Aeroporto de Petrolina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aeroporto Internacional de Petrolina - Senador Nilo Coelho


IATA: PNZ - ICAO: SBPL
Tipo Público
Administração INFRAERO
Serve Petrolina (PE) e Juazeiro (BA)
Localização Não disponível
Inauguração Não disponível


Altitude 385 m (1 263 ft)
Movimento em 2012 458.588 passageiros
3.729.849t de carga
6.588 aeronaves
Capacidade anual 150 mil passageiros
Website oficial Página oficial
Pistas
Cabeceiras Comprimento Superfície
31/13 3 250 m (10 663 ft) Asfalto

O Aeroporto Internacional de Petrolina - Senador Nilo Coelho é um aeroporto que serve aos municípios brasileiro de Petrolina, Lagoa Grande,Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Ouricuri,Santa Cruz , Parnamirim, Araripina,Serra Talhada,Salgueiro, Afrânio e Dormentes, em Pernambuco, e também ao município de Juazeiro, Casa Nova, Sobradinho e Curaçá, na Bahia e cerca de outros 50 municípios na região.

O Aeroporto possui a segunda maior pista de aterrissagem do Nordeste, com 3.250 metros. Se firma como um dos principais do Nordeste, impulsionado pela produção do Vale do São Francisco, maior exportador de frutas do Brasil e responsável pela maior taxa de crescimento econômico da Região.[1]

Os investimentos que a Infraero, estatal que administra vários aeroportos no Brasil, implementou no aeroporto, o transformaram no segundo maior da região Nordeste do país.

O terminal de cargas do Aeroporto de Petrolina, com dois mil metros quadrados, está preparado para atender a demanda de exportação de frutas da região. A estrutura é toda preparada para atender à produção perecível, com seis câmeras frigoríficas, com capacidade de armazenamento de 17 mil caixas cada uma, e dois túneis de resfriamento.

O novo terminal de passageiros é totalmente climatizado, com equipamentos de segurança modernos, como o circuito interno de TV e o sistema informativo de voo, além de 18 pontos comerciais dentro do conceito de Aeroshopping. O aeroporto tem lanchonetes, restaurante, lojas de artesanato e de produtos regionais, locadoras de veículos e terminal de saque eletrônico.


O Aeroporto Internacional de Petrolina/Senador Nilo Coelho é um aeroporto que serve ao município de Petrolina, Lagoa Grande, Afrânio e Dormentes, em Pernambuco, e também ao município de Juazeiro, Casa Nova, Sobradinho e Curaçá, na Bahia. O Aeroporto de Petrolina possui a segunda maior pista de aterissagem do Nordeste com 3.250 metros. Se firma como um dos principais do Nordeste, impulsionado pela produção do Vale do São Francisco, maior exportador de frutas do Brasil e responsável pela maior taxa de crescimento econômico da Região.

São quatro as companhias aéreas que operam com voos regulares no aeroporto: a GOL Linhas Aéreas,Azul Linhas Aéreas, Avianca Brasil e a TRIP Linhas Aéreas. As obras, encerradas em outubro de 2004, também foram responsáveis pelo reforço asfáltico da pista e do pátio de aeronaves, ampliado para 18.212 metros quadrados, com cinco posições de estacionamento para aviões de grande porte.

O terminal de cargas do Aeroporto de Petrolina, com dois mil metros quadrados, está preparado para atender a demanda de exportação de frutas da região. A estrutura é toda preparada para atender à produção perecível, com seis câmeras frigoríficas, com capacidade de armazenamento de 17 mil caixas cada uma, e dois túneis de resfriamento.

O novo terminal de passageiros do Aeroporto de Petrolina – Senador Nilo Coelho é totalmente climatizado, com equipamentos de segurança modernos, como o circuito interno de TV e o sistema informativo de voo, além de 18 pontos comerciais dentro do conceito de Aeroshopping. O aeroporto tem lanchonetes, restaurante, lojas de artesanato e de produtos regionais, locadoras de veículos e terminal de saque eletrônico.

Inicio de tudo[editar | editar código-fonte]

O tráfego aéreo em Petrolina iniciou-se no dia 16 de fevereiro de 1933, com a inauguração do primeiro campo de pouso da cidade e o pouso do primeiro avião do Correio Aéreo Militar – CAM, um Waco. Em 28/03/1941 iniciou-se a operação do trecho Rio de Janeiro / Bom Jesus da Lapa / Petrolina / Recife, realizada com uma aeronave Beechcraft 18, pela empresa NAB – Navegação Aérea Brasileira, fundada em 1939 como uma empresa pública em concorrência direta ao Syndicato Condor e Pan Am / Panair do Brasil, sendo suas operações encerradas em março de 1948. A Navegação Aérea em Petrolina iniciou-se quando em 1958 o Ministério da Aeronáutica assumiu a responsabilidade dos encargos de manutenção e conservação do terminal de passageiros, pátio de estacionamento e pista de pouso, construídos pela Superintendência do Vale do São Francisco – SUVALE), que localizavam-se na Praça Santos Dumont, no centro da Cidade de Petrolina.

