasil TAM Airbus A320
Companhias Aeronaves Voos Internacionais regulares[1]
Portugal TAP Airbus A330-200 Portugal Lisboa
Brasil Gol / Varig Boeing 737

Estados Unidos Miami via República Dominicana Santo Domingo

Brasil Azul Linhas Aéreas Airbus A330-200

Estados Unidos Fort Lauderdale/Miami (A partir de Dezembro de 2014)

Estados Unidos Orlando (A partir de Dezembro de 2014)

Estados Unidos Nova York (A partir de 2015)

Panamá Copa Airlines Boeing 737 Panamá Cidade do Panamá
Uruguai BQB Lineas Aereas ATR 72

Uruguai Montevidéu

Companhias Aeronaves Voos Cargueiros regulares[1]
Luxemburgo Cargolux Boeing 747
Estados Unidos Fedex MD-11
Alemanha Lufthansa Cargo MD-11
Estados Unidos Atlas Air Boeing 747
Itália Cargolux Italia Boeing 747 Itália Milão
Colômbia LANCO Boeing 767
Chile LAN Cargo Boeing 777
México MasAir Boeing 767 Brasil Manaus
Países Baixos Martinair MD-11
Colômbia Avianca Cargo Airbus A330
Brasil ABSA Cargo Airline Boeing 767
=Emirados Árabes Unidos Emirates SkyCargo Boeing 777
Estados Unidos United Parcel Service Boeing 757

Boeing 767

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras utiliza o Aeroporto Internacional de Campinas como hub de suas operações.
Ano Movimento (Passageiros)
2003 654.768Aumento
2004 717.362Aumento
2005 816.599Aumento
2006 826.246Aumento
2007 1.006.059Aumento
2008 1.083.878Aumento
2009 3.564.686Aumento
2010 5.428.986Aumento
2011 7.542.239Aumento
2012 8.824.074Aumento
2013 9.294.446Aumento

Complexo aeroportuário[editar | editar código-fonte]

Sítio aeroportuário
  • Área: 17.659.300,00 m²
Pátio das aeronaves
  • Área: 86.978 m² (pátios 1 e 2)
Pista Principal
  • Comprimento: 3.240m x 45m largura
Terminal de passageiros
  • Área: 31.500 m²
Estacionamento
  • Capacidade: 2.010 vagas
Balcões de check-in
  • Número: 72
Estacionamento de aeronaves
  • Número de posições pátios 1 e 2: 21
  • Número de posições pátio 3 (grande porte): 11

Órgãos públicos[editar | editar código-fonte]

Acessos[editar | editar código-fonte]

Viracopos está localizado na região sudoeste da cidade e possui fácil acesso a partir da ampla malha rodoviária que cruza a Região Metropolitana de Campinas.

  • Rodovia Dom Pedro I (SP-065) - Veículos originários do Vale do Paraíba, Litoral de São Paulo ou do Rio de Janeiro que estão na rodovia Presidente Dutra (BR-116) podem acessar a rodovia Dom Pedro I (SP-065) na altura de Jacareí e seguir em direção a Campinas. O acesso à rodovia Dom Pedro I também é válido para os motoristas que trafegam pela rodovia Fernão Dias (BR-381), na altura de Atibaia. Ao acessar a rodovia Dom Pedro I, o motorista deve seguir até o km 129 e utilizar a alça de retorno para a pista sentido Jacareí. Na pista sentido Jacareí, siga até o km 127 para acessar o anel viário José Roberto Magalhães Teixeira (SP-083). No final do anel viário, acesse a rodovia Anhanguera, no sentido anterior, até o trevo com a rodovia Santos Dumont.

Desenvolvimento de 2012 a 2042[editar | editar código-fonte]

Nova gestora do Aeroporto Internacional de Viracopos, a Concessionária Aeroportos Brasil Viracopos anuncia investimentos de R$ 9,5 bilhões durante os 30 anos da concessão para transformá-lo no maior e mais moderno terminal da América Latina.[2]

De acordo com o planejamento da Concessionária, o “novo” aeroporto de Viracopos foi concebido a partir do conceito de “aeroporto cidade” e sua expansão prevê ainda hotéis, shopping center e centro de convenções, num projeto desenvolvido em parceria com a projetista holandesa NACO, consultoria especializada na engenharia de aeroportos responsável pelo aeroporto de Schipol, em Amsterdã, um dos mais modernos do planeta.

O projeto é sustentável, com destaque para a cobertura do telhado com células fotovoltaicas para captura da energia solar e o sistema de reutilização da água da chuva. Também privilegia o conforto do passageiro, tem um design compacto e com forte identidade arquitetônica.

Além da holandesa NACO, os trabalhos desenvolvidos pela Concessionária em Viracopos contam com a consultoria da Flughafen München GmbH (FMG), operadora do Aeroporto de Munique, o sexto maior da Europa.

Investimentos[editar | editar código-fonte]

O MasterPlan de Viracopos conta com cinco ciclos de investimentos durante os 30 anos de concessão e o primeiro deles, até maio de 2014, já está em execução.

Neste primeiro ciclo do MasterPlan, a Aeroportos Brasil Viracopos investirá R$ 1,4 bilhão na construção de um novo terminal com capacidade para o transporte de 14 milhões de passageiros/ano.

O novo terminal, que terá uma moderna estrutura em concreto, aço e vidro, contará ainda com 28 pontes de embarque, sete novas posições remotas de estacionamento de aeronaves e um edifício-garagem com 4 mil vagas, além da ampliação das pistas de taxiamento de aeronaves, até maio de 2014.

Para cumprir todo o planejamento previsto no primeiro ciclo do MasterPlan, a Concessionária informa que o trabalho de engenharia será realizado no regime fast track, em que as execuções de engenharia e de construção seguem no mesmo ritmo.

As obras do primeiro ciclo de investimentos do MasterPlan de Viracopos foram iniciadas em 31 de agosto de 2012 com as obras de preparo do terreno e terraplenagem, que movimentarão 2,5 milhões de m³ de terra e se estenderão até a primeira quinzena de outubro de 2012, quando terá início a etapa de fundação.

A previsão da Concessionária é que no pico das obras, mais de 3 mil operários estarão em ação em Viracopos.

Ciclos de investimento[editar | editar código-fonte]

Após a primeira etapa de investimento, até 2014, a Aeroportos Brasil Viracopos investirá mais R$ 7,44 bilhões no processo contínuo de expansão e modernização do complexo aeroportuário. Os outros quatro ciclos de investimento do MasterPlan estão distribuídos da seguinte maneira:

  • 2º ciclo: 22 milhões de passageiros, com início das intervenções projetado para 2018;
  • 3º ciclo: 45 milhões de passageiros, com início das intervenções projetado para 2024 e destaque para a construção da terceira pista;
  • 4º ciclo: 65 milhões de passageiros, com início das intervenções projetado para 2033 e destaque para a construção da quarta pista;
  • 5º ciclo: 80 milhões de passageiros, com início das intervenções projetado para 2038.

Calendário turístico[editar | editar código-fonte]

Desde o dia 15 de janeiro de 2009, por meio da lei 13.400/2009, foi incluída no Calendário Turístico do Estado a Festa de Aniversário de Fundação do Aeroporto Internacional de Viracopos. A celebração se realiza, anualmente, no dia 19 de outubro, em Campinas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c ANAC. Voos autorizados vigentes. HOTRAN. Página visitada em 04/08/2013.
  2. Viracopos: O maior aeroporto da América Latina. Página visitada em 25 de setembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]