Afonso V de Leão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Afonso V de Leão
Rei de Leão
Afonso V em uma miniatura medieval da Catedral de Leão
Governo
Reinado Reino de Leão
Vida
Nome completo Afonso V de Leão
Nascimento 994
Morte 7 de Agosto de 1028 (34 anos)
Viseu, Portugal
Sepultamento Leão, Espanha
Pai Bermudo II de Leão
Mãe Elvira Garcia

Afonso V de Leão (994 - Viseu, Portugal 7 de Agosto de 1028), chamado o Nobre, filho de Bermudo II de Leão e da sua esposa Elvira Garcia,[1] filha de Garcia Fernandez, conde de Castela e neta de Fernão Gonzalez.[2] Afonso reinou de 999 a 1027.

Afonso V atinge a maioridade em 1017, herdando um reino cheio de instabilidade política. A sua mãe Elvira Garcia, até então regente do reino, junto com os três mais importantes nobres do reino quase que desaparecem da vida política. Esse nobres eram: o conde de Castela Sancho Garcia,[2] o chefe dos Banu Gomez,o conde Garcia Gómez e o conde Portucalense Mendo Gonçalves,[3] , tutor do Infante Afonso, que tinham sido uma fonte de problemas durante a regência. Afonso V quer instalar uma nova administração, e para isso precisa primeiro de um novo quadro legal.

Assim, em 1017, numa reunião da Cúria Regia, promulga a Carta de Leão, que tem sido descrita como a sanção legal do feudalismo em Leão.[4] Ele tentou acabar com a agitação da nobreza e recuperar o poder real.

Esta decisão recebe o nome de "Carta de Leão" e na parte é um conjunto de regras decretadas pelo rei Afonso V de Leão e pelo concilium reunido na Catedral de Leão em 1020. São 20 preceitos que foram adicionados mais 28 que regem a vida local, na cidade de Leão.

Morreu durante um cerco que pôs à cidade de Viseu, Portugal em 1028. Seu corpo foi levado para a cidade de Leão e enterrado no Panteão dos Reis de San Isidoro de León, acompanhado por seus pais.[5] O túmulo de pedra em que foi depositado o corpo do rei encontra-se bem preservado, sendo possível ler na sua tampa a seguinte mensagem que aparece esculpida em latim:

H. IACET ADEFONSUS QUI POPVLATIT LEGIONEM...ET DEDIT BONOS FOROS ET FECIT/ECCLESIAM HANC LVTO ET LATERE. HABVIT PRAELIA CUM/SARRACENIS, ET INTERFECTUS,EST SAGITTA APUD VISEUM/PORTUGAL FUIT FILIUS VEREMUNDI ORDONII/OBIIT ERA M SEXAGESIMA QUINTA III NAS M.[5]

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Bermudo II de Leão e da sua segunda esposa Elvira Garcia, filha do conde castelhano Garcia Fernandes. Primeiro casou-se em 1013 com Elvira Mendes, filha do tutor de Afonso V, o conde Mendo Gonçalves,[6] [7] conde do primeiro condado de Portucale, e de Tutadona Moniz, teve:

A Rainha Elvira morreu em 2 de dezembro de 1022.[8] No ano seguinte, entre maio e novembro de 1023,[9] o Rey Afonso se casou com Urraca Garcês de Pamplona, filha do Rei Garcia Sanchez II de Pamplona e de Jimena Fernandez. Deste casamento nasceu:

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Elorza, Juan C.; Lourdes Vaquero, Belén Castillo, Marta Negro. El Panteón Real de las Huelgas de Burgos. Los enterramientos de los reyes de León y de Castilla (em espanhol). [S.l.]: Editorial Evergráficas S.A.; Junta de Castilla y León. Consejería de Cultura y Bienestar Social. ISBN 84-241-9999-5
  • Fernández del Pozo, José María. Reyes de León: Alfonso V (999-1028) - Vermudo III (1028-1037) (em espanhol). Burgos: La Olmeda, S.L., 1999. ISBN 84-89915-07-5


Precedido por
Bermudo II
Armas do reino de Leão
Rei de Leão

999 - 1027
Sucedido por
Bermudo III


Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Afonso V de Leão