O antigo aeroporto ficara ilhado no centro da cidade, pelo desenvolvimento desordenado da malha urbana e a sua operação se tornara inviável pelo alto grau de insegurança atingido, tal era a frequência de invasões de animais e pessoas que cruzavam a pista de pouso. Diante da situação agravante, em 1978 foram iniciadas as obras do novo Aeroporto de Petrolina, sendo as mesmas concluídas no final do ano seguinte, permanecendo inativo até 1981.

Em 28 de outubro de 1981 o Aeroporto foi oficialmente inaugurado e foi também realizada a transferência de jurisdição do Aeroporto de Petrolina, do Segundo Comando Aéreo Regional para a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, na forma da Portaria nº 1363/GM-5, de 27/10/1981 e Ato Administrativo nº 328/INFRAERO/81, de 27 de outubro de 1981, sendo o Serviço de Informação de Voo de Aeródromo - AFIS realizado pela empresa Telecomunicações Aeronáuticas S/A – TASA, sociedade de economia mista, vinculada ao Ministério da Aeronáutica.

Em 21 de junho de 1984 foi iniciada a linha comercial com aviões de grande porte, como o Boeing 737, ligando quatro vezes por semana, Petrolina a Recife, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, encerrando uma época de operações apenas de pequenos aviões particulares e uma frequência diária dos Bandeirantes da Nordeste Linhas Aéreas Regionais, ligando Petrolina a Salvador e Recife.

A partir de 29 de fevereiro de 1996, a Telecomunicações Aeronáuticas S/A - TASA foi incorporada pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – INFRAERO, conforme Decreto Presidencial nº 1.691, de 01 de novembro de 1995.

No ano de 2000, através da Portaria nº 95/CG-5, de 17/02/2000, o Aeroporto de Petrolina foi habilitado para o tráfego aéreo internacional de cargas.

Pela Lei nº 10.505, de 08/07/2002, o Aeroporto de Petrolina passa a denominar-se "Aeroporto de Petrolina – Senador Nilo Coelho".

Em 2004 passou por uma reforma no terminal de passageiros, passando para 2.027 m2 com capacidade para receber 150.000 passageiros anuais, reforço e ampliação do pátio de manobras, que permitiram melhor qualidade do reforço asfáltico da pista e do pátio de aeronaves, ampliado para 16.406 m², com cinco posições de estacionamento para aviões de grande porte e com dez posições no total e ampliação da pista de pouso e decolagem, passando para 3.250 metros de comprimento por 45 metros de largura permitindo a operação de aeronaves de grande porte como o Boeing 747-400.

CENÁRIO ATUAL

A configuração atual da Navegação Aérea em Petrolina iniciou-se no ano de 2010, e vem a mesma desempenhando satisfatoriamente suas atividades desde o início das operações da TASA, no novo Aeroporto localizado na BR 235, em 1981 e a partir de 1996 com a absorção da TASA pela INFRAERO.

A Navegação Aérea de Petrolina dispõe de:

• Coordenação de Navegação Aérea

• Estação de Telecomunicações (ECMB22) que presta o AFIS (Serviço de Informação de Vôo de Aeródromo) através de 06 Profissionais de Navegação Aérea – PNA (Operador de Estação Aeronáutica);

• Estação Meteorológica de Superfície (EMS-2/CMA-2) composta por 06 Profissionais de Meteorologia – PMET; e

• Sala de Informações Aeronáuticas (AIS), composta por 01 Profissional de Navegação Aérea – PNA (Técnico em Informações Aeronáuticas);

IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA

A região Petrolina-Juazeiro encontra-se em posição privilegiada, devido ao fato de ser equidistante das sedes das regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Teresina e Fortaleza. Esta localização lhe proporciona uma função articuladora entre estas metrópoles e capitais regionais. E com relação ao tráfego aéreo, estão disponibilizados em Petrolina um radar instalado no DTCEA-PL, os auxílios rádio, VOR-DME, NDB e uma Estação de Comunicação VHF, uma estação meteorológica convencional e uma automática principal e uma reserva, prontas para entrar em operação, como equipamentos que operam no intuito de proporcionar as melhores condições possíveis para segurança do voo na região.

PERSPECTIVAS FUTURAS

Diante de um crescente movimento, passando de 5.324 pousos e decolagens de aeronaves no ano de 2005 para 6.634 no ano de 2010 e de 8.367 no ano de 2011. De 156.626 passageiros embarcados e desembarcados em 2005 para 254.161 (soma geral) e de 372.056 em 2011, o Aeroporto de Petrolina – Senador Nilo Coelho conta ainda com uma frequência semanal (madrugada das quartas-feiras) de um vôo cargueiro para a Europa (Luxemburgo) e passou a operar H24 a partir de 01 de novembro de 2010 e já apresenta perspectivas de ampliação no número de empresas aéreas em operação, atualmente em quatro, totalizando sete vôos diários, atendendo a ávida demanda de transporte gerada pelo turismo de negócio (agronegócio) e ainda com um excelente espaço a ser ampliado no turismo de férias, o ecológico e o enoturismo.

[editar | editar código-fonte]

Companhias Aéreas e Destinos[editar | editar código-fonte]

Passageiros[editar | editar código-fonte]

Brasil AVIANCA

Brasil AZUL

Brasil GOL

Cargueiras[editar | editar código-fonte]

Cargolux (sazonal)

[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um aeroporto, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.