Agápito (diácono)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Agápito
Nacionalidade bizantino
Ocupação diácono, escritor

Agápito foi um diácono da igreja de Hagia Sophia, em Constantinopla (por volta do ano 500), reputado tutor de Justiniano, e autor de uma série de exortações em setenta e dois capítulos curtos dedicados (ca. 527) ao imperador (Patrologia Graecae, LXXXVI, 1153-1186). As primeiras letras de cada capítulo formam um acróstico de dedicação que se lê: "O muito humilde diácono Agápito ao sagrado e venerável imperador Justiniano" (ἔκθεσις κεφαλαίων παραινετικῶν σχεδιασθεῖσα). A importância dada a este trabalho aparece já no seu título comum, Seções Reais (σχέδη βασιλικὰ).[1] O livro trata, em termos gerais, dos deveres morais, religiosos e políticos de um governante. Na forma, é bastante sentencioso e retórico, e assemelha-se muito a um trabalho semelhante no romance de Barlaam e Josafat. Ambos parecem ser baseados em Isócrates, em Basílio, o Grande e em Gregório de Nazianzo. O trabalho de Agápito era eminentemente adequado para o uso de professores medievais em razão do seu teor, a pureza de sua dicção grega, e sua hábil construção. Foi amplamente utilizado na Rússia, proporcionando as formulações da ideologia monárquica. Foi traduzido para o latim, francês e alemão e foi muito elogiado pelos humanistas da Renascença. Cerca de vinte edições dele surgiram no século XVI.

Referências