Afinsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Afinsa era a terceira maior empresa mundial de activos não financeiros, por de trás da Sotheby's e da Christie's.1 Foi fundada em 1980 pelo português Albertino de Figueiredo. Operava em diversos mercados europeus, asiáticos e nos Estados Unidos. Tinha filiais em diversas cidades incluindo Barcelona, Vigo, Valladolid, Lisboa, Londres e Paris.

A Afinsa definia-se a si própria como um grupo empresarial no mercado de bens tangíveis -arte, filatelia, numismática e antiguidades-, tanto ao nível do coleccionismo como do investimento e operava em Espanha havia 27 anos.2

No final de 2004 a Afinsa possuía cem escritórios, 2600 empregados e cerca de 143 mil clientes. A sua facturação nesse ano foi de 542 milhões de euros e os lucros foram de 51 milhões de euros.3

Empresas participadas[editar | editar código-fonte]

No âmbito do coleccionismo, a Afinsa opera internacionalmente com participações significativas em diferentes companhias. Entre estas destaca-se o Grupo Escala, no qual possui uma participação de 68%, e cujas as acções estavam cotadas no NASDAQ até ter sido expulso a 10 de Janeiro de 2007.4 5

Na sua vertente de investimento, dedicada a facilitar aos clientes a compra e venda de bens para investimento, a Afinsa está presente em Espanha através da Afinsa Sistemas de Inversión e da Afinsa Online e em Portugal através Afinsa Investimentos.4

Catálogos editados[editar | editar código-fonte]

A Afinsa comprou em 1998 a editora Domfil Catálogos Temáticos Internacionales S.L.. A Domfil publica catálogos filatélicos bilingues, em espanhol e em inglês, e os temas vão desde o automobilismo ao xadrez.6 7

A Publiafinsa, propriedade da Afinsa e entretanto extinta, editava a Crónica Filatélica e a Crónica Numismática.8 Segundo o Ministério Fiscal de Espanha, as revistas eram editadas com o único objectivo de vender imagem, não tendo rentabilidade própria.9

Segundo o Ministério Fiscal de Espanha, a Afinsa comprou secretamente, em Junho de 2003, o catálogo Brookman por 650 mil dólares e apresentava-o como "prestigioso e independente".9 10 11 12

Alegações de fraude[editar | editar código-fonte]

Em 9 de Maio de 2006, a Afinsa Bienes Tangibles e o Fórum Filatélico foram investigados judicialmente sob a acusação de fraude fiscal, branqueamento de capitais e insolvência punível, entre outros delitos envolvendo as poupanças de mais de 350 000 investidores privados em Espanha 13 .14 15 16 A Procuradoria Anti-Corrupção espanhola avalia a alegada burla da Afinsa em 1 100 milhões de euros, uma das maiores nos últimos 25 anos.17 Os escritórios da Afinsa em Madrid foram revistados por polícias armados de metralhadoras que levaram documentos e computadores e que fecharam a sede ficando a empresa sob administração judicial.15 18 19 Foram detidas cinco pessoas da Afinsa incluindo o fundador Albertino de Figueiredo e um dos seus filhos Carlos Figueiredo Escribá.15 20 A companhia publicou uma nota no seu website tranquilizando os seus clientes e empregados dizendo que estava a cooperar com as autoridades para provar a sua inocência.21 22

A companhia foi acusada de operar um esquema de Ponzi usando o dinheiro dos novos investidores para pagar os lucros dos antigos e de empolar o valor dos seus activos filatélicos.23 24 25 Muitos dos mais de 143 000 investidores da Afinsa (valores de 2004) eram pensionistas que acharam mais atractivo investir as suas poupanças em selos raros e ganhar um lucro garantido de 6% ao ano do que as colocar em depósitos a prazo que pagavam um juro muito menor.26 27 28

A Afinsa não é uma instituição financeira, i.e. uma instituição que aconselha os seus clientes como investir o seu dinheiro. Tal como o investimento em acções, o investimento em bens tangíveis não está protegido por um fundo de garantia pela a lei espanhola (disponível somente para as instituições financeiras registadas, o que permitiu que as vítimas dos escandalos do Banesto e da Gescartera recuperassem uma pequena parte de seus investimentos).22 29 30 Estes investimentos são regulados pelos governos regionais e não pela Comisión Nacional del Mercado de Valores.31 Os clientes da Afinsa afectados por esta situação formaram diversas associações para defenderem os seus direitos, assim como os clientes do Forum Filatélico.32 33

