Aeroporto da Madeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aeroporto Internacional da Madeira
Aeroporto da Madeira runway.JPG
IATA: FNC - ICAO: LPMA
Tipo Público
Administração ANAM - Aeroportos e Navegação Aérea da Madeira, SA
Serve Ilha da Madeira
Localização Não disponível
Inauguração 8 de julho de 1964 (50 anos)


Altitude 59 m (194 ft)
Movimento em 2006 2 362 398 passageiros
7 210 toneladas
25 828 aviões
Capacidade anual Não disponível
Website oficial Página oficial
Pistas
Cabeceiras Comprimento Superfície
05/23 2 781 m (9 124 ft) Asfalto

O Aeroporto Internacional da Madeira (código FNC para a cidade do Funchal), igualmente conhecido como Aeroporto do Funchal e ainda popularmente chamado de Aeroporto de Santa Catarina, estando localizado na freguesia e município de Santa Cruz, na ilha da Madeira, existindo um outro na ilha do Porto Santo (PXO). Tem grande movimento turístico proveniente de toda a Europa e, também, importante também no movimento de carga para o abastecimento de todo o arquipélago da Madeira.[1]

O Aeroporto da Madeira foi inaugurado a 8 de Julho de 1964 com uma pista de 1600 metros de extensão. O arquipélago da Madeira ganhou assim novas ligações ao continente português, já que até então as viagens se faziam de barco. A primeira aterragem de um avião na ilha da Madeira ocorreu em 1957, numa pista experimental em Santa Catarina.

Em 1972, dada a incapacidade da pequena pista em receber aviões capazes de dar vazão ao fluxo de turistas que procuravam a ilha da Madeira, começou a ser pensada uma ampliação para que fosse possível reconhecer voos intercontinentais.[1] Um projecto do engenheiro Edgar Cardoso foi então apresentado e, no ano seguinte, foi inaugurado um novo terminal, capaz de receber 500 mil passageiros por ano.

Entre 1982 e 1986 a pista foi aumentada para 1800 metros, assim como se procedeu à ampliação da plataforma de estacionamento de aviões. A extensão foi inaugurada a 1 de Fevereiro de 1986, pelo então Presidente da República General Ramalho Eanes[2] .

Entretanto, o engenheiro António Segadães Tavares adaptou os estudos de Edgar Cardoso e planeou uma nova ampliação da pista. Assim, a 15 de Setembro de 2000 teve lugar a inauguração da extensão da pista para 2781 metros. Esta é construída parcialmente em laje sobre o mar, ficando assente em 180 pilares.

Este encontra-se qualificado para receber aviões de grande dimensão como o Airbus 340 ou Boeing 747, o qual esteve presente na inauguração da pista a 15-09-2000, assim como quase qualquer tipo de aviação civil, ou militar, sendo a principal porta de entrada de turistas na Região assim como de correio postal, carga e outros serviços essenciais. É um aeroporto internacional que também serve voos domésticos.

Engenharia[editar | editar código-fonte]

As suas pistas 05 e 23 são consideradas das mais difíceis e perigosas aproximações e aterragens do mundo, devido à alta turbulência sentida quando o vento é superior a 15 nós, sendo geralmente de direcção 300 e 020. Na aproximação à pista, ventos descendentes e ascendentes (quando muito próximo da pista) e durante a aterragem é frequente, grande turbulência assim com rajadas de vento laterais. Outra dificuldade sentida pelos pilotos, é o uplift (força ascendente) quando a aeronave sobrevoa a pista, dando uma sensação que o avião "não quer" aterrar. Devido às dificuldades técnicas apresentadas aos pilotos, é necessário uma licença especial para operações neste aeroporto e apenas pilotos com experiência em operações diurnas poderão realizar operações nocturnas.

A obra de extensão do Aeroporto da Madeira, realizada na primeira fase pelo Consórcio "ZED - Sociedade Construtora das Obras de Ampliação do Aeroporto do Funchal L.da": EMPEC e ZAGOPE (Portugal) Dragados (Espanha) Dragage et Travaux Public (França) e Conrad Zschokke (Suíça) teve projecto do Prof. Edgar Cardoso (Estruturas) e da Brasileira Hidrosevice de S.Paulo (Terraplanagens) e ampliou a pista inicialmente de 1600 metros para 1850 (50 na cabeceira da antiga pista 06 e 200 na pista 24) nesta última, já em parte, com utilização da tecnologia da "Viga de Lançamento" e com pilares de 60 metros de altura (sobre o mar). Tudo isto por imperativos de homologação internacional. A segunda fase da obra, com o atravessamento completo da baía da Ribeira de Pena, é uma obra "Dantesca" cuja mais-valia técnica em face dos valores dispendidos ainda merece contestação por parte de alguns muitos sectores. É uma obra reconhecida mundialmente como uma das mais difíceis de realizar devido à tipologia de terrenos e a orografia. Em 2004, Dr. Manabu Ito, presidente da Associação Internacional de Pontes e Engenharia Estrutural (IABSE), apresentou em Xangai, China, o prémio de 2004 IABSE Outstanding Structure Award que só é atribuído a grandes obras de engenharia reconhecidas mundialmente. Assim António Segadães Tavares foi o primeiro português a ganhar o que seria o equivalente ao "Nobel" da Engenharia, com a ampliação do aeroporto da Madeira.[3] Único aeroporto, dos 5 principais aeroportos nacionais (Lisboa, Porto, Faro, Ponta Delgada e Funchal), que se encontra em operação sem servidão aeronáutica constituída, vr http://www.inac.pt/vPT/Generico/ServidoesAeronauticas/Paginas/Servidoesaeronauticas.aspx

Acidentes[editar | editar código-fonte]

A 19 de Novembro de 1977, um avião Boeing 727-200 da TAP despenhou-se no fim da pista do Aeroporto da Madeira. Foi o segundo mais grave acidente da história da aviação em Portugal (a seguir ao voo Independent Air 1851) que provocou 131 mortos e 33 sobreviventes. Segundo o relatório de investigação do acidente publicado pelo INAC, os factores apontados foram as condições meteorológicas adversas aliadas ao comprimento da pista e a falha humana[4] .

Rotas operadas[editar | editar código-fonte]

  • Aigle Azur (Paris)
  • Air Berlin (Berlim-Tegel, Dresden, Düsseldorf, Hamburgo, Leipzig/Halle, Munique, Nuremberga, Zurique)
  • Austrian Airlines (Viena)
  • Axis Airways (Nantes)
  • ArkeFly (Amesterdão)
  • Binter Canarias (Grã-Canária)
  • Cimber Sterling (Copenhaga)
  • Condor Airlines (Düsseldorf, Frankfurt, Hamburgo, Leipzig/Halle, Munique, Estugarda)
  • EasyJet (Lisboa, Londres)
  • Europe Airpost (Paris-Charles de Gaulle)
  • Iberia (Bilbau, Valência)
  • First Choice Airways (Londres-Gatwick, Manchester, Exeter)
  • Flyglobespan (Edimburgo)
  • Hamburg International (Paris-Charles de Gaulle)
  • Hapagfly (Düsseldorf, Hanôver)
  • Jet2 (Manchester, Leads)
  • LTU International (Düsseldorf)
  • Luxair (Luxemburgo)
  • Neos (Milão-Malpensa)
  • Santa Barbara Airlines (Caracas)
  • SATA Air Açores (Grã-Canária, Tenerife, Porto Santo)
  • SATA International (Copenhaga, Newcastle, Paris-Charles de Gaulle, Ponta Delgada, Zurique)
  • Scandinavian Airlines (Oslo-Gardermoen)
  • TAP Portugal (Caracas, Lisboa, Londres-Heathrow, Porto)
  • Thomson Airways (Birmingham, Bristol, Londres-Gatwick, Manchester, Bournemouth)
  • Thomas Cook Airlines (Bruxelas)
  • Thomas Cook Airlines (Glasgow, Londres-Gatwick, Manchester)
  • Thomas Cook Airlines Scandinavia (Billund, Copenhaga, Helsínquia)
  • Thomsonfly (Londres-Gatwick, Manchester)
  • Thomas Cook Airlines (Birmingham, Bristol, East Midlands, Glasgow, Londres-Gatwick, Londres-Luton, Manchester)
  • Transavia (Amesterdão, Porto)
  • Travel Service (Praga)
  • TUIfly (Basel/Mulhouse, Colónia/Bonn, Frankfurt, Hanôver, Estugarda)

Referências

  1. a b MELLO, J. C. C. B. S., et al. Avaliação do tamanho de aeroportos portugueses com relações multicritério desuperação. Pesquisa Operacional, v. 25, n.2, p. 313-33, 2005. Acesso em: 17 de abril de 2011.
  2. Jornal da Madeira, 2 de Fevereiro de 1996, p1
  3. Nobel da Engenharia 2004. Página visitada em 28-10-2011.
  4. Relatório de Acidente TRANSPORTES AÉREOS PORTUGUESES BOEING 727-282 – CS-TBR AEROPORTO DE SANTA CATARINA ILHA DA MADEIRA PORTUGAL 19 NOVEMBRO 1977 —DIRECÇÃO GERAL DA AERONÁUTICA CIVIL

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto da Madeira