Afonso I das Astúrias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Afonso I das Astúrias
Rei das Astúrias e Duque da Cantábria
Estátua de Afonso I, parte da série de monarcas destinadas à decoração do Palácio Real de Madrid.
Governo
Reinado Rei das Astúrias e Duque da Cantábria desde 739, descendente do rei visigodo Recaredo
Dinastia Casa de Saboia
Vida
Nome completo Afonso I das Astúrias
Nascimento 693
Morte 757 (64 anos)
Pai Pedro da Cantábria

Afonso I das Astúrias (693 - 757) "o Católico" foi Rei das Astúrias desde 739, descendente do rei visigodo Recaredo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sucedeu a Fávila das Astúrias e foi sucedido pelo seu filho Fruela I das Astúrias, que subiu ao trono em 757.

Alguns autores indicam que terá casado com Ermesinda, filha de Pelágio das Astúrias e de Gaudiosa, tornando-se, portanto, seu genro e herdeiro do trono. Era herdeiro das terras na Cantábria por parte do seu pai, o Duque Pedro de Cantábria.

Afonso I autoproclama-se Rei das Astúrias, ao contrário de Pelágio e seu filho Fávila das Astúrias, e, com ele, retoma-se a Reconquista, aproveitando as guerras internas dos mouros. Anexa-se a Galiza em 740, Leão em 754. Governou durante 19 anos[1] .

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Pedro da Cantábria (c. 660 - c. 730), [2] Duque da Cantábria e de Gaudiosa, e casado com Ermesinda, cujo nome completo era: Ermesenda Baltes das Astúrias, filha de Pelágio das Astúrias, de quem teve:

  1. Fruela I das Astúrias (722Cangas de Onís, 768) (Froila em galego-português) foi rei das Astúrias (757 - 768)
  2. Vimerano das Astúrias (? - c. 765), casado com Usenda, foi assassinado pelo irmão Fruela I
  3. Adosina das Astúrias casada com Silo das Astúrias, rei das Astúrias de 774 a 783.

Fora do casamento, teve um filho com uma escrava chamada Sisalda de origem muçulmana:

  1. Mauregato das Astúrias o Usurpador, foi Rei das Astúrias de 783 a 788 e casado com Creusa Afonso de Braga, pais que foram de Hermenegildo das Astúrias (c. 765 -?).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. *BRANDÃO, Frei António. Monarquia Lusitana (Parte Terceira). Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 1973. p. 129-137.
  2. ECHEGARAY GONZALEZ, J., O Cantabrians, Ed. Bookseller Estúdio, Santander (Espanha), 1993, ISBN 84-87934-23-4.
Precedido por:
Pedro da Cantábria
Duque da Cantábria
Sucedido por:
Fruela I
Precedido por:
Fávila
Rei das Astúrias
739757