Afinsa, um ano depois[editar | editar código-fonte]

Passado um ano, a Afinsa continua a ser investigada pelas justiças espanhola e portuguesa, sabe-se agora que foram lesados 195 000 clientes e que o buraco financeiro ultrapassa os 1823 milhões de euros.34 35 36 Conhece-se melhor o mecanismo usado pela empresa para burlar os seus clientes. Esta comprou secretamente em Junho de 2003 o catálogo Brookman por 650 000 dólares, que apresentava como "prestigioso e independente".10 11 12 A Afinsa decidia que material devia ser catalogado assim como o seu valor.11 Segundo a Procuradoria Anti-Corrupção espanhola a empresa comprava os selos ao grupo Escala, na qual detinha uma participação directa e indirecta superior a 67%, a um preço de 10 a 15% do valor que logo de seguida fixavam no catálogo Brookman, o qual era o preço de venda dos selos aos clientes.37

A colecção de selos da ONU[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. DJ ACTUALIZA: 8 Detenidos En Operación Estafa Sellos España
  2. Afinsa: 143.000 clientes y una filial en el Nasdaq
  3. Afinsa y Fórum Filatélico tienen un volumen de negocio de unos 1.400 millones de euros
  4. a b Afinsa, del ahorro al coleccionismo
  5. Escala, la filial de Afinsa, se desploma por su expulsion del NASDAQ
  6. DOMFIL | Empresa
  7. DOMFIL | Catálogos
  8. Informe de la Administración Concursal "Afinsa Bienes Tangibles, S.A."
  9. a b Juzgado Central de Instrucción nº 1 de la Audiencia Nacional. Diligencias previas. 134/2006 "Afinsa Bienes Tangibles, S.A."
  10. a b Afinsa compraba sellos a su filial Escala sin una valoración objetiva
  11. a b c Más sobre el escándalo filatélico: Afinsa manipulaba el precio de los sellos controlando los catálogos
  12. a b Antiguos gestores de Afinsa fueron advertidos de que los sellos valían un 3% del precio de catálogo
  13. Querella contra Afinsa
  14. Portugueses avançam com acção judicial contra Estado espanhol
  15. a b c Afinsa e Fórum sob administração judicial
  16. Meia vila de Espanha está falida
  17. Juiz decreta liberdade sem fiança para cinco detidos do Caso Afinsa
  18. Serei recordado como um pirata
  19. Imágenes de la operación policial en las sedes de Fórum y Afinsa
  20. El Juez mantiene la prisión para los cinco encarcelados en relación con Afinsa
  21. AFINSA asegura que hará frente a todos sus compromisos con los clientes
  22. a b Gran operación policial contra una red de inversión filatélica
  23. El juez ordena prisión para 4 directivos de Fórum Filatélico
  24. Vendían los sellos con sobreprecios de hasta nueve veces su valor
  25. 25 preguntas con respuesta sobre la gran estafa filatélica
  26. Afinsa: 143.000 clientes en 26 años
  27. Afinsa: Detidos em operação só deverão ser ouvidos sexta-feira
  28. Los pensionistas afectados por la estafa filatélica podrán pedir el complemento de mínimos
  29. El desfase patrimonial por la estafa filatélica se calcula en 3.500 millones de euros
  30. Los escándalos económicos más sonados de los últimos años
  31. Recomendaciones para los afectados en el presunto fraude filatélico
  32. Los afectados por la estafa de Fórum y Afinsa crean una Federación Española
  33. Los estafados por los sellos ya agrupan fuerzas
  34. Forum y Afinsa, un año después
  35. Los más de 465.000 clientes de Forum y Afinsa siguen sin sus ahorros un año después
  36. Los activos de Fórum Filatélico sólo cubren el 24,5% de su deuda, cifrada en casi 3.800 millones
  37. Imputado reconoce Central de Compras se convirtió en proveedor único sellos